Com ideias e discursos atemporais, Karl Marx foi uma personalidade que deixou obras e teorias que impactam a sociedade até os dias de hoje. Tamanha foi a importância e influência do trabalho deste pensador que é normalmente cobrado no Enem e também nos maiores vestibulares do Brasil. Se você quer conhecer os principais detalhes sobre a biografia de Karl Marx, confira este artigo.

Nele você conhecerá os principais fatos da vida de Karl Marx e seu trabalho com Friedrich Engels. Se você está organizando uma rotina de estudos para gabaritar o Enem e garantir o ingresso em uma boa universidade, confira essa matéria com grande chance de ser abordada na prova de Sociologia. Boa leitura!

Biografia de Karl Marx: resumo

Nascido em 05 de maio de 1818, na histórica cidade de Tréveris, então parte da Alemanha, Karl Marx teve uma vida duplicada. Isso porque, com a adoção dos seus pensamentos como ideais políticos, foi criada uma imagem perfeita (e outra completamente negativa) para contar a história da personalidade que existiu. Afinal, quem foi Karl Marx?

Filósofo, político, economista, sociólogo e jornalista, Karl Marx era filho de judeus da classe média. Ele assistiu ao seu pai se converter ao cristianismo não por ideologia, mas para conseguir exercer a profissão de advogado (na época, o fato de uma pessoa ser judia a impedia de exercer determinadas funções). Anos mais tarde, o jovem Karl Marx entrou na Universidade de Bonn para cursar Direito e lá participou ativamente da política estudantil.

Apesar disso, ele se transferiu para a Universidade de Berlim. Nessa época, dois fatos importantes acontecem:

  1. Marx conhece o pensamento de Hegel (filósofo, professor e reitor da Universidade de Berlim) e se une aos jovens que seguem a filosofia hegeliana, condenando principalmente o estado e a religião;
  2. Marx e Jenny ficam noivos. Porém, tanto a família dele quanto a dela não viam a união com bons olhos e eles só foram se casar 7 anos depois.

O crescente interesse de Marx pelo pensamento de Hegel e sua participação no grupo de esquerda, jovens hegelianos fazem com que ele se transfira para o curso de Filosofia, no qual se doutorou. Entretanto, justamente por concordar com a vertente de Hegel, Marx é impedido de prosseguir na carreira acadêmica, sem ser aceito para lecionar.

Em 1843, Karl Marx se casou com Jenny, com quem teve 7 filhos. Nesse mesmo tempo, ele se mudou para Colônia, onde conheceu Engels e se tornou o diretor do jornal Gazeta Renana (essa amizade se tornou muito importante, pois os dois trabalharam juntos até a morte de Marx). Depois, com o fechamento do jornal, Karl Marx se mudou para Paris.

Além dos 7 filhos que teve dentro do casamento, Karl Marx também teve um filho com a empregada que contratou (e também militante do socialismo), Helena Demuth. Entretanto, ele não assumiu a paternidade nem prestou ajuda à criança.

As publicações de Marx, altamente críticas, depreciavam o governo alemão e isso fez com que os governos de outros países também expulsassem ele, a pedido dos alemães. A numerosa família, que vivia momentos de difícil situação financeira, recebeu a contribuição de admiradores do filósofo e se mudou para Londres, de onde Marx prosseguiu com seu trabalho.

Dois anos após a morte da esposa, Marx teve uma depressão. Ele adoeceu com uma infecção de garganta que o impediu de falar e até mesmo de se alimentar direito. O quadro evoluiu para um agravamento do sistema respiratório e bronquite. Karl Marx faleceu no dia 14 de março de 1883, em Londres, Inglaterra.

Karl Marx e Friedrich Engels

A maior parte das teorias de Karl Marx foram desenvolvidas em parceria com Engels. O trabalho que começou nos jornais em Paris, que publicou, além de muitas de suas teses, vários artigos de Engels. A contrariedade do imperador da Prússia influencia na expulsão dos colaboradores do jornal (entre eles, Karl Marx e Friedrich Engels), que seguem para a Bélgica.

Uma vez instalados, eles progridem com o desenvolvimento de ensaios e teses sobre o socialismo.

Tanto Marx quanto Engels viam o Estado capitalista como defensor dos interesses de uma classe dominante sobre toda a sociedade civil (assegurando assim apenas a vontade da burguesia). A isso, eles nomearam ideologia da classe dominante, que, segundo os trabalhos desenvolvidos, era reproduzida nas diversas relações de poder da época — não apenas do Estado, como até mesmo da própria família.

Marx funda a Sociedade dos Trabalhadores Alemães com o objetivo de fortalecer o movimento operário na Europa. Ele e Engels se unem à Liga dos Justos, que mais tarde se chamaria Liga Comunista, que tinha por objetivo inicial “estabelecer o Reino de Deus na Terra, com base nos ideais de amor ao próximo, igualdade e justiça”. Depois o movimento foi se ressignificando para a famosa luta de classes.

Karl Marx: comunismo

Teorias igualitárias, como as que promoviam a supressão das classes, já existiam desde a antiguidade. Platão, por exemplo, idealizava uma sociedade na qual não existiria a propriedade privada e nem o modelo de família como conhecemos, o matrimônio não existiria e os pais não conheceriam seus filhos, que seriam criados e mantidos permanentemente pelo Estado. O diferencial de Marx foi a ideia da luta de classes.

Marx e Engels apresentam o socialismo científico,; em 1848, desenvolveram o Manifesto Comunista. Nele foi destacada a importância dos operários para a sociedade e observado que, embora os trabalhadores produzam a maior parte da riqueza de um Estado, eles são excluídos dos benefícios dessa produção, que fica nas mãos da minoria burguesa.

É importante salientar que Marx não condena a classe burguesa. Pelo contrário, ele reconhece a importância do papel que essa classe tem e como contribuiu na supressão do estilo feudal. Entretanto, ele e Engels propõem que é o momento de esse modelo dar lugar a uma forma mais igualitária de poder. Para isso, Marx acredita que é preciso que a classe operária se reúna e lute contra a opressão que sofre.

Algumas vantagens do comunismo de Karl Marx são:

  • luta pelo fim da opressão e surgimento de um Estado mais igualitário;
  • dissolução do interesse privado;
  • fim do trabalho forçado;
  • fim do trabalho infantil (que era muito comum na época, principalmente nas fábricas);
  • gratuidade da educação para todas as crianças por meio de uma rede pública de ensino.

Obras de Karl Marx

O capital Karl Marx

Karl Marx teve uma vida e produção intelectual muito grande. Confira agora as principais obras de Karl Marx e veja como elas refletem o que ele estava vivendo na época. Por exemplo, enquanto “O Capital” está voltado para a economia, escrito em uma fase mais madura do escritor, “O Manifesto Comunista integra uma fase de transição, na qual a filosofia já não era mais tão importante, mas ainda conferia forte influência na sua produção.

O Capital (Karl Marx)

Na verdade, é uma coletânea de 4 volumes, e cada um se refere a uma parte do assunto. Nesse livro de Karl Marx, ele aborda:

  • o processo de produção do capital;
  • o processo de circulação desse capital;
  • a globalização dada por meio da produção capitalista;
  • a teoria da mais-valia.

Nessa obra, Marx faz uma crítica ao modelo econômico e político do capitalismo. Enquanto, nos três primeiros livros, o autor apresenta as contradições e falhas econômicas do sistema capitalista, no quarto livro do conjunto ele expõe sua teoria e soluções para os problemas anteriormente apresentados.

O Manifesto Comunista

Escrito em 1848 em parceria com Friedrich Engels, esse livro apresenta a teoria da luta de classes e do materialismo histórico. Após fazer uma investigação científica sobre o trabalho proletário, Marx percebeu a força e a potência da união e organização da classe trabalhadora. Sua proposta com esse livro é, além da exposição de suas ideias sobre como esse processo da luta de classes poderia promover o comunismo, fazer um chamado para a participação dessa classe no movimento.

A publicação do Manifesto, junto de outras circunstâncias vivenciadas no momento, levou Karl Marx a ser reconhecido como o líder do partido comunista, que se apresentou em prol da democracia revolucionária moderna. Nas próprias palavras de Marx nessa obra: “Trabalhadores de todo o mundo, uni-vos!”.

Outros livros de Karl Marx

Veja outras obras de Marx de acordo com suas diversas fases.

Jovem Marx

Obras mais voltadas para a Filosofia. Entre elas, podemos destacar:

  • Diferença da filosofia da natureza em Demócrito e Epicuro (1841);
  • A questão judaica (1843);
  • Miséria da filosofia (1847);
  • A burguesia e a contrarrevolução (1848).

Transição

Nessa fase, as produções deixaram de ser puramente filosóficas para ter um caráter mais voltado para a Economia. Nesse período, não houve publicação de livros e sim de artigos e panfletos como:

  • O 18 de brumário de Luís Bonaparte (1852);
  • Punição capital (1853);
  • A decadência da autoridade religiosa (1854).

Marx maduro

As últimas produções de Karl Marx se dedicaram mais a apresentar seus estudos econômicos. Por exemplo:

  • População, crime e pauperismo (1859);
  • Manifesto de lançamento da Primavera Internacional (1864);
  • Salário, preço e lucro (1865).

Teorias de Karl Marx

monumento karl marx

Marx apresentou diversas teorias que contribuíram tanto com a ideia de um socialismo científico como também para uma reflexão acerca do capitalismo. Algumas das teorias de Marx foram:

Alienação: Karl Marx

A alienação segundo Karl Marx fala sobre o desencontro existente no capitalismo entre o trabalhador e o produto final do seu trabalho. Dessa forma, segundo Marx, o homem perde-se a si mesmo e ao seu trabalho, que é definido pelo pensador como fundamental para a expressão de cada ser humano.

Mais-valia: Karl Marx

Já o termo mais-valia, criado por Karl Marx, é uma teoria que considera o esforço de trabalho e como ele é desvalorizado no sistema capitalista. E é dessa forma que surge o lucro, da diferença do valor entre o trabalho do operário e o produto gerado. Para que isso aconteça, o proletário precisa trabalhar um tempo a mais para suprir as necessidades do capitalista. Em outras palavras, este é um sistema de exploração em que o patrão visa ao lucro.

Materialismo histórico: Karl Marx

O termo materialismo histórico de Karl Marx na verdade não foi nomeado por ele, mas serve para descrever sua teoria que é um contraponto ao idealismo de Hegel. Ela sugere que os homens produzem as condições de suas vidas e, sendo assim, a base da história está ancorada no mundo material. Com isso, Marx defende que as relações de produção devem ser responsáveis pela relação entre as classes sociais.

Frases de Karl Marx

A seguir, apresentaremos algumas citações de Karl Marx e seus significados.

Religião

“A religião é o suspiro da criatura aflita, o estado de ânimo de um mundo sem coração, porque é o espírito da situação sem espírito. A religião é o ópio do povo.”

Para Marx, a religião servia como ilusão, para diminuir o sofrimento do povo, uma espécie de válvula de escape.

Transformação

“Os filósofos limitaram-se a interpretar o mundo de diversas maneiras; o que importa é modificá-lo.”

Para Marx, de nada importava criar teorias se não fosse viável colocá-las em prática.

Comunismo

“Reunião de homens livres trabalhando com meios de produção comuns e, dependendo, a partir de um plano combinado, suas numerosas forças individuais como uma única e mesma força de trabalho social.”

Um resumo dos princípios do comunismo.

Luta de classes

“A história da sociedade até os nossos dias é a história da luta de classes.”

Para Marx, a luta de classes seria a mola-mestra para grandes mudanças materiais, o que, consequentemente, confirma que os trabalhadores seriam fundamentais para criar um novo sistema econômico, político e social, pondo fim ao capitalismo.

Trabalho

“De cada qual, segundo sua capacidade, a cada qual, segundo suas necessidades.”

Essa citação enfatiza a relação entre a necessidade e capacidade de trabalho, atestando o equilíbrio entre a produção e distribuição dos produtos.

Gostou da história de Karl Marx? Agora você já pode assinalar esse tema na sua lista de conteúdos para se preparar para o Enem. Como você viu, além de propor uma luta de classes para o surgimento de um novo modelo social, econômico e político, que superasse diversos obstáculos travados com o capitalismo, Karl Marx também acreditava na instauração desse novo modelo como uma proposta igualitária e mais justa.

Pratique sobre os conhecimentos que você acabou de ver aqui, cadastre-se aqui e faça nossos exercícios sobre Karl Marx!

Beatriz Abrantes

Cursando jornalismo, é apaixonada pela profissão e por inventar receitas em sua cozinha. Faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi, focada em SEO. A Bia adora dançar, participa de ONG’S de proteção aos animais e ama passar tempo vendo filmes. Conheça mais os seus textos!