Saiba tudo sobre transitividade verbal e suas classificações

 


 

Vamos conhecer hoje um pouco sobre a transitividade verbal? Pelo nome parece ser difícil, mas não é! Preste bem atenção nesse artigo, que você vai aprender tudo sobre o assunto! Vamos começar?

 

O que é transitividade verbal?

De maneira geral, a transitividade verbal é a relação que um verbo transitivo tem com um determinado complemento, de acordo com a predicação verbal.

Os verbos exercem funções muito importantes nas frases e orações e se ligam com os outros elementos por meio da regência verbal.

Existem os verbos de ligação, que não representam nenhuma ação, como: ser, estar, parecer, continuar, permanecer, ficar etc.

Existem também os verbos significativos, que são os que nos importam aqui, aqueles que expressam alguma ação ou fenômenos da natureza, como: acreditar, dividir, comer, repartir, segurar, gostar, querer, estudar, ventar, chover, entre tantos outros.

E por que eles nos importam? Porque a transitividade verbal só existe para os verbos significativos! Os verbos de ligação não têm transitividade porque eles não têm objetos.

Hum… Objetos? Os objetos são os complementos verbais, algo que o verbo necessita para ter seu significado completo.

Exemplo de transitividade verbal

Júlia repartiu seu lanche.

O verbo da frase é repartir. Quem reparte, reparte alguma coisa, então o verbo necessita de um complemento. O complemento é o que Júlia repartiu, seu lanche, que é o objeto.

A transitividade, portanto, acontece quando esse verbo significativo necessita de um complemento, que é um objeto, que poder ser direto, indireto ou direto e indireto. Fique tranquilo que veremos tudo isso separadamente!

 

Verbo transitivo direto

Para saber se o verbo precisa de um complemento, é só transformar as orações em perguntas, veja só:

Oração: Ricardo comeu.

Se essa oração está fora de um contexto, não fará sentido. Pensemos no verbo comer: quem come, come alguma coisa, logo, se a oração necessita dessas perguntas para fazer sentido, o verbo será transitivo. 

Pergunta: Ricardo comeu o quê?

Dessa forma, a oração só terá sentido completo, junto com o objeto:

Ricardo comeu maçã.

Nesse caso, temos um verbo transitivo direto e um objeto direto. Isso acontece porque o verbo transita diretamente para o objeto, sem necessitar de uma preposição.

A transitividade direta nunca se inicia com uma preposição. É direta porque, após o verbo, já temos o objeto.

Exemplos de verbo transitivo direto

Vamos pensar em outras orações:

Raquel lavou o carro.

Thiago tirou os sapatos.

Daniel escovou os dentes

Em todas elas, o objeto aparece logo após o verbo e é muito fácil de o reconhecermos:

O que Raquel lavou? O carro.

O que Thiago tirou? Os sapatos.

O que Daniel escovou? Os dentes.

Temos, então, exemplos de verbos transitivos diretos e de objetos diretos.

 

Verbo transitivo indireto

Os verbos transitivos indiretos são aqueles que não transitam diretamente para o objeto e que sempre precisam de uma preposição para dar sentido à frase.

Exemplo: 

Mariana gosta de maçã.

Como quem gosta, gosta de alguém ou de alguma coisa, o verbo pede a preposição de. Se o objeto é precedido de uma preposição, ele é indireto e o verbo, consequentemente, transitivo indireto.

Veremos mais alguns exemplos de verbo transitivo indireto a seguir.

Exemplos de verbo transitivo indireto

Enquanto a pergunta para os verbos transitivos diretos é “o quê”, para os verbos transitivos indiretos as perguntas podem ser: “para quê”, “de quê”, “para quem”, “em quê” etc.

Preciso de um lápis novo.

Luto pelo meu país.

Acredito em discos voadores.

Em todas as orações, o objeto vem depois de uma preposição. Façamos as perguntas:

Eu preciso de quê? De um lápis novo.

Eu luto por quê? Pelo meu país.

Eu acredito em quê? Em discos voadores.

 

Verbo transitivo direto e indireto

Sim, um verbo pode ter os dois tipos de complemento! E agora? Calma que não é nada complicado.

Você aprendeu que o objeto direto nunca é precedido por uma preposição e que o objeto indireto sempre é precedido por uma preposição, certo? Quando uma oração tem um verbo que se refere a dois objetos e um deles não tem preposição e o outro tem, temos uma transitividade verbal direta e indireta.

Ficou com dúvida? Temos alguns exemplos a seguir.

Exemplos de verbo transitivo direto e indireto

Consideremos o verbo convidar. Quem convida, convida alguém para alguma coisa. Note então que, nesse caso, o verbo permite dois complementos.

Raquel convidou Mariana para um chá da tarde.

O primeiro objeto que aparece depois do verbo é Mariana (objeto direto) e, em seguida, a preposição para ligar o objeto indireto (um chá da tarde).

Outro exemplo:

Luana emprestou seus livros à Maria.

Emprestou= verbo transitivo direto e indireto

Seus livros= objeto direto

À= preposição

Maria= objeto indireto

Lembre-se, dica importante! Nunca podemos ter dois objetos diretos e nem dois objetos indiretos em uma mesma oração! Obrigatoriamente, um objeto é direto e outro indireto.

 

Transitividade verbal e intransitividade verbal

Como já vimos, a transitividade é a relação que os verbos significativos estabelecem com os objetos em uma oração. O que seria então a intransitividade?

Os verbos intransitivos são aqueles possuem o sentido completo, ou seja, eles não precisam de um complemento para ter sentido dentro da frase.

Exemplo: 

Maria caiu.

 O verbo cair, por si só, já dá o sentido à frase. Podemos não saber de onde, e o porquê Maria caiu, mas a ação está dada.

Alguns verbos intransitivos são: morrer, viver, brincar, chegar, dormir, errar, sumir, ir, voltar e chorar.

Esses verbos, portanto, já significam uma ação completa. A oração pode seguir com um elemento que indicie o modo (Maria caiu sentada), o local (Maria caiu na rua), mas a ação de cair está fechada, mesmo sem esses elementos.

 

Exercícios de transitividade verbal

Pegue uma folha de papel, coloque as letras de A a F e vamos testar o que você aprendeu!

Classifique os verbos quanto a sua transitividade:

a) Ana vendia livros.

b) Os passageiros esperavam o trem.

c) João gosta de filmes.

d) Oferecemos uma medalha ao primeiro colocado.

e) Lívia comprou flores.

f) Lívia gosta de flores.

Resposta comentada: Na letra A, temos um verbo transitivo direto, porque o objeto é livros e não existe nenhuma preposição ligando ele ao verbo.

A letra B também apresenta um verbo transitivo direto.

A letra C tem um verbo transitivo indireto, porque quem gosta, gosta de alguma coisa, então a preposição é exigida.

A letra D tem um verbo transitivo direto e indireto, pois quem oferece, oferece algo a alguém, então temos um objeto com e um sem pronome na mesma oração.

Letra E, verbo transitivo direto. Letra

F, verbo transitivo indireto, pelo mesmo motivo da letra C.

Não é difícil, mas é preciso exercitar, afinal, nossa língua tem muitos verbos e, com certeza, não dá para decorar todos!

Pode deixar um espacinho aí na cabeça para as outras matérias, mas procure sempre entender como e por que o verbo aparece em determinada oração. Assim fica bem mais fácil!

Para ficar afiado para as provas, faça sua inscrição gratuita no Stoodi e aprenda mais sobre transitividade verbal com as nossas videoaulas e exercícios! O melhor conteúdo para reforço escolar e para o ENEM você encontra em nosso site!

Gostou das dicas e quer aprender mais? Cadastre-se gratuitamente no Stoodi!

Raquel Brito

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!