Blog do Stoodi

Entenda o uso da linguagem coloquial na sua redação

 
Você sabe o que é o coloquialismo? É aquela linguagem mais leve e descontraída que costumamos usar para falar com nossos amigos no dia a dia. Ela se caracteriza pelo uso de gírias e por ser mais informal. 
 
Nesse contexto não tem problema nenhum usá-la.Mas e na redação? Será que pode? 
Na verdade, usar o coloquialismo em seu texto não é uma boa ideia. O ideal é sempre seguir a norma culta padrão. 
 
De acordo com a professora Pri, de Gramática e Literatura, o uso da linguagem coloquial pode ser mal vista pela banca avaliadora e acabar refletindo em pontos a menos na composição da nota de seu texto. 
 
Existem dois principais problemas para isso: os corretores podem considerar que há pobreza de vocabulário em sua redação ou ainda corre o risco de eles não entenderem o que foi dito - o que é pior ainda. 
 
“Muitas vezes essas expressões coloquiais englobam gírias, e as gírias são facilmente modificadas de uma região para a outra. Ao usar esse tipo de linguagem, você corre o risco de não ser compreendido por quem vai corrigir sua redação”, afirma a profa. Pri.
 
Então, um termo que conhecemos em São Paulo pode ser desconhecido em Minas Gerais, por exemplo. Em documentos, como é a redação de um vestibular, o mais indicado é sempre utilizar uma linguagem mais formal. 
 

Veja alguns exemplos de termos coloquiais que costumamos ver nas redações e saiba como substituí-los:
 
“A internet está cada vez mais atrativa pra juventude”
Um termo coloquial que aparece com frequência nas redações é o “pra”, que seria a contração da preposição “para”. A profa. Pri lembra que o uso desse tipo de linguagem tira pontos do texto. 
 
A melhor opção é usar para no lugar de pra. 
 
 
“Todos os jovens entraram na onda de usá-la”
“Entrar na onda” é uma expressão que usamos para indicar que todos participam ou que todos aderiram a determinada prática. Se você utilizar algo semelhante em seu texto, o corretor pode entender que você estava com preguiça de elaborar uma frase na linguagem culta. 
 
Já pensou o que pode passar na cabeça dele? “Nossa, ele nem se esforçou para encontrar uma expressão culta similar a essa. Ele simplesmente colocou uma expressão que está acostumado a usar no dia a dia”.
 
Nesse caso, poderíamos substituir por: todos os jovens aderiram o uso da internet.
 
 
“Dificilmente alguém não se deixa levar pelo uso das redes sociais”
Outro exemplo que entra na questão da linguagem coloquial é a expressão “se deixa levar”. Nesse caso, seria melhor substituir por: dificilmente alguém não utiliza as redes sociais
 
Desta forma, a frase fica mais enxuta e fácil de compreender. 
 


 
“Se você realmente precisar utilizar uma gíria, se é necessário citar aquilo, você deve colocar entre aspas. Nos demais casos, sempre tente substituir por uma expressão formal, pela linguagem culta que deve ser utilizada nas produções textuais”, conclui a professora. 

Leia também:

Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.