Manifestações populares: possível tema de redação Enem – Stoodi

Parece novidade para as novas gerações, mas as manifestações populares no Brasil são comuns. E um pouco de história pode ajudar muito nesse momento.

Após as Jornadas de Junho de 2013, a probabilidade de se ter redação a respeito do tema nos vestibulares e Enem aumentou muito.

E você sabe o que são manifestações populares? Neste post, trouxemos um super resumo para você ficar por dentro do assunto e arrasar na prova. Continue lendo!

 

O que são manifestações populares?

São ações realizadas pelo povo de uma nação em defesa de uma causa. Reivindicações políticas, crises econômicas e mudanças sociais, como o caso da inclusão social, são os principais motivadores.

E até mesmo pelos temas dos protestos, os governos de muitos países não costumam apoiar esse tipo de ação. Geralmente, o povo vai às ruas e promove passeatas mostrando cartazes e placas.

 

Como acontecem as principais manifestações populares?

No século XXI, os movimentos de protesto adquiriram uma nova maneira de acontecer. Com o acesso à internet mais fácil, as manifestações tornam-se muito maiores e populares. Assim como a disseminação de posts em redes sociais como o Facebook e o Instagram, que hoje integram o local de grandes manifestações populares.

Entretanto, é importante olhar para a história desses movimentos para aprender a reconhecê-los.

 

Quais as principais manifestações populares no mundo?

As principais manifestações populares que aconteceram no cenário mundial foram: o Apartheid na África do Sul, o Panelaço na Argentina e a ilha de Amchitka e o Greenpeace.

Confira abaixo um resumo a respeito de cada um deles.

O Apartheid na África do Sul

De 1948 a 1994, aconteceu um regime de segregação racial na África do Sul que ficou conhecido como Apartheid. Nesse contexto, havia uma severa separação entre negros e brancos, com todas as regalias voltadas para os brancos.

Gradativamente, os negros foram perdendo seus direitos, e a partir e 1970, privados até de sua cidadania. O movimento teve seu ápice em 1990 quando o presidente Fredderik Willem de Klerk iniciou as negociações para o fim do regime.

Por essa ação, Klerk recebeu, junto com Nelson Mandela, o Prêmio Nobel da Paz. Mandela ficou conhecido como o principal líder negro e coordenou o fim do apartheid. As eleições multirraciais acontecidas em 1994 finalizaram oficialmente o regime.

Os Panelaços na Argentina

Os panelaços como símbolo de manifestação popular surgiram no Chile, em 1971, protestando contra a ditadura militas. No entanto, foi na Argentina que essa prática se tornou comum.

Em 1996 a Argentina, tão conhecida pelo tango, passou a ter outro som. Era o som das panelas sendo usadas como tambor pela população insatisfeita com a crise econômica.

Esse movimento marcou o segundo mandato do presidente Carlos Menem, por ter mobilizado todas as regiões da Argentina. Menem continuou presidente.

Desde 1996, o panelaço passou a ser a principal forma de manifestação popular na Argentina. Assim, aconteceram mais panelaços nos anos de 2001, 2002, 2008 e 2012.

A ilha de Amchitka e o Greenpeace

Os desastres ambientais também integram a lista de manifestações populares. Os principais ativistas de preservação ao meio ambiente são conhecidos como Greenpeace.

O Greenpeace foi originalmente composto por biólogos e ambientalistas canadenses que protestavam contra os testes nucleares. Na época, os Estados Unidos utilizavam a ilha de Amchitka, localizada no Ártico, para os testes.

Embora o navio do Greenpeace não tenha conseguido chegar ao ártico – fora interceptado antes – o movimento chamou atenção mundial. Pouco tempo depois, a ilha de Amchitka foi tombada como santuário dos pássaros e os testes nucleares pararam.

Atualmente, o Greenpeace tem alcance mundial e representantes por todo o mundo. No Brasil, o principal movimento de 2018 é em defesa dos corais da Amazônia.

 

Quais as mais importantes manifestações populares no Brasil?

Manifestações populares

Falando em Brasil, também separamos três grandes manifestações populares.

São elas: o populismo, as Diretas Já! e as Jornadas de Junho.

O Populismo

O populismo manifesta-se até o início da ditadura como uma ação de reivindicação das massas no Brasil. O principal representante do governo foi Getúlio Vargas, que ficou conhecido como “O Pai dos Pobres”.

O movimento durou de 1945 a 1964 e teve como auge a criação do Código de Leis Trabalhistas, a CLT.

As Diretas Já!

Entre 1983 e 1984, aconteceu a maior manifestação popular da história do Brasil: as Diretas Já! A população foi às ruas exigir a realização de eleições diretas.

Como resultado do movimento, em 1988 foi promulgada a Nova Constituição e, em 1989 aconteceu a primeira eleição direta no Brasil, após o período da ditadura militar.

As Jornadas de Junho

Em junho de 2013, em protesto ao aumento do valor das passagens de ônibus, os jovens foram às ruas. E a ação, em tempos de internet, alcançou uma multidão. De norte a sul, de leste a oeste, as passeatas surgiram.

O Brasil se tornou o país do protesto, já que a população passou a protestar constantemente pelos mais variados motivos. Desde a liberdade sexual, até o valor do salário mínimo, muitas reclamações foram feitas.

Na realidade, os brasileiros estavam insatisfeitos com toda a política social e econômica do governo Dilma Rousseff. A série de passeatas ficou conhecida como as Jornadas de Junho.

 

Quais os saldos positivos e negativos das manifestações populares?

Todos os movimentos têm seu lado positivo e negativo. O lado positivo das manifestações populares no Brasil são as mudanças que elas provocam.

Mudanças após as manifestações populares

Apesar de muitas pessoas irem às ruas pelo acontecimento do protesto e não pela causa, o fato é que essas ações forçam a tomada de atitudes por parte dos governantes. 

O que muda no país após as manifestações populares é que a pressão por atitudes exercida pela população provoca os governantes e exigem a resolução de situações insustentáveis. A maior modificação no cenário brasileiro foi a construção de um novo poder constituinte, em 1988.

A violência nas manifestações populares

Por outro lado, temos um saldo negativo significativo: a violência nas manifestações populares. Tornou-se comum ver a polícia atacar a população e vice versa . Balas de borrachas atiradas, destruição do patrimônio público, pessoas presas, feridas e até mortas.

Agora que você já aprendeu sobre as principais manifestações populares, esse é o momento de continuar seus estudos . Acesse agora a nossa videoaula a respeito do o panorama da crise política brasileira.

Fique por dentro de outros temas da atualidade com videoaulas didáticas sobre o assunto.

 

Raquel Brito