Entenda o que são as grandezas proporcionais com o Stoodi!

Em Matemática, consideramos grandeza algo que pode ser medido. Não confunda a grandeza com o objeto em si, mas sim com a sua medida. Largura, peso, distância, velocidade, entre outros, são todas considerados grandezas.

No post de hoje, vamos explicar como é possível verificar as grandezas proporcionais a partir de razões e de que maneira esse tipo de assunto é cobrado no Enem. Confira!

A proporcionalidade entre grandezas

Encontrar a razão entre duas grandezas é uma tarefa simples, que serve para que seja possível avaliá-las de um ponto de vista comparativo, extraindo ainda dados e mesmo outras grandezas em seu resultado.

Quando encontramos uma igualdade entre duas diferentes razões, resultado da divisão de duas grandezas, a chamamos de proporção. Dessa forma, consideramos a relação entre as grandezas como proporcional. Para os cálculos que utilizam a regra de três, é esse o raciocínio lógico utilizado.

Esse tipo de relação significa que, à medida que uma grandeza varia, a outra também irá variar na mesma taxa. Ou seja, se um automóvel se move em uma distância X a uma velocidade Y, significa que, quando a velocidade é dobrada, a distância percorrida mudará na mesma proporção, igualmente dobrada.

Grandezas diretamente e inversamente proporcionais

Agora que você já entendeu como se dão as proporções entre diferentes grandezas, é hora de complicar um pouco. Isso porque a relação de proporção nem sempre é assim tão clara.

Como você já viu, duas grandezas são consideradas proporcionais se for possível construir duas relações que sejam equivalentes entre si, em dois momentos e medidas distintas.

O que ainda não contamos é que essa relação pode se dar de maneira direta ou inversa.

Grandezas diretamente proporcionais

Quando duas grandezas são consideradas proporcionais, isso significa que quando uma varia uma taxa X, a outra variará na mesma taxa — ou proporção. Quando isso acontece de maneira diretamente proporcional, a grandeza B aumentará na mesma proporção que a grandeza A aumentar.

Isso ocorre também na medida em que as grandezas diminuírem. Ou seja, se você reduzir a velocidade de um carro pela metade, sua distância percorrida também será reduzida pela metade, mantendo a proporcionalidade entre as grandezas “velocidade” e “distância”.

Isso significa que é possível encontrar uma proporção entre as grandezas avaliadas. Ou seja: no exemplo dado, velocidade e distância percorrida são grandezas diretamente proporcionais.

Grandezas inversamente proporcionais

É aqui que as coisas começam a se complicar. Enquanto a relação entre duas grandezas diretamente proporcionais é clara e, de certa maneira, óbvia, a relação entre grandezas inversamente proporcionais demanda um raciocínio um pouco mais apurado.

Consideramos duas grandezas inversamente proporcionais quando, assim como a anterior, variam juntas na mesma proporção. Entretanto, a relação inversa significa que, à medida que uma medida aumenta em dada taxa X, a outra diminuirá na mesma proporção. Como uma aumenta à medida que a outra diminui, a relação de proporcionalidade é chamada de inversa.

Esse tipo de relação é melhor entendida a partir de exemplos.

Considere uma fábrica de chocolates que produz X barras de doce em 10 horas, com 20 funcionários. Se o número de funcionários dobrar, a mesma quantidade X de barras de chocolate será produzida na metade do tempo, ou seja, 5 horas.

Ainda que possa parecer óbvio que, dobrando o número de funcionários, o trabalho será realizado na metade do tempo, a forma como esse tipo de assunto é tratado nos concursos e vestibulares pode ser um pouco mais elaborada.

Grandezas proporcionais: Enem

calculo grandezas proporcionais

Na prova de Matemática do Enem, uma das habilidades mais exploradas pelo concurso é o raciocínio lógico. E é muito recorrente que sejam cobradas questões que envolvam, por exemplo, a aplicação da regra de três para se descobrir uma das grandezas de uma proporção.

Regra de três

A regra de três é o cálculo utilizado para descobrir uma dada grandeza em uma relação de proporcionalidade, independentemente de essa relação ser direta ou inversa.

Quando as grandezas possuem uma relação diretamente proporcional, a montagem do cálculo é feita de maneira direta. Por exemplo, se um carro percorre 100 km a uma velocidade de 50 km/h, qual seria a distância percorrida por ele se estivesse a 75 km/h?

50 — 100

75 — x

Nesse caso, a relação está montada de maneira diretamente proporcional, já que a distância aumentará quando aumentarmos a velocidade do veículo. A resolução da equação é feita de maneira simples, cruzando as variáveis. Ou seja:

50x = 100 . 75

x = 7500 ÷ 50

x = 150 km

Temos então que, se esse veículo aumentar sua velocidade para 75 km/h, percorrerá, nessa relação, 150 km.

Já quando as grandezas são inversamente proporcionais, o cálculo é feito de maneira semelhante, mas com uma peculiaridade: uma das frações deve ser invertida de modo que seja possível encontrar a razão correta. Um exemplo:

Um veículo a 50 km/h gasta 2 horas para chegar ao seu destino. Se ele aumentar a velocidade para 75 km/h, em quantas horas completará o mesmo percurso?

50 — 2

75 — x

Invertendo uma das frações, temos:

50 — x

75 — 2

Assim, a resolução do cálculo é:

75x = 50 . 2

x = 100 ÷ 75

x = 1,33 h

Isso significa que, para percorrer o mesmo percurso a 75 km/h, o veículo gastará 1 hora e 20 minutos. Lembre-se de que, quando realizamos esse tipo de cálculo, dados de tempo devem ser transformados da base decimal para horas. Ou seja, 0,33 h é igual a um terço de hora, que corresponde a 20 minutos.

Esse tipo de exemplo, mais simplificado, é recorrentemente cobrado nas provas do Enem. Entretanto, é preciso ficar atento para dois pontos.

O primeiro é que nem sempre as relações de proporcionalidade são tão claras assim. Ou seja, é possível que você entenda que exista uma proporção entre duas grandezas, mas fique com dificuldades para descobrir se são grandezas diretamente ou inversamente proporcionais.

Por isso, veja a lista de exercícios de grandezas proporcionais do Stoodi para praticar bastante e não cometer erros no dia da prova!

O segundo ponto é que algumas questões podem cobrar, ao longo do seu raciocínio, o cálculo misto das relações de proporção. Isso significa que, dentro de uma única questão, será necessário calcular grandezas proporcionais diretamente e inversamente ao longo do raciocínio para que se chegue ao resultado desejado.

Gostou do nosso post? Então não deixe de se cadastrar no Stoodi para aprofundar nas matérias! Você também pode assistir às videoaulas para entender mais sobre o assunto!

Beatriz Abrantes

Cursando jornalismo, é apaixonada pela profissão e por inventar receitas em sua cozinha. Faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi, focada em SEO. A Bia adora dançar, participa de ONG’S de proteção aos animais e ama passar tempo vendo filmes. Conheça mais os seus textos!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!