Veja o que é figura de linguagem, exemplos e também exercícios para praticar esse importante tema

Metáfora, prosopopeia, sinestesia, catacrese, perífrase, zeugma, pleonasmo, polissíndeto, assíndeto, anacoluto e silepse. Não, esta não é a escalação da seleção grega de futebol! Os nomes acima são figuras de linguagem, isto é, recursos que o falante ou escritor utiliza para dar mais expressividade à sua mensagem.

O tema figuras de linguagem é muito recorrente nos vestibulares e Enem. Em geral, os exercícios são sobre o reconhecimento das figuras mais utilizadas. É fornecido uma frase ou trecho de texto e exige-se que o aluno identifique quais aparecem.  Por isso, é fundamental conhecê-las e reconhecê-las. Mas como fazer isso?

Veja como as figuras de linguagem podem ser cobradas no Enem e principais vestibulares do Brasil.

Comparação e metáfora

A comparação, como o próprio nome diz, é a atribuição da característica de um ser a outro. Sempre vem acompanhada de um elemento comparativo (como, tal qual, semelhante a, que nem).  Já a metáfora é o emprego de uma palavra com o significado de outra. É semelhante à comparação, mas sem o emprego do elemento comparativo. Observe a diferença nos exemplos abaixo. “O ser humano é como um universo” (comparação) “O ser humano é um universo” (metáfora)

Diferença entre metáfora e comparação
A metáfora consiste no emprego de uma palavra com sentido que não lhe é comum ou próprio, sendo esse novo sentido.

Metonímia

A metonímia ocorre quando há a substituição de uma palavra por outra, por elas terem uma proximidade de sentidos. Pode ocorrer de diversas formas, como na substituição de um autor por sua obra, de parte de algo pelo todo, de um efeito por sua causa ou de uma causa pelo seu efeito, entre outras.

Observe um exemplo de substituição do autor pela obra: “Li Carlos Drummond umas vinte vezes“  no lugar de “Li a obra de Carlos Drummond umas vinte vezes“.

Prosopopeia ou personificação

A prosopopeia é simplesmente a atribuição de características humanas a seres inanimados. Exemplo: “Os motores gritavam, ansiosos pela largada”.

Antítese e paradoxo

A antítese acontece quando há emprego próximo de palavras de sentidos opostos, porém, sem um conflito quanto ao significado. Já o paradoxo é o emprego de palavras de sentidos opostos sob um significado também conflitante. Observe os exemplos: “Onde termina a escuridão, começa a luz” (antítese). “A sua luz é minha escuridão” (paradoxo).

Eufemismo

O eufemismo é substituição de palavras ou expressões consideradas desagradáveis por palavras ou expressões mais suaves. Por exemplo: “Ela não resistiu aos ferimentos e partiu”  no lugar de “Ela não resistiu aos ferimentos e morreu”.

O eufemismo dexia as frases menos agressivas
Eufemismo é uma figura de linguagem que emprega termos mais agradáveis para suavizar uma expressão.

Hipérbole

A hipérbole é a figura de linguagem que consiste em expressar uma ideia com exagero. Considere por exemplo a frase: “Estou morrendo de fome”. Embora seja possível morrer de fome, o verbo morrer é utilizado somente para exagerar o tamanho da fome que se sente e não no seu sentido real.

Ironia

A ironia é a construção de uma frase com inversão dos sentidos, ou seja, quando se afirma o contrário do que se pensa. Ocorre, por exemplo, quando alguém diz “Nossa, muito engraçado” quando na verdade considera a situação sem graça.

A ironia é dita querendo expressar algo diferente
Ironia é um instrumento de “Literatura” ou de “Retórica” que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa

Onomatopeia

A onomatopeia é a reprodução ou imitação de sons ou vozes naturais dos seres ou situações. “Miau-miau. Eram os gatos miando no telhado a noite toda”.

A onomatopeia e os sons naturais
A descrição escrita do som do vaso se quebrando é um exemplo de onomatopeia.

Aliteração e assonância

A aliteração consiste na repetição de um determinado som consonantal no início ou interior das palavras. Já a assonância tem a mesma característica, porém, com a repetição da vogal tônica. Observe os exemplos: “O rato roeu a roupa do rei de Roma.” (aliteração).Sou um mulato nato no sentido lato / Mulato democrático do litoral”  (assonância em versos de Caetano Veloso).

Pleonasmo

O pleonasmo é a repetição de palavras que nada acrescentam ao que já foi dito, ou seja, de palavras supérfluas na frase. Podemos tomar como exemplos as frases “ver com os olhos” ou “subir para cima”.

Como estudar figuras de linguagem

Estas são algumas das principais  figuras de linguagem cobradas em vestibulares. Há ainda uma infinidade de outras menos recorrentes, como a sinestesia, catacrese, perífrase, zeugma, polissíndeto, assíndeto, anacoluto, silepse, entre outras. O ideal é decorar as principais fazendo exercícios e, para as restantes, entender o conceito da figura com a definição e os exemplos e buscar elaborar um exemplo próprio que empregue a figura de linguagem.

Ao elaborar o exemplo, você atesta que a compreendeu e já trabalha na sua memorização. Elas podem ser empregadas também para enriquecer seu próprios textos. É quando se coloca o conhecimento em prática.

Quer saber como elaborar um texto perfeito e empregar as figuras de linguagem? Cadastre-se gratuitamente no Stoodi e veja tudo o que precisa para arrebentar nos estudos.

Nilson