Você sabia que cai perguntas sobre Artes no Enem? Essa disciplina é um dos tópicos da prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Com a proximidade do exame, é bom ficar por dentro de todos os conteúdos que podem aparecer.

Para quem não conhece muito bem a estrutura do Enem, ele é formado por 4 provas objetivas e uma redação. São elas:

Como você pôde perceber, a prova de Linguagens apresenta muito mais do que simplesmente questões de Língua Portuguesa. Por isso mesmo, hoje vamos mostrar o que você precisa estudar e revisar sobre Artes para mandar muito bem no Enem. Vem com a gente!

Artes no Enem: como funciona?

Se você estava pensando que Artes “nem deve cair tanto assim”, precisamos fazer um alerta: das 45 questões da prova de Linguagem, geralmente 5 são de Artes — o mesmo número de perguntas de Inglês, por exemplo.

Segundo reportagem produzida pelo Portal Brasil, site do Governo Federal, você precisa conhecer as principais vanguardas artísticas, além de saber associar obras de artes com os seus respectivos contextos históricos.

“Os estudantes devem estar preparados para reconhecer diferentes funções da Arte e a produção dos artistas em seus diversos meios culturais”, declara.

Assuntos de Artes que mais caem no Enem

Ao fazer um mapeamento nas provas de 2013 até 2016 e analisar cada questão, percebemos que Arte Contemporânea foi o tema que mais apareceu. Ao total, foram 6 perguntas sobre o assunto — e é muito provável que ele apareça novamente.

Outra matéria que está com tudo é o Modernismo. Para você ter uma noção, foram 3 perguntas sobre o Modernismo Europeu e mais duas perguntas sobre o Modernismo no Brasil.

A Arte Brasileira pós 1970 também chamou a nossa atenção. Foram 3 questões desse período de muitas transições. Por fim, podemos destacar, também, a Arquitetura Moderna no Brasil, que apresentou 2 questões ao longo dos anos.

1. Arte Contemporânea

Esse tópico já apareceu 6 vezes no Enem durante o período analisado. A primeira dica para mandar bem nesse assunto é entender como ocorreu o rompimento com o Modernismo.

A Arte Contemporânea teve origem em 1960, período no qual se coloca em questão qual é a definição de “arte”. Será nesse momento, também, que os críticos e intelectuais vão se questionar em relação ao mercado e a validação das expressões artísticas.

Esse movimento artístico tem como característica estabelecer comunicação direta com o público e buscar a percepção do observador. Para dominar esse assunto, é importante explorar o que é a “Arte Conceitual”, conhecer o Minimalismo, o Body Art, a Arte Urbana e as Instalações.

2. Arte Brasileira pós 1970

A Arte Brasileira Contemporânea, especificamente no período pós 1970, já apareceu 3 vezes no Enem. Uma das principais dicas é saber a fundo o que aconteceu durante esse período histórico — da segunda metade do século XX e a transição para o século XXI.

Chamamos a atenção para o abstracionismo, uma das expressões artísticas desse momento — que subdivide-se em concretismo e neoconcretismo. Ele sugere que você pesquise sobre a importância da arquitetura neste período.

Destacamos dois grandes artistas:

  • Tomie Ohtake, que apresenta a influência da arte japonesa com o mundo contemporâneo que está em constante movimento;
  • Manabu Mabe, considerado o melhor pintor durante a 5ª Bienal de São Paulo (1959).

3. Modernismo Europeu

O Modernismo Europeu apresenta uma nova perspectiva, rejeitando a tradição e dando início à ruptura em 1890. Esse tópico já caiu 3 vezes no Enem.

Para responder às questões sobre o Modernismo Europeu, você deve revisar o conjunto de movimentos culturais (as escolas e os estilos) da primeira metade do século XX. Vale relembrar:

  • Expressionismo;
  • Fauvismo;
  • Cubismo;
  • Suprematismo;
  • Dadaísmo;
  • Surrealismo;
  • Construtivismo Russo;
  • Futurismo.

4. Modernismo no Brasil

Quando falamos de Modernismo no Brasil, precisamos analisar o movimento cultural com repercussões nas Artes, na sociedade e Literatura. De 2013 a 2016, esse tópico esteve presente 2 vezes no Enem.

O marco inicial se dá na Semana de Arte Moderna de 1922 que causa uma grande revolução na forma de encarar a Arte no país. Os artistas brasileiros assimilaram tendências das vanguardas europeias, porém o foco se deu nos elementos da nossa cultura.

É importante ficar por dentro das três fases do Modernismo:

  • 1ª Geração (1922-1930): pautada pelo radicalismo e escândalos;
  • 2ª Geração (1930-1945): com ênfase na literatura;
  • 3ª Geração (1945-1975): que traz a oposição ao radicalismo.

teatro municipal semana de arte moderna

5. Arquitetura Moderna no Brasil

A Arquitetura Moderna no Brasil surge na década de 30 com muitas influências europeias — o contexto da arquitetura na Europa é de buscar soluções para as mudanças geradas pela Revolução Industrial.

Esse tópico foi cobrado 2 vezes no Enem e, por isso, vale a pena estudar o contexto histórico (já que a Arquitetura Moderna no Brasil ganhou apoio do Estado Novo) e revisar nomes como Oscar Niemeyer e Gregori Warchavchik.

6. Modernismo no Brasil pós Semana de 22

Neste tópico, você precisa revisar as manifestações artísticas pós Semana de 22. Já caiu uma questão no Enem sobre esse período que corresponde à 2ª geração do Modernismo, marcado pela preocupação com as transformações políticas, sociais econômicas, humanas e espirituais.

O momento político do Brasil fez com que aquele humor (apresentado na Semana de 22) fosse substituído por uma apreensão e análise de valores. Os modernistas rompem com o academicismo, principalmente com as influências da Europa.

Nesse período, acontece uma série de mudanças. O Brasil começa a tornar-se um país urbano; a economia passa a ser não só agrária, mas também industrial; acontece um dos maiores movimentos de migração demográfica do Nordeste para o Sudeste; a política adotada torna-se o populismo de Getúlio Vargas etc.

Os artistas em destaque são Cândido Portinari, Anita Malfatti e Tarsila do Amaral.

7. Barroco em Minas Gerais

Entre os séculos XVII e XIX, especificamente na região das Minas Gerais, desenvolve-se um conceito de arte conhecido como Barroco Mineiro — ele foi tema de uma questão do Enem nas últimas 4 edições.

Esse movimento artístico está associado ao enriquecimento da região com a atividade mineradora e tem como influência européia o Rococó.

Principais cidades: Vila Rica de Ouro Preto, Diamantina, Serro, Mariana, Tiradentes, Sabará, São João Del Rei, Congonhas do Campo.

8. Renascimento Italiano

O Renascimento Italiano também caiu uma vez no Enem entre 2013 e 2016. Antes de mais nada, é preciso entender que o contexto histórico que se passa exatamente na transição da Idade Média para a Idade Moderna.

  • Século XIV – Idade Média;
  • Século XV – Transição;
  • Século XVI – Idade Moderna.

A arte renascentista é um fenômeno urbano da península itálica. As cidades portuárias e postos comerciais passam a se desenvolver e, com isso, abrem espaço para uma nova classe social que começa consumir arte.

Ela é, portanto, resultado da ascensão econômica da burguesia (que vão patrocinar a arte, tornando-a mercadoria).

9. Suportes da Arte Contemporânea

Durante as décadas de 50 e 60, vai surgir um movimento artístico na Inglaterra chamado Pop Art — ele procura demonstrar a massificação da cultura popular capitalista. O maior representante desse movimento foi o artista plástico, cineasta e literato Andy Warhol. Ele é conhecido por fazer uso dos conceitos publicitários na Arte.

Sobre esse assunto, que já caiu uma vez no Enem, é importante conhecer os conceitos de Happening e Performance dentro do contexto da Arte Contemporânea — eles vão definir a expressão da arte e a maneira como o público interage com a expressão artística.

Numa forma de mesclar as artes visuais e um teatro sem texto ou representação, Allan Kaprow cria o conceito de Happening. Nele, o público passa a interagir com espetáculo e é visto como parte do processo.

O conceito de Performance também vai combinar elementos do teatro com as artes visuais e a música, porém o público tem a função de apenas assistir ao número. Esse modelo surgiu na década de 60, na transição urbana da modernidade.

10. Arte na Pré-História

Por fim, a última dica é sobre a Arte na Pré-História. Nos últimos 4 anos, apareceu uma questão sobre esse tema. A pergunta que devemos nos fazer é: Onde começa a arte?

A palavra, por exemplo, vem da expressão em Latim “Ars” que significa técnica e habilidade. Podemos considerar Arte todas as atividades humanas que estejam diretamente ligada à estética e à comunicação.

As primeiras representações artísticas na Pré-História aconteceram no Período Paleolítico, em que a sociedade vai retratar o seu cotidiano por meio das pinturas rupestres. Além disso, nessa época, podemos encontrar estuarinas com a representação da fertilidade feminina e elementos de enfeites feitos a partir de pedra lascada.

Depois disso, entramos no Período Neolítico, no qual encontramos expressões artísticas produzidas com cerâmica, tecelagem, representações da religiosidade e armas fabricadas de pedras polidas. Na arquitetura, encontramos casas de madeira, pedras e tijolos.

Quer ver muitos outros conteúdos como este e arrebentar no Enem e principais vestibulares? Então faça seu plano de estudos e aproveite todo o material produzido pelos nossos professores!

Luiz Serpa

Jornalista, corredor, amante de futebol americano e integrante do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi. Prefere ser chamado de “Serpa” e é apaixonado por cachorros.

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!