Para ler mapas e mandar bem na cartografia, entenda os principais conceitos de Geografia Física 

Qual a diferença entre escala gráfica e numérica?

Nós já mostramos a você o que é escala, explicamos a sua definição e ensinamos a identificar quando ela é uma escala grande e uma escala pequena. Hoje, você verá quais são os tipos de escala que existem e quais suas principais diferenças.

Existem dois tipos de escala, a gráfica e a numérica. A partir desses formatos, nós vamos conseguir estabelecer uma relação entre o comprimento dos objetos de estudo em um mapa e no mundo real.

Escala numérica

A escala numérica estabelece a relação entre o comprimento no mapa e a distância no terreno por meio de número.

Exemplo de escala numérica:

1:100.000

Uma escala numérica de 1 para 100 mil significa que cada centímetro no mapa corresponde a 100 mil centímetros no mundo real.

“Por padrão, a gente sempre usa a unidade de medida ‘centímetro’ quando estamos lidando com uma escala numérica”, afirma o professor de Geografia do Stoodi, Érico.

O professor lembra que 100 mil centímetros equivalem a um quilômetro – então a cada centímetro de mapa, teremos um quilômetro no mundo real.

1 km

1000 m

100.000 cm

Medidas do mapa no mundo real

Escala gráfica

Outro tipo de escala é a escala gráfica. Nesse caso, a gente vai utilizar um segmento de reta graduada para estabelecer a relação entre o mapa e a vida real

Exemplo de escala gráfica:

|———|

0        1 km

Se esse exemplo aparecer em um mapa e a medida desse segmento for 1 centímetro, significa que 1 cm  no mapa equivale a um quilômetro na vida real.

– Por que se usa a escala gráfica se ela parece mais difícil?

O professor Érico explica que se você fizer uma ampliação ou uma redução do mapa, não corre o risco de distorcer as informações. Por exemplo, digamos que você tirou uma cópia de um mapa e ele saiu um pouco maior que o normal.

Se você tiver apenas a escala numérica no mapa, você vai pegar a régua e encontrar a informação errada. Já com a escala gráfica, você sabe que a reta equivale àquele número, e essa distância sempre será proporcional ao mapa.

“Geralmente os mapas apresentam as duas escalas juntas para ficar mais preciso e confiável”, finaliza o professor.

Agora que já sabe a diferença e a importância da escala gráfica e numérica, veja estes posts que você também pode gostar:

Geografia: tudo sobre Escala para você mandar bem no Enem

12 Filmes para quem ama Geografia

Geografia no Enem: O que mais cai na prova?

Gostou do conteúdo apresentado? Veja essa e outras dicas no site do Stoodi e se prepare para encarar o Enem e principais vestibulares.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também
Inequação exponencial
Leia mais

Inequação exponencial

As inequações que envolvem funções exponenciais são chamadas de inequações exponenciais. Por exemplo: Para sua resolução, procura-se chegar a uma comparação de potências de mesma base para então comparar os expoentes. Utiliza-se a partir daí a informação de que: Deste fato, decorre que, se a>1: Se 0<a<1, temos: Em resumo,...

MMC – Mínimo Múltiplo Comum

Definição Dados dois ou mais números naturais diferentes de zero, chamamos de mínimo múltiplo comum, ou simplesmente MMC, o menor dentre seus múltiplos comuns. Exemplos 4 e 8 O MMC. entre 4 e 8 é o próprio 8 pois os múltiplos de 4 são {4,8,12, 16, 20, 24, 28, 32,...
Propriedades dos logaritmos
Leia mais

Propriedades dos logaritmos

Os logaritmos apresentam quatro propriedades que são muito úteis na resolução de problemas: Produto Quociente (divisão) Potenciação Mudança de base As propriedades são usadas, basicamente, para calcular novos logaritmos a partir de logaritmos já conhecidos e para resolver equações e inequações logarítmicas. Para ver exemplos de aplicação e exercícios resolvidos...