Ao longo da História, alguns nomes causam um impacto tão grande que são lembrados séculos e séculos mais tarde. Alguns se destacam na política, outros na Literatura e na Filosofia e tantos outros nas artes e na cultura.

Entretanto, pouquíssimas pessoas podem ser consideradas como mestres supremos naquilo que fizeram. Um desses nomes é o de Dante Alighieri. Político, escritor e poeta, o italiano é considerado o “sumo poeta”, um dos gênios de seu período e de todos os séculos.

Quer saber mais sobre essa grande mente italiana da época do Renascimento Cultural? Então continue lendo este post!

Quem foi Dante Alighieri: biografia

Considerado o maior poeta italiano de todos os tempos, Dante Alighieri nasceu na cidade de Florença, provavelmente no dia 25 de maio do ano de 1265. Seu verdadeiro nome é “Durante” e veio de uma importante família da cidade, de grande atuação política.

Filho de Alighiero di Bellincione e Dona Bella degli Abati, Dante teve ótima educação, estudando Letras, Ciências, Artes e Teologia. Fez parte de sua instrução o Trivium, que compreendia as áreas de gramática, retórica e dialética, além do Quadrivium, com música, astronomia, geometria e aritmética.

Quando tinha nove anos, Dante conheceu Beatriz (Beatrice) Portinari, adotando-a como musa inspiradora em toda a sua obra. Ao completar 16 anos, voltou a encontrá-la, presenteando-a com o primeiro de seus sonetos de amor. Entretanto, aos doze anos, Dante se casou com Gemma, esposa que lhe deu três filhos. Prática comum à época, o casamento de Dante e Gemma já estava acertado entre as famílias quando ambos ainda eram crianças. Dante e Beatriz não puderam ficar juntos.

Em 1290, Beatriz faleceu. Dois anos depois, Dante escreveu Vita nuova como um canto de louvor ao seu verdadeiro amor. Em 1302, já atuando como político em Florença, Dante é enviado pela cidade a Roma, junto de mais dois membros do governo. O contexto era de fortes conflitos entre facções a favor e contra a autoridade da igreja e do papa.

O exílio

Quando o papa possibilitou que Dante retornasse à Florença, a cidade se encontrava sob o domínio de Carlos Valois, aliado do papa da época, Bonifácio VIII. No mesmo ano, foi condenado a uma pesada multa, sob a acusação de corrupção no cargo público que ocupava.

Alguns meses depois, sua pena foi modificada, de modo que Dante seria queimado vivo caso continuasse em Florença. Dessa forma, foi exilado e vagou por Verona, Bologna e Ravena, nunca mais retornando à sua cidade natal.

Nesse período, escreveu duas importantes obras: O convívio e De vulgari eloquentia, nas quais defendia várias causas, como o uso da língua vulgar e do acesso de todos à leitura. Além disso, também debateu problemas de dialetos e a própria origem da linguagem.

Dante acreditava veementemente que sua relevância no cenário da literatura seria suficiente para que o exílio fosse revogado e pudesse, então, voltar à Florença. Entretanto, por maior que fosse o sucesso alcançado pelo autor, seu exílio jamais foi encerrado.

Dessa forma, Dante procurou se concentrar na escrita de um tratado político desenvolvido em latim (De Monarchia), um texto utópico no qual sonhava alcançar a justiça no mundo arrebatado pela discórdia.

Entretanto, sua obra mais relevante ainda estava por vir. Inicialmente chamada apenas de Comédia, mais tarde recebeu o adjetivo de Divina, por intermédio do poeta Boccaccio. Este levou em consideração, principalmente, o caráter da obra, sua temática e a forma como se apresentava.

Dividida em três partes, foi instantaneamente reconhecida pelo público desde a primeira publicação. Até hoje o poema épico A divina comédia é visto como referência para escritores, redatores e roteiristas, sendo considerado uma das obras-primas de toda a História.

Dante Alighieri: frases

livro dante aligheri

Por ser um escritor famoso e talentoso do Renascimento Cultural, Dante Alighieri é o autor de diversas frases famosas. Abaixo, algumas delas:

  • “A natureza é a arte de Deus.”
  • “Pois perder tempo desagrada mais a quem mais conhece o seu valor.”
  • “Não há maior dor do que a de nos recordarmos dos dias felizes quando estamos na miséria.”
  • “Com aquela medida que o homem usa para medir a si mesmo, mede as suas coisas.”
  • “No inferno os lugares mais quentes são reservado àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise.”
  • “A fé é a substância de coisas esperadas e o argumento das que não aparecem; e isso parece-me ser a essência da fé.”
  • “Ó respeitável, límpida consciência, como te amarga pequenina falta!”
  • “Não deve o homem, pelo maior amigo, esquecer os favores recebidos do menor.”
  • “Não há dor maior do que recordarmo-nos dos tempos ditosos na adversidade.”
  • “Não se conquista a fama deitado sobre leves plumas.”
  • “O mundo é cego, e tu vens exatamente dele.”

Dante Alighieri: obras

Diversas são as obras de Dante Alighieri que se destacam. Sua grande maioria alcançou status de obra-prima, sendo referência para muita gente até os dias de hoje. Algumas delas são:

  • A divina comédia;
  • Sobre a língua vulgar;
  • O convívio;
  • As rimas;
  • Éclogas;
  • As epístolas;
  • Vida nova;
  • Monarquia.

Entretanto, nenhuma delas é tão famosa quanto A divina comédia. Poema épico, escrito em dialeto toscano nos idos do século XIV, a obra descreve a trajetória da alma do autor, sendo dividido em três partes: Inferno, Purgatório e Paraíso.

Na época em que foi feita, era muito comum que esse tipo de obra fosse escrito em latim. Entretanto, para ajudar na divulgação do italiano, Dante escreveu o poema em seu dialeto natural. O poema conta a história de uma viagem da alma de Dante ao inferno, ao purgatório e ao paraíso, guiado por Virgílio, poeta romano e símbolo da razão, e por sua musa Beatrice.

Ao contrário do que muitos pensam, o poema leva o nome de “Comédia” não por lançar mão de recursos de humor. Na verdade, esse termo é o oposto de “tragédia”. Assim, o próprio nome do poema indica que, no final, a história se desenrolará positivamente para a personagem principal.

Considerado um gênio até os dias de hoje, Dante Alighieri marcou época com suas grandes obras literárias, que influenciam vários artistas atualmente e ao longo da história.

Curtiu nosso post sobre Dante? Então não deixe de ver os artigos sobre Abraham Lincoln, Albert Einstein, Getúlio Vargas e William Shakespeare para se preparar para o Enem!

Beatriz Abrantes

Cursando jornalismo, é apaixonada pela profissão e por inventar receitas em sua cozinha. Faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi, focada em SEO. A Bia adora dançar, participa de ONG’S de proteção aos animais e ama passar tempo vendo filmes. Conheça mais os seus textos!