O processo reprodutivo humano é cercado de detalhes e envolve muitas fases, hormônios e fenômenos associados. Porém, antes de tudo isso acontecer e uma vida ser gerada, é preciso dar início às células responsáveis: os gametas.

Como este é um assunto importante e bastante cobrado nas provas do Enem, no post de hoje, vamos explicar como ocorre a gametogênese, quais são as suas fases e as diferenças entre a masculina e a feminina. Confira!

O que é gametogênese?

A gametogênese é o processo de formação das células reprodutivas, conhecidas como gametas. Ocorre, geralmente, nos organismos com processo reprodutivo sexuado.

Gametas são “veículos” de transferência dos genes para as gerações seguintes, por meio da reprodução. Dessa forma, a gametogênese é o fenômeno biológico de formação dos espermatozoides, no caso masculino, e dos ovócitos secundários, no caso dos seres do sexo feminino.

O principal processo da gametogênese é a divisão celular, conhecida como meiose. Ela reduz pela metade a quantidade de cromossomos presentes em cada célula, de modo que, quando óvulo e espermatozoide se encontram, somam a quantidade correta de cromossomos, dando início a uma vida.

A gametogênese se caracteriza por algumas etapas diferentes. Multiplicação, conhecida como mitose, crescimento e maturação, conhecida como meiose. São distintas em diversos aspectos, quando consideramos os processos que ocorrem em machos e fêmeas.

Gametogênese feminina

A gametogênese feminina, também conhecida como oogênese, ovulogênese ou ainda ovogênese, é o processo responsável pela formação dos óvulos, os gametas femininos.

A ovulogênese é realizada a partir do epitélio germinativo do ovário. São utilizadas células diploides, conhecidas como ovogônias ou ovulogônias. O processo de formação de óvulos se inicia ainda no embrião, por volta do terceiro mês de desenvolvimento do feto.

As ovogônias se multiplicam durante toda a fase fetal do indivíduo feminino. Em seguida, essa divisão é interrompida, diferenciando-se em ovócitos primários. Uma mulher nasce com algo próximo dos 400 mil ovócitos primários, envoltos por várias camadas de células foliculares, o que dá origem aos folículos ovarianos.

Com os folículos desenvolvidos, o ovócito primário chega no fim da primeira divisão meiótica, o que resulta em células de tamanhos distintos. Uma é grande e rica em vitelo, chamada de ovócito secundário. A outra, por sua vez, é pequena e conhecida como corpúsculo polar, que se degenera.

O ovócito secundário, então, dá início à segunda meiose, parando na fase de metáfase II. A continuidade do desenvolvimento do folículo resulta em um aumento de pressão dos líquidos internos, provocando então o seu rompimento. Esse fenômeno é conhecido como ovulação.

Portanto, o que conhecemos como óvulo é, na verdade, o ovócito secundário, que só prosseguirá para o seu segundo processo de meiose em caso de fecundação.

Fases da gametogênese feminina

Todo o processo descrito acima pode ser dividido em três etapas distintas. São elas:

Fase de multiplicação ou proliferação

Nessa fase ocorrem meioses consecutivas, aumentando a quantidade das células germinativas e dando origem às ovogônias. Nos humanos, essa fase tem fim próximo do primeiro trimestre da gestação, de modo que os bebês do sexo feminino já nascem com quase meio milhão de folículos. Essa quantidade é limitada e durará pelo resto da vida da mulher.

Fase de crescimento

É nessa etapa que as ovogônias passam por um grande crescimento. Seu citoplasma é aumentado, acumulando várias substâncias nutritivas para a célula. O depósito de nutrientes no citoplasma da célula é conhecido como vitelo, sendo o responsável pela nutrição do embrião.

Quando se encerra a fase de crescimento, as ovogônias se transformam nos ovócitos primários, também conhecidos como ovócitos de primeira ordem ou, ainda, ovócitos I. Cronologicamente falando, essa fase vai até a puberdade da mulher.

Fase da maturação

De todos os 400 mil ovócitos primários, apenas uma quantidade muito limitada, de cerca de 350 a 400 ovócitos, completarão a transformação em gametas maduros, sendo que isso acontecerá uma vez por mês, um ovócito a cada ciclo menstrual.

A maturação se inicia quando o indivíduo alcança a maturidade sexual, processo que ocorre entre os 11 e 15 anos de idade. A evolução do ovócito secundário, na segunda meiose, só ocorre em caso de fecundação com o espermatozoide. Desse modo, o que conhecemos por óvulo é, na verdade, o ovócito II.

células gametogênese

Gametogênese masculina

A gametogênese masculina é conhecida como espermatogênese e ocorre nas gônadas masculinas, os testículos. São responsáveis pela secreção de testosterona, hormônio sexual que traz as características masculinas, como pelos em maior quantidade, massa muscular, timbre de voz grave, entre outras.

Diferentemente do processo feminino, a espermatogênese acontece durante toda a vida do indivíduo macho. Nos mamíferos, os testículos costumam se posicionar fora da cavidade abdominal. Em uma bolsa escrotal, atingem uma temperatura de cerca de 1ºC a menos que o restante do organismo, ideal para o processo.

Fases da gametogênese masculina

A espermatogênese acontece em quatro fases distintas. São elas:

Fase de proliferação ou multiplicação

Tem início na puberdade, acontecendo de modo contínuo durante toda a vida. As células diploides dos testículos aumentam por meio de mitoses consecutivas, formando assim as espermatogônias.

Fase de crescimento

Nessa fase ocorre um leve acréscimo no citoplasma das espermatogônias, que se transformam em espermatócitos de primeira ordem. São células também diploides e podem ser conhecidas como espermatócitos primários ou espermatócitos I.

Fase de maturação

Assim como as anteriores, é uma fase rápida, correspondente à ocorrência da meiose. Após a primeira divisão meiótica, os espermatócitos primários geram dois espermatócitos secundários cada um. São haploides, apesar de possuírem cromossomos duplicados. A segunda divisão meiótica dá origem a quatro espermátides haploides.

Espermiogênese

Por fim, esse é o processo responsável pela conversão das espermátides em espermatozoides, quando perdem quase todo o seu citoplasma. As vesículas do complexo de Golgi são fundidas, gerando o acrossomo, que se encontra na extremidade anterior dos gametas. Ele é o responsável por perfurar as membranas do óvulo, por meio de enzimas, no processo de fecundação.

Nessa fase, os centríolos migram para a porção posterior do núcleo da espermátide, resultando na formação do flagelo. É essa a estrutura responsável pela movimentação do espermatozoide.

Os fenômenos de gametogênese feminina e masculina são fundamentais para a reprodução de várias espécies, principalmente a humana. E para a prova do Enem, é essencial que você saiba diferenciar os processos masculino e feminino para se dar bem e ter uma boa nota!

Gostou do nosso post? Então não deixe de conferir nosso resumo de Biologia e os exercícios sobre gametogênese! Aproveite também para ver nosso módulo de aulas sobre o assunto!

Renata Celi

Cursando relações internacionais, ama viajar e tomar sol. A Renata faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e faz trabalho voluntário com crianças nas horas vagas. A Rê adora comida, conhecer gente nova, mas, principalmente, ver filmes repetidos. Conheça mais os textos da Renata!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!