A redação do Enem possui um peso muito alto na composição da nota final do processo seletivo. Por isso, mandar bem nessa parte do exame vai te ajudar a ficar cada vez mais próximo da aprovação.

Como já sabemos, o texto do Enem é uma dissertação argumentativa, ou seja, ele exige muito mais do que apenas a exposição de fatos. Por isso, vamos te ensinar como como fazer uma boa argumentação!

Uma redação argumentativa não é composta unicamente de um apanhado de informações. Expor fatos não é argumentar. Listar ideias, por mais pertinentes que elas sejam à discussão do tema, não constitui um texto dissertativo argumentativo.

Por isso, para atender ao que é esperado para esse tipo de redação, é preciso delimitar uma tese. Mais do que isso, é preciso relacionar as informações apresentadas e mostrar em que medida defendem o ponto de vista delimitado.

Como fazer uma boa argumentação?

Antes de mais nada, é importante ressaltarmos que uma boa argumentação possui um estrutura que deve ser seguida na hora da elaboração de uma redação. A estrutura é a seguinte: fato, opinião, tese e argumento. Vamos entender o que cada um deles significa?

  • Fatos: é quando alguma coisa aconteceu.

Por exemplo: o Mensalão – esquema de corrupção – desviou mais de R$ 100 mi, de acordo com os laudos da Polícia Federal.

  • Opinião: é algo em que você acredita. Não podemos contestar porque é algo totalmente pessoal.

Por exemplo: existe muita corrupção no Brasil e eu sou contra esse tipo de conduta.

  • Tese: É o seu posicionamento em relação ao mundo,é aquilo que você defende e deseja convencer as pessoas (essas podem concordar ou não).

Por exemplo: a corrupção existe no Brasil, em grande parte, porque não há Justiça eficiente.

  • Argumentação: é a defesa da tese, construída com base em exemplos (fatos) e análises (conclusões que tiramos a partir da observação dos fatos), sempre com o objetivo de convencer o leitor da nossa tese.

Como basear os argumentos na redação?

Agora que você já sabe diferenciar um recurso do outro e compreendeu o conceito de argumentação, vamos ver como isso funciona na prática. Existem três principais tipos de argumentação:

  • Baseada em referências históricas;
  • Baseadas em casos divulgados pela mídia;
  • Baseadas em dados estatísticos.

É muito importante que você apresente fatos (para sustentar seus argumentos), mas sem esquecer de fazer uma análise em cima deles. Lembre-se que seu objetivo é convencer o leitor da sua tese e isso são será feito se você apenas relatar o que aconteceu. É preciso ir além e mostrar como eles se relacionam com seu posicionamento.

correção de redação

Dicas para fazer uma boa argumentação

A argumentação é extremamente importante para compor a nota da redação, ela está presente em 3 das 5 competências necessárias. É ela que vai dar todo o fundamento e amarrar as ideias do seu texto e, por isso, separamos 6 dicas valiosas, do que você deve ou não colocar no texto, para mandar muito na redação do Enem!

1. Faça análises críticas da realidade

A análise crítica é pautada em fatos, diferente de algo fantasioso. Não vamos inventar nada da nossa cabeça, mas, sim, olhar para o mundo e trazer elementos que façam sentido para o nosso texto. É a partir desses elementos concretos que devem ser feitas as análises.

2. Comprove suas análises com fatos

É preciso provar todas as hipóteses e afirmações que você colocar no seu texto – senão, é como se você estivesse acusando alguém sem provas, ou como se estivesse inventando algo que não é verdade. Sustente os argumentos com exemplos concretos, dados, experiências etc.

3. Nunca faça análises desvinculadas da realidade

Um exemplo clássico desse erro é quando ao falarmos que uma determinada ação precisa ser implementada no Brasil porque funciona muito bem nos Estados Unidos, podemos cometer uma análise descontextualizada.

A realidade brasileira é um pouco diferente da norte americana, certo? Então falar dos EUA para discutir uma questão brasileira pode fazer com que criemos uma análise desvinculada da realidade discutida.

Precisamos nos perguntar: “Qual é a cultura dos EUA?”, “Como foi o processo histórico daquele país?”, “É similar ao do Brasil?”, entre outras. Se nos estados Unidos é de um jeito, não significa que podemos comparar com a cultura brasileira.

4. Não se apoie apenas na opinião de grandes autores

Reproduzir opiniões de outros autores no texto, sem colocar a sua posição, é algo bem ruim, por mais consagrada que seja a referência apresentada. A voz do aluno precisa aparecer na redação. Evite listar frases de vários filósofos famosos sem colocar sua posição de maneira bem clara.

5. Não faça afirmações muito vagas

Evite fazer afirmações muito gerais, sem explicar exatamente aonde quer chegar com a sua exposição, onde expor um problema pode não ser suficiente. Você precisa explicar com profundidade o que quer dizer com elas.

6. Não exponha apenas os fatos

Uma redação argumentativa não é composta apenas por um apanhado de informações. Expor fatos não é argumentar. Listar ideias, por mais pertinentes que elas sejam à discussão do tema, não constitui um texto dissertativo argumentativo, além disso, é preciso construir argumentos, relacionar as informações apresentadas e mostrar o que elas indicam.

O Enem já está chegando e é bom se preparar para mandar bem na prova. Pensando nisso, que tal criar seu plano de estudos personalizado com o Stoodi e começar a se preparar para o Enem e vestibulares? Começa estudar já!

Luiz Serpa

Jornalista, corredor, amante de futebol americano e integrante do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi. Prefere ser chamado de “Serpa” e é apaixonado por cachorros.

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!