O corpo humano pode ser considerado uma incrível máquina biológica, mantendo-se funcional e respondendo a estímulos mesmo nas situações mais adversas. Isso porque o nosso metabolismo —grande responsável pelas reações químicas em cadeia que acontecem em nosso corpo, por meio de um conjunto de reações químicas — consegue reagir e se adequar de acordo com as condições intracorporal e extracorporal.

Nesse sentido, podemos citar como um bom exemplo a ser analisado o fenômeno da hipotermia. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é hipotermia

Mesmo sofrendo alterações ao longo do dia, a faixa ideal de temperatura em que o corpo humano deve se encontrar está entre 36 e 37,5 °C. Esse parâmetro térmico é perfeito para que o metabolismo mantenha suas reações normalmente.

O estado de hipotermia é caracterizado quando a temperatura corporal está abaixo de 35 °C, isto é, quando a perda de calor corpórea é maior que a sua própria capacidade de gerar calor.

A hipotermia pode ser dividida em 3 fases:

Primeira fase

Nessa etapa, a temperatura corporal sofre uma queda entre 1 e 2 graus Célsius, sendo capaz de causar arrepios, alterações na respiração (fica mais rápida) e dormência nas mãos. Ao entrar nessa fase, a pessoa já começa a apresentar dificuldades em realizar tarefas básicas cotidianas.

Segunda fase

A redução de temperatura corpórea está entre 2 e 4 °C, intensificando os arrepios, dificultando os movimentos (ficam mais lentos) e deixando as extremidades do corpo (mãos, pés, nariz, orelhas) azulados. Nesse estágio, a pessoa ainda não apresenta perda de consciência, entretanto, é ela é suficiente para gerar certa confusão mental.

Terceira fase

Na terceira e última fase, surgem sintomas de amnésia (perda de memória) e cessam os arrepios. A respiração e o pulso cardíaco caem consideravelmente, podendo levar a vítima a óbito devido à inatividade celular.

Diferença entre hipotermia e hipertermia

O prefixo “hipo” significa abaixo, já o prefixo “hiper” tem o significado de acima. Portanto, o estado de hipertermia é quando o corpo humano se encontra a uma temperatura muito acima do parâmetro ideal. Logo, hipotermia e hipertermia são processos antagônicos.

Especificando, acima de 40 °C o sistema biológico já começa a entrar em um processo de hipertermia.

Hipotermia: prevenção

O processo de hipotermia mais comum é aquele em que o corpo está sob condições térmicas desfavoráveis. Para isso, há medidas preventivas como:

  • utilizar roupas de frio apropriadas em dias com fortes ventanias e frio;
  • providenciar proteção especial para a região da cabeça, pois é uma das partes do corpo que mais sofrem com a perda de calor;
  • trocar roupas molhadas, já que a umidade elevada é capaz de retirar calor rapidamente;
  • fazer atividades físicas, uma vez que ajudam na circulação do sangue.

Hipotermia: causas

Em sua grande maioria, o que causa hipotermia é a permanência humana em locais onde a temperatura ambiente é muito baixa; em outras palavras, exposição ao frio. Nesse caso, a taxa de calor que o corpo cede ao ambiente é muito maior do que a taxa de calor que o próprio corpo humano gera internamente. Isto é, há um desbalanço agressivo, causando a queda da temperatura a níveis críticos.

Hipotermia infantil

É preciso ter muito cuidado com crianças pequenas, cujo organismo ainda não está preparado para regular a temperatura corporal. Na intenção de combater a febre, muitos pais causam hipotermia em bebês ao darem banho em água muito fria ou em um período maior de tempo.

Outras condições e doenças que causam hipotermia

Existem outras condições e doenças que causam hipotermia:

  • doença no sistema circulatório;
  • diabetes;
  • lesões na medula espinhal;
  • queimaduras;
  • doença de Parkinson;
  • desnutrição;
  • tireoide apresentando baixa atividade (hipotireoidismo);
  • excessivo consumo de bebidas alcoólicas.

menina hipotermia

Hipotermia: sintomas

Os sintomas de hipotermia podem ser separados de acordo com a faixa de temperatura na qual o corpo humano se encontra.

Temperatura entre 33 a 35 °C

  • tremores leves;
  • mãos e pés começam a sentir falta de circulação sanguínea, apresentando dormência;
  • movimentos lentos;
  • cansaço excessivo.

Temperatura entre 30 a 33 °C

  • tremores bruscos e incontroláveis;
  • dificuldades na fala;
  • frequência respiratória e cardíaca diminuem;
  • muita dificuldade em controlar os movimentos do corpo.

Temperatura abaixo de 30 °C

  • perda total do controle dos membros superiores e inferiores;
  • perda dos sentidos;
  • respiração seriamente comprometida, sob risco de parada;
  • iminência de parada cardíaca;
  • perda da consciência;
  • pupilas dilatadas.

Hipotermia: tratamento

Ao constatar que alguém está passando por um processo de hipotermia, há medidas que, se tomadas rapidamente, podem contornar a situação e amenizar as consequências. São elas:

  • buscar primeiramente ajuda médica, chamando uma ambulância;
  • retirar a vítima do ambiente frio e providenciar alguma bebida aquecida;
  • cobrir a pessoa com cobertores ou manta térmica (principalmente os pés e as mãos);
  • retirar as roupas molhadas.

Essas medidas servem para os casos em que a hipotermia foi causada devido à interferência externa. Já para a hipotermia crônica, o tratamento é realizado sob cuidados médicos, como:o que

  • fluidos aquecidos;
  • injeção na veia de solução salina;
  • processo de reaquecimento do sangue;
  • reaquecimento corporal a partir de máscaras e tubos nasais.

Portanto, percebemos a gravidade que a hipotermia representa para a saúde humana, podendo levar em muitos casos ao colapso do corpo humano e consequentemente à morte. Desse modo, estudar sobre suas consequências e tratamentos é muito importante, já que, além de ser matéria de vestibular, saber o que é hipotermia é um conhecimento que pode salvar vidas.

Conheça o Blog do Stoodi e fique por dentro do mundo dos vestibulares. Lá você tem livre acesso a videoaulas e ainda pode testar seus conhecimentos com os exercícios oferecidos na plataforma.

0 Shares:
Você pode gostar também