Veja 11 perguntas desse tema respondidas pelo professor Érico

Se existe uma matéria em Geografia Física que vive causando dúvidas, é Escala. Para conseguir interpretar mapas e gabaritar no tópico de cartografia, você vai precisa dominar muito bem esse assunto.

Conta uma coisa aqui para a gente: você sabe qual é a sua definição de Escala? Quais são os tipos? Para que ela existe?

Se alguma resposta sua foi não, aproveite para revisar esse tópico antes do Enem. Confira 11 perguntas fundamentais sobre Escala, respondidas pelo prof. Érico: 

1. O que são as escalas?

Escala, na verdade, é uma relação entre o objeto real (o que existe em nossa volta) e a sua representação.

Tem até uma fórmula:

Por exemplo 

A escala real é o 1 (número que a gente representa como a totalidade) sobre alguma coisa. Então, a escala de 1:10.000 significa que eu reduzi 10.000 vezes aquele tamanho real .

1= objeto real
10.000= é o número de vezes que eu tive que reduzir o objeto para ele caber numa folha de papel ou numa tela, por exemplo.

2. Qual é a função da escala?

Ela serve para representar aquilo que está presente no nosso cotidiano.

Eu sempre brinco com os alunos que não posso pegar uma folha de papel e enrolar o planeta. Não dá. Então, eu preciso fazer alguma coisa para esse “negócio” caber numa folha de papel. Por isso, eu vou usar a escala como recurso. Eu vou fazer a redução.

Às vezes, você pode ampliar. O princípio da xerox é o mesmo, eu reduzo ou amplio quantas vezes eu quiser.

3. Quais são os tipos de escala? 

Existem dois tipos de escala: a numérica e a gráfica. Será por meio desses formatos que você vai estabelecer uma relação entre o tamanho dos objetos de estudos em um mapa e a distância no mundo real.

  • Escala numérica

A escala numérica estabelece a relação entre o comprimento no mapa e a distância no terreno por meio de número. Por exemplo:

1:100

Uma escala numérica de um para 100 significa que cada um centímetro no mapa corresponde a 100 centímetros no mundo real. Por padrão, a gente sempre usa a unidade de medida “centímetro” quando estamos lidando com uma escala numérica. Esse é o padrão da cartografia.

  • Escala gráfica

Também temos a escala gráfica. Nesse caso, a gente vai usar um segmento de reta graduada para estabelecer a relação entre o objeto e a distância real.

|———|
0        1 km

Por exemplo, essa medida no mapa equivale a um quilômetro.

Geralmente os mapas apresentam as duas escalas juntas para ficar mais preciso e confiável, evitando que o mapa fique distorcido.

4. Esse é um tema importante para o aluno revisar antes do vestibular?

Sim, porque na maioria dos vestibulares a cartografia entra – e entra pesado.

Não entra só com assuntos específicos de cartografia. Às vezes, ele pode fazer uma pergunta de cartografia associada a uma questão de urbanização – que também é um tema quente de Enem.

O mapa para geografia, é a nossa ferramenta. É como se a gente fosse somar na matemática. Eu preciso dessa ferramenta o tempo inteiro, então o aluno precisa ter o domínio de cartografia para não se atrapalhar com alguma outra questão.

5. A escala geralmente cai mais em questões isoladas (sobre o conceito de escala) ou ela é o instrumento para achar uma resposta de qualquer outro tema? 

Depende do exercício. Tem exercício que quer saber especificamente da escala, por exemplo “Eu tenho uma área x, qual é a escala mais adequada para esse caso?”. Aí o aluno vai usar especificamente a escala.

Mas tem muito exercício que a prova vai misturar uma questão de escala e vai depois falar sobre o planejamento urbano – isso pode acontecer.
6. No Enem, qual forma costuma cair mais? 

No Enem, aparece mais associado.

O aluno precisa conhecer as ferramentas cartográficas para conseguir resolver exercícios não só de cartografia, mas de geografia em geral. Porque o Enem é muito interpretativo e muito intertextual, então ele vai misturar gráfico com mapa.

7. Por que os alunos têm tanta dificuldade com escala? 

Os alunos têm dificuldade com a matemática básica e com a representação gráfica. O estudante precisa fazer cálculos para chegar na resposta.


8. Quais são os tópicos de matemática que o aluno vai mais aplicar em escala? 

Cartografia é muita matemática. Tem que ter conhecimento de regra de três, raiz quadrada, um pouco de geometria, razão e proporção.

9. Quais são os mapas mais indicados para cada situação? 

Dá para fazer isso de forma simples. Por exemplo:

Uma planta de uma casa ou apartamento vai ter uma mapa com escala de 1 para 100.

Um quarteirão vai ser representado numa escala de 1 para 1.000.

Uma cidade para uma escala de 1 para 10.000.

Uma região ou estado para uma escala de 1 para 100.000 ou 200.000.

O Brasil entra numa escala de 1 para 1.000.000

Lembrando que esse número é sempre em centímetros.

10.Quando uma escala é considerada grande e quando ela é considerada pequena? 

Escala grande é quando estou cada vez mais próximo do mundo real. Por isso que o número vai diminuindo. Exemplo: planta de uma casa e o mapa de um bairro.

Escala pequena é quando estou me afastando do objeto real, por isso que o número vai aumentando. Exemplo: mapa do mundo, mapa da América do Sul e mapa do Brasil.

Por isso, uma escala de 1:1.000.000 é considerada pequena e uma escala de 1:100 é considerada uma escala grande.

11. Você tem mais alguma dica? 

Tem que fazer bastante exercício. É prática – quanto mais, melhor. Porque são várias situações que envolvem escala.

O exercício pode misturar escala com fuso horário, ele pode querer saber como você vai usar escala numérica para converter para escala gráfica. Tem que procurar essas situações diferentes.

0 Shares:
Você pode gostar também