O sistema nervoso humano coordena e regula todas as atividades corporais. Ele é formado por vários órgãos, cuja função é captar estímulos do ambiente, interpretá-los e elaborar respostas específicas, voluntárias ou involuntárias.

Em outras palavras, o sistema nervoso comanda as ações do organismo, como a respiração, os batimentos cardíacos ou a digestão de alimentos, entre outros. Também é ele que faz com que o corpo reaja a estímulos externos, como cheiros, sons ou imagens, por exemplo.

O sistema nervoso, também chamado sistema neural, é um dos mais complexos da anatomia humana. Continue a leitura de nosso artigo para entender as funções dessa verdadeira rede de comunicação do organismo.

O que é o sistema nervoso?

Uma rede de nervos liga vários órgãos do corpo ao cérebro. São esses nervos que enviam os estímulos ao cérebro, que interpreta a informação e produz uma resposta.

Por exemplo, ao machucar uma parte do corpo, é o sistema nervoso que envia essa informação ao cérebro, que responde com a sensação de dor. Nesse caso, o corpo está respondendo a um estímulo externo.

Outras ações involuntárias, como a respiração, também funcionam sob o comando do sistema nervoso.

Qual a função do sistema nervoso?

Todas as sensações e mensagens motoras ou sensoriais do organismo precisam ser levadas ao cérebro, que envia estímulos específicos a cada órgão. A função é garantir o funcionamento e a integridade do corpo humano.

No exemplo citado acima, sobre a mensagem de dor que o cérebro envia após um machucado, a função do sistema nervoso é proteger o organismo. Se a pessoa não sentir dor, não adotará nenhuma ação para preservar seu corpo. O mesmo acontece com sensações de calor ou frio, fome, ansiedade e medo, entre outros estímulos.

O sistema nervoso também envia comandos para garantir que o coração continue batendo, que os pulmões funcionem, que os alimentos sejam digeridos adequadamente e que o sistema excretor entre em ação. Toda a fisiologia do corpo humano, inclusive o sistema endócrino , é comandada pelo sistema nervoso.

O impulso nervoso é transmitido de uma célula para outra, por meio de fenômenos químicos e elétricos. Na ação elétrica, a informação é enviada para um neurônio, enquanto na química ocorre a transferência dessa informação de um neurônio para outro ou, ainda, para alguma célula muscular. Esse processo é conhecido como sinapse.

crânio sistema nervoso

Divisão do sistema nervoso

Nos seres humanos, o sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e sistema nervoso periférico (SNP). O primeiro é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e o segundo é composto por uma rede de nervos que conecta todo o corpo. Confira os detalhes de cada um deles:

Sistema nervoso central (SNC)

Encéfalo e medula espinhal compõem o SNC. Ambos são envolvidos por membranas de tecido conjuntivo, chamadas meninges, cuja função é proteger o sistema nervoso central.

O encéfalo é o principal centro de controle e comando de ações do organismo. Ele é formado pelo cérebro, cerebelo, bulbo, ponte, tálamo e hipotálamo. Já a medula espinhal é subordinada ao cérebro, embora possa agir de forma independente.

Medula espinhal

A medula é considerada o centro dos chamados arcos reflexos, ou seja, o caminho dos impulsos que provocam as ações involuntárias no corpo humano. Trata-se de um tecido nervoso, que passa por dentro da coluna vertebral, e se conecta ao tronco encefálico.

Cérebro

É o principal órgão do sistema nervoso. Sua camada mais externa, chamada córtex cerebral, é responsável pelo pensamento, visão, audição, tato, paladar, fala, memória e controle dos movimentos voluntários do corpo. Ele está protegido pelas meninges pia-máter, dura-máter e aracnóide.

O cérebro começa a se desenvolver na terceira semana de gestação e é considerado o centro da inteligência.

Cerebelo

Essa estrutura, situada na parte posterior e abaixo do cérebro, responde pelo controle motor. Ou seja, é o cerebelo que garante o equilíbrio, o tônus muscular e a coordenação de movimentos.

Bulbo

Também conhecido como medula oblonga, o bulbo é responsável pela respiração e reflexos cardiovasculares, além de transmitir algumas informações sensoriais e motoras. Sua função, portanto, é vital.

Ponte

Situada entre o bulbo e o mesencéfalo, é uma grande massa ovoide que participa de algumas funções do bulbo, como o controle da respiração. A ponte atua como passagem das fibras nervosas que ligam a medula ao cérebro.

Sistema nervoso periférico (SNP)

O SNP tem a função de conectar todas as partes do organismo ao SNC. Ele é formado por duas categorias de nervos distintos, os cranianos, que saem do encéfalo e transmitem mensagens motoras ou sensoriais, e os raquidianos, que saem da medula espinhal e absorvem os estímulos do ambiente. O SNP pode ser voluntário ou autônomo.

Sistema nervoso autônomo

O sistema nervoso autônomo inclui o sistema nervoso simpático, o sistema nervoso parassimpático e o sistema nervoso entérico. Suas fibras sensoriais e motoras garantem o controle de sistemas vitais, necessários à sobrevivência, como ritmo cardíaco e respiratório, além da homeostase, processo que indica o equilíbrio do metabolismo.

Sistema nervoso simpático e parassimpático

O sistema nervoso autônomo contém dois conjuntos de nervos distintos que controlam os órgãos, embora de forma antagônica. De maneira resumida, os nervos simpáticos colocam o organismo em estado de alerta, diante de situações de estresse. Já os parassimpáticos promovem o efeito inverso, induzindo os órgãos ao relaxamento.

Células do sistema nervoso

O tecido nervoso contém duas categorias de células, os neurônios e as células da glia, ou neuroglia. Essas células, que representam metade do volume encefálico humano, têm a função de sustentar e nutrir os neurônios, além de auxiliar em seu funcionamento. Há mais de um tipo de célula de glia:

  • astrócitos;
  • oligodendrócitos;
  • ependimárias;
  • micróglia, que não é propriamente uma célula, mas, sim, parte do sistema imunológico.

Os neurônios, por sua vez, são as principais células do sistema nervoso humano.

Neurônio

A célula neuronal, ou neurônio, recebe e conduz os impulsos, graças à estrutura de sua membrana. Essas células podem ter diversos formatos, características, extensões e funções, de acordo com o papel desempenhado no organismo.

O núcleo do neurônio é chamado corpo celular ou pericário, e é dele que partem as ramificações. O prolongamento dessas ramificações são os dendritos, que recebem os estímulos nervosos. O prolongamento que conduz o estímulo nervoso é o axônio.

O axônio é projetado do corpo celular e chega a medir mais de um metro de comprimento. Ele é envolvido pela bainha de mielina, uma espécie de camada isolante.

Doenças do sistema nervoso

Existem algumas doenças que podem afetar o sistema nervoso, causando vários danos ao funcionamento do organismo. Isso ocorre porque os neurônios não se dividem. Quando morrem, em função de um traumatismo ou por efeito de toxinas, não são substituídos. Por isso, essas doenças são chamadas neurodegenerativas.

Entre as principais doenças do sistema nervoso podemos citar Alzheimer, Parkinson, esclerose múltipla, acidente vascular cerebral (AVC), epilepsia e doença de Huntington, além de neoplasias e disfunções psiquiátricas. Com o aumento da expectativa de vida da população, o surgimento dessas enfermidades deve se tornar cada vez maior.

Agora que você já conhece as funções do sistema nervoso humano e sabe por que as doenças que o afetam são consideradas neurodegenerativas, continue em nosso blog e confira nossas aulas e exercícios para se aprofundar mais e garantir o melhor desempenho no vestibular.

0 Shares:
Você pode gostar também