Descubra tudo o que você precisa saber sobre o movimento do barroco!

Constantemente cobrado nos vestibulares e no Enem, o tema barroco é algo que todo estudante deve dominar para obter um bom desempenho nas provas. Isso porque é um assunto que extrapola conceitos literários, envolvendo também parte da matéria de Ciências Humanas, ou seja, é fundamental aprendê-lo e entender qual foi o seu impacto na história.

Vários países ao redor do mundo sofreram fortes influências culturais desencadeadas pela arte barroca. Seja na literatura, seja nas relações sociais, ele foi capaz de criar tendências artísticas que são estudadas até hoje na sociedade.

Sendo assim, leia e entenda mais sobre o contexto histórico do barroco, como esse movimento nasceu, suas influências e o seu legado no Brasil e no mundo!

Barroco significado

Sobre a real origem da palavra “barroco” não há um consenso entre os historiadores, isto é, há mais de uma hipótese acerca de sua criação. Assim, a origem do barroco pode ser a partir:

  • do idioma grego, mais precisamente da palavra “baros”, que significa “pesado”;
  • do termo italiano “barochio”, que, em florentino (um dialeto italiano), indica “fraude” ou “engano”;
  • da própria língua portuguesa, com influência da palavra em latim “verruca”, significando “verruga” ou “irregular”.

Dessa forma, mesmo não sabendo da sua real procedência, o dicionário português, desde o século XVII, define o significado da palavra barroco como sendo uma pérola caracterizada pelo seu formato irregular.

O que foi o barroco?

Criado na Itália, por volta do século XVI e, posteriormente, espalhando-se pela Europa e pelo mundo, o barroco foi um estilo de movimento artístico. Influenciando primeiramente as artes plásticas, o barroco também teve forte tendência na literatura, na arquitetura, na música e no teatro.

A cultura artística mundial sofreu influências barrocas até o século XVIII, sendo que, durante esse período, basicamente tudo o que era produzido de relevante no campo da arte seguia as tendências e os conceitos de tal estilo.

Contexto histórico do barroco

O século XVI foi marcado, historicamente, pela crise dos valores Renascentistas, uma época em que a população questionava os valores cultuados pela Igreja Católica. Com o aparecimento de revoltas religiosas, — sendo a Reforma Protestante de Martin Lutero a principal delas — e, consequentemente, a perda de fiéis do catolicismo, a Igreja Católica viu-se obrigada a retomar o seu poder.

Nesse contexto, surge a Contrarreforma, um movimento católico de resgate às ideias teocêntricas, com o intuito principal de frear a perda de seus fiéis, majoritariamente os que pertenciam à classe burguesa. Inserido nesse cenário, o barroco foi um movimento ensaiado pela Igreja Católica que visava difundir os ensinamentos religiosos por meio da arte.

A partir de então, o barroco europeu se desenvolveu como uma arte religiosa genuína do catolicismo, proporcionado a construção de grandes catedrais, igrejas, palácios, capelas e esculturas de santos.

Características do barroco

Como descrito acima, esse movimento ditou tendências nas mais variadas formas de expressão artística, sendo caracterizado, essencialmente, por carregar um forte viés ideológico.

Características do barroco na literatura:

  • escrita com excesso de mensagens religiosas;
  • linguagem e tom pessimistas;
  • textos com a presença de figuras de linguagem, como metáfora, hipérbole, hipérbato, paradoxos e antíteses;
  • forma textual (rebuscada e ornamentada) mais trabalhada que seu próprio conteúdo;
  • cultismo e conceptismo;
  • poesias marcadas pela instabilidade emocional acompanhada de sentimento de culpa pelos pecados.

Características do barroco na música:

  • ornamentação musical bem elaborada;
  • presença de expressões dramáticas, como na ópera;
  • harmonização entre os vocais e instrumentos musicais;
  • utilização de notas de mesma duração, porém, com intervalos distintos;
  • uso do baixo contínuo.

Características do barroco na arquitetura:

  • monumentos religiosos cheios de curvas e irregularidades;
  • combinação entre a escultura e pintura;
  • aversão a formas retilíneas, utilizando colunas curvadas, que dão a ideia de movimento;
  • obras repletas de extravagância e imponência;
  • riqueza de detalhes.

Características do barroco na pintura:

  • representações de passagens bíblicas e histórias mitológicas;
  • uso de técnicas que dão ideia de profundidade;
  • forte contraste entre sombra e luz;
  • acabamentos muito bem trabalhados;
  • pinturas com expressões sombrias.

Características do barroco como ideologia:

  • emoção sobrepondo a razão;
  • resgate de ideias do teocentrismo (Deus como centro do universo);
  • contestação de conceitos protestantes;
  • reflexão acerca da guerra entre o certo e errado, o bem e o mal, Deus e Diabo.

Barroco europeu

Após o surgimento na Itália, a arte barroca se espalhou para outros países europeus. Assim, ganhou grande projeção em todo o continente. Abaixo, entenda mais sobre o barroco na Europa:

Barroco em Portugal

Portugal, por volta de 1580, atravessava um período de crise social e financeira, refletindo em sua população sentimentos pessimistas, presença de euforia e nacionalismo. Logo, o barroco português nasce como forma de materializar esse contraste, por meio da arquitetura, da música, da pintura e, principalmente, da literatura e do teatro.

Foi durante o século XVII, em Portugal, que a poesia lírica, o teatro de costume e a oratória seca ganharam grande projeção, bem como os gêneros literários. As principais tendências seguidas pelo barroco em Portugal foram os conceitos de conceptismo e cultismo.

O cultismo era o responsável por atribuir aos textos literários uma linguagem culta, rebuscada, explorando o jogo de palavras e a ornamentação estilística. Já o conceptismo trabalhava com o embate de ideias, a sobreposição da racionalidade, o pensamento lógico e exposição de conceitos.

Principais obras do barroco português:

  • peça teatral Guerras do Alecrim e da Manjerona – 1737;
  • Sermão da sexagésima – 1655;
  • Sermão de Santo Antônio aos Peixes – 1654;
  • Sermão do Bom Ladrão – 1655;
  • Obras métricas – 1665.

Principais autores do barroco português:

  • Padre Antônio Vieira – 1608-1697;
  • poeta Gregório de Matos – 1636-1696;
  • poeta Manuel Botelho de Oliveira – 1636-1711;
  • poeta Bento Teixeira – 1561-1618;
  • poeta Francisco Rodrigues Lobo – 1580-1622;
  • escritor Francisco Manuel de Melo – 1608-1666;
  • poeta Josefa de Óbidos – 1630-1684.

Barroco na Itália

O barroco na Itália se destacou na cidade de Roma, onde surgiram escolas de artes que eram famosas pela capacidade de representação do corpo humano de maneira realística, com riqueza de detalhes e busca pela perfeição. Os conceitos do barroco nesse país não eram diferentes dos de Portugal, porém, a Itália se destacou nos campos da pintura e da música barrocas.

Entre as obras que ganharam mais visibilidade na época, está a pintura de Michelangelo, na Capela Sistina, conhecida como “O Juízo Final”, por conseguir retratar de maneira precisa a estratégia do catolicismo em resgatar seus conceitos na sociedade. Vale destacar que Michelangelo é considerado um pioneiro no estilo barroco de pintura.

Principais obras do barroco italiano:

  • pintura A vocação de São Mateus – 1600;
  • pintura Baco – 1595;
  • pintura A ceia em Emaús – 1601;
  • pintura Os trapaceiros – 1594;
  • pintura Crucificação de São Pedro – 1600.

Principais autores do barroco italiano:

  • pintor Gian Lorenzo Bernini – 1598-1680;
  • pintor Michelangelo Merisi, o Caravaggio – 1571-1610;
  • compositor Antonio Vivaldi – 1678-1741;
  • compositor Alessandro Scarlatti – 1660-1725;
  • compositor Giovanni Battista Pergolesi – 1710-1736.

Barroco na Espanha

igreja barroco

Sob forte influência italiana, o barroco espanhol também teve suas características mais expressadas a partir da pintura e da arquitetura. Com predomínio do realismo, o barroco hispânico ficou conhecido por representar a teatralidade na pintura, seja de situações religiosas, seja de cenas cotidianas.

Principais obras do barroco espanhol:

  • pintura As meninas – 1656;
  • pintura Meninos comendo uvas e melão – 1655;
  • pintura A túnica de José – 1630;
  • pintura A rendição de Breda – 1635;
  • pintura Vênus ao espelho – 1651.

Principais autores do barroco espanhol:

  • pintor Diego Velázquez – 1599-1660;
  • pintor José de Ribera – 1591-1652;
  • pintor Francisco de Zurbarán – 1598-1664;
  • pintor Bartolomé Esteban Murillo – 1617-1682.

Barroco na Holanda

A Holanda estava em um bom momento de desenvolvimento econômico durante o século XVII, porém, esse país foi um dos que o protestantismo mais converteu fiéis, diferentemente de Itália e Espanha. Dessa forma, os artistas holandeses tiverem mais dificuldades em desenvolver obras de cunho religioso.

Nesse contexto, o barroco holandês foi caracterizado por pinturas de paisagens e naturezas-mortas, realçando os elementos de descrição e o realismo, sem a preocupação com os padrões de estética clássicos.

Podemo trazer um paralelo sobre a influência da Holanda, com União Ibérica, no período colonal do Brasil. Assim, podemos ver resquícios de sua cultura que foram deixadas no país.

Principais obras do barroco holandês:

  • pintura A ronda noturna – 1642;
  • pintura A sagrada família – 1635;
  • pintura O retorno do filho pródigo – 1669;
  • pintura A noiva judia – 1665.

Principais autores do barroco holandês:

  • pintor Rembrandt Van Rijn – 1606-1669;
  • pintor Peter Paul Rubens – 1577-1640.

Barroco na França

A França, no século XVII, era caracterizada pela sua forte e centralizadora monarquia absolutista (reinada por Luís XIV), sendo o barroco um movimento artístico restrito à família real e aos nobres. Nessa época, a arte barroca francesa ficou conhecida pelo desprezo às pessoas comuns e mais humildes, pois basicamente retratava a realidade da monarquia e os privilégios da alta nobreza.

Naquele país, a arte também sofreu forte influência do pintor italiano Caravaggio, sendo os pintores Nicolas Poussin e Georges de la Tour os principais expoentes da pintura barroca francesa. A música da França também se destacou no período, principalmente pelos concertos e sonatas de Giovanni Battista Lulli, que era o compositor da da corte de Luís XIV.

Principais obras do barroco francês:

  • pintura O recém nascido – 1640;
  • pintura Os pastores de Arcádia – 1639;
  • pintura A morte de Germânico – 1628;
  • pintura Paisagem com Diógenes – 1647.

Principais autores do barroco francês:

  • compositor Jean-Philippe Rameau – 1683-1764;
  • compositor François Couperin – 1668-1733;
  • compositor Giovanni Battista Lulli – 1632-1687;
  • pintor Nicolas Poussin – 1594-1665;
  • pintor Georges de La Tour – 1593-1652.

Barroco brasileiro

A ideologia da Igreja Católica de converter novos fiéis expandiu o continente europeu e foi exportada também para a América Latina. No Brasil, os conceitos do barroco foram inicialmente praticados pelos Jesuítas, com o objetivo de catequização dos indígenas. Entretanto, ele também foi usado como forma de imposição de poder e ferramenta de exploração.

Por o nosso país ser uma colônia de Portugal, naturalmente, o barroco brasileiro sofreu forte influência portuguesa, tendo sua produção artística alavancada principalmente no século XVII, após o descobrimento das minas de ouro e pedras preciosas.

Minas Gerais, por ser o estado onde foi encontrado o maior número de jazidas, e o nordeste, por seu desenvolvimento atribuído à cana-de-açúcar, foram as regiões do país mais influenciadas pela arte barroca.

Barroco em Minas Gerais

As cidades do interior mineiro (principalmente Ouro Preto, Diamantina, São João del-Rei e Mariana) eram caracterizadas pela grande presença de ouro, fato que atraía a atenção da coroa portuguesa. Dessa forma, o barroco, nessas cidades, foi o responsável por construir igrejas com esculturas e pinturas banhadas a ouro, com riqueza de detalhes e beleza única.

Atualmente, muitas obras barrocas ainda podem ser encontradas nas cidades do interior de Minas, sendo consideradas parte de uma importante rota do turismo nacional.

Barroco na Bahia

O estado baiano foi o primeiro a incorporar os conceitos do barroco em sua arte, porque, naquela época, era o centro político e econômico do Brasil, com destaque para Salvador, a então capital do país. O barroco na Bahia também deixou sua marca nas igrejas, caracterizado pelo uso excessivo do ouro em esculturas religiosas e na pintura.

Principais obras do barroco brasileiro:

  • poesia Prosopopéia – 1601;
  • poesia Música do Parnaso – 1705;
  • poesia Eustáquios – 1769;
  • Sermão de Santo Antônio – 1654 ;
  • escultura Os doze profetas e os passos da paixão – Congonhas do Campo;
  • Igreja de São Francisco de Assis – Ouro Preto;
  • Igreja de São Francisco – Salvador;
  • Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos – Mariana;
  • Convento e Igreja de Santo Antônio – Cairu;
  • Concatedral São Pedro dos Clérigos – Recife;
  • Igreja Nossa Senhora do Carmo – Sabará.

Principais autores do barroco brasileiro:

  • escultor, arquiteto e entalhador Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho – 1730-1814;
  • escultor Agostinho de Jesus – 1600-1661;
  • pintor Mestre Ataíde – 1762-1830;
  • pintor e restaurador José Joaquim da Rocha – 1737-1807;
  • pintor José Teófilo de Jesus – 1758-1847;
  • pintor Eusébio de Matos e Guerra – 1629-1692;
  • poeta Frei Manuel da Santa Maria de Itaparica – 1704-1768;
  • poeta Frei Vicente do Salvador – 1564-1636.

Neste material, você viu o que foi o barroco e pôde observar o quanto ele foi impactante ao redor do mundo. Cabe reforçar que esse movimento não se restringiu a manifestações artísticas, mas, também, à propagação da ideologia católica. Ainda, vale destacar a sua interdisciplinaridade: ou seja, esse tema pode ser cobrado em questões que envolvam conhecimentos não só literários, mas também históricos.

Aproveite a leitura e conheça ainda mais dicas de estudo navegando pelo blog do Stoodi. E para reforçar a revisão de hoje, você pode conferir uma videoaula especial sobre barroco e testar seus conhecimentos com os exercícios da seção especial sobre esse estilo!

Beatriz Abrantes

Cursando jornalismo, é apaixonada pela profissão e por inventar receitas em sua cozinha. Faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi, focada em SEO. A Bia adora dançar, participa de ONG’S de proteção aos animais e ama passar tempo vendo filmes. Conheça mais os seus textos!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!