Entenda cada situação e não corra o risco de escorregar no Português 

Na regra geral da concordância verbal, nós sempre temos um verbo que concorda com o sujeito em “pessoa” e “número”. Ou seja, nós devemos dizer: o aluno estudou, os alunos estudaram ou, até mesmo, o aluno e o professor estudaram.

Podemos perceber que se o aluno aparece no singular na frase, o verbo também o acompanha no singular. Já se ele aparece no plural, o verbo também concorda no plural.

Porém, nem sempre é tão simples assim. Existem vários termos que merecem a nossa atenção especial, já que eles são impessoais.

“Quando eu digo que são impessoais, significa que eu não tenho ‘pessoa’ naquela oração. Se eu não tenho sujeito, não tem como eu realizar a regra geral”, explica a prof. Pri, de Gramática.

(desenho da regra geral)

– Como eu vou saber qual termo é pessoal e qual é impessoal? Como faço para concordar?
Calma que a gente vai te ajudar. Separamos uma lista com alguns termos impessoais. Veja como fazer a concordância de cada um deles:

  • Expressões formadas pelos verbos: Chegar de/ Bastar de/ Passar de
  • Verbo Haver (no sentido de acontecer e existir)
  • Verbo Fazer (quando indica tempo ou fenômeno da natureza)
  • Verbo Ser (quando indica uma data)

Um verbo ou uma expressão impessoal não possui sujeito. Sendo assim, fica facinho de identificar.

Antes de começar a explicar um por um, existe uma regra simples que se aplica para todos: Se o verbo é impessoal, ele deve aparecer sempre na 3ª pessoa do singular – mesmo que o resto da frase esteja no plural.

Chegar de/ Bastar de/ Passar de

Como não teremos sujeito nessas frases, os verbos estarão sempre na 3ª pessoa do singular, ainda que os nomes da frase estejam no plural.

Exemplos:  
Chega de exercícios
Chegam de exercícios

Basta de mentiras
Bastam de mentiras

Já passa das três horas
passam das três horas

Perceba que usamos a palavra “exercícios” no primeiro exemplo – o termo assumiu a função de objeto da frase e está escrito no plural. Perceba, agora, que nós colocamos as expressões verbais no singular – isso aconteceu porque elas são impessoais e devem permanecer sempre na 3ª do singular.

Verbo Haver 

Quando o verbo haver assume o sentido de “existir” e “acontecer”, ele também é impessoal. Isso significa que deve ficar sempre na 3ª pessoa do singular.

Por exemplo: 
Houve muitos eventos no mês passado (sentido de acontecer)
Houveram muitos eventos no mês passado

Haverá dias melhores (sentido de existir)
Haverão dias melhores

Verbo Fazer 

Quando o verbo fazer indica tempo ou fenômeno da natureza, ele também é impessoal. Ou seja, mesmo a frase estando no plural, ele deve permanecer na 3ª pessoa do singular.

Por exemplo:
Faz anos que não o vejo
Fazem anos que não o vejo

Faz verões escaldantes no Nordeste
Fazem verões escaldantes no Nordeste

Verbo Ser 

Já no verbo ser, a regra é facultativa – você pode escolher. Se ele estiver indicando uma data, você pode escrever tanto no singular quanto no plural.

Exemplo: 
É dois de maio
São dois de maio

– Nossa, que diferente. Por que isso acontece? 
Porque existem termos subentendidos na frase. Seria a mesma coisa que dizer:

É (dia) dois de maio
São dois (dias) de maio

Entendeu a diferença? Quando ele indicar datas, tanto faz usar singular ou plural, pois estará certo das duas maneiras.

Beatriz Abrantes

Cursando jornalismo, é apaixonada pela profissão e por inventar receitas em sua cozinha. Faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi, focada em SEO. A Bia adora dançar, participa de ONG’S de proteção aos animais e ama passar tempo vendo filmes. Conheça mais os seus textos!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!