A História da Arte é marcada por grandes mudanças e tendências, que guiaram artistas de diferentes épocas por variados estilos. Do clássico ao contemporâneo, esses estilos são um retrato do contexto histórico no qual os artistas estavam inseridos. E, atualmente, é a Arte Contemporânea que está em vigor.

Você sabe quais são as principais características desse estilo artístico e como ele se dá ao redor do mundo? Continue lendo este post para descobrir mais sobre a Arte Contemporânea e seus grandes nomes!

O que é Arte Contemporânea?

A Arte Contemporânea, também conhecida como Arte Pós-moderna, é um estilo artístico que surgiu a partir da segunda metade do século XX, após o término da Segunda Guerra Mundial. Por conta disso, também é chamada de Arte do Pós-guerra, apesar de não ser possível definir um momento exato da sua origem.

Se estendendo até os dias de hoje, faz com que o período seja conhecido como Pós-modernismo, tendo como principal elemento a utilização de técnicas e equipamentos inovadores e tecnológicos para a criação de obras originais.

Em um contexto de pós-guerra, predominava na sociedade um senso de sua reconstrução total, arrasada pelo maior conflito da humanidade até então. Assim, os artistas passaram a buscar novos meios para se expressar, apoiando-se na crescente globalização e no avanço tecnológico e midiático.

Características da Arte Contemporânea

É possível observar algumas características bastante específicas da Arte Contemporânea, principalmente no que diz respeito aos meios de criação das obras. Assim, os principais atributos desse estilo artístico são:

  • abandono dos suportes tradicionais;
  • liberdade e subjetividade na produção artística;
  • influência de uma sociedade permeada pela troca de informações, pelo uso da tecnologia e pelas novas mídias;
  • efemeridade das obras;
  • mescla de diferentes estilos artísticos e criação de conceitos;
  • utilização de materiais diversos na mesma obra;
  • fusão entre as obras de arte e a vida cotidiana;
  • forte aproximação com a cultura pop;
  • questionamentos sobre os conceitos da própria arte;
  • criação de obras interativas, nas quais o espectador participa ativamente.

Arte Contemporânea brasileira

No Brasil, o estilo da Arte Contemporânea começou a ser fomentado também durante a década de 1950, principalmente por meio do movimento de vanguarda do Neoconcretismo.

A Pop Art americana, ao aparecer em todo o mundo, influenciou também a maneira como se fazia arte aqui no Brasil, principalmente nos anos 1960. Neste início, os artistas expressavam fortes críticas à sociedade e à Ditadura Militar, além de referenciar fortemente o Tropicalismo.

Na década seguinte, a arte se afasta dos momentos de contestação política, assumindo uma faceta de reflexão do pensamento, da razão e da tecnologia. A arte tecnológica surge, então, com a Exposição Internacional da Arte por Meios Eletrônicos.

O fim dos anos 1970 incorporou na arte brasileira os anseios do movimento das Diretas Já, retomando o caráter de crítica social e de opinião política, principalmente em exposições como “Tradição e Ruptura”, de 1984 e “A Trama do Gosto”, de 1987, trazidas pela Bienal de São Paulo, além da mostra “A Mão Afro-brasileira”, de 1988, organizada pelo MAM-SP (Museu de Arte Moderna de São Paulo).

Apesar do grande alcance, principalmente pelo uso da tecnologia, a arte brasileira ainda permanece como um privilégio das camadas mais ricas da população e continua sendo veiculada nos grandes centros urbanos, excluindo do processo artístico o interior do país.

Movimentos da Arte Contemporânea

Com um forte caráter globalizado e incluindo diversas formas de se fazer arte, a Arte Contemporânea abarca várias escolas e movimentos artísticos, focados mais na ideia e com o objetivo de se comunicar, preterindo o consumo, como era comum no período anterior da Arte Moderna. Nesse sentido, podemos destacar diversos movimentos e vanguardas contemporâneas, como:

  • Arte Cinética;
  • Arte Conceitual;
  • Arte de Novas Mídias;
  • Arte Digital;
  • Arte povera (poor art);
  • Arte Urbana / Street Art;
  • Body Art;
  • Fotografia;
  • Fotorrealismo;
  • Hiper-realismo;
  • Instalação;
  • Op Art;
  • Pop Art.

Arte Contemporânea: artistas

A pluralidade trazida pela Arte Contemporânea, bem como as inúmeras mídias em que ela pode ser divulgada, fazem com que um grande número de artistas se destaquem. Assim, em um contexto mundial, podemos mencionar nomes como:

  • Andy Warhol (1928-1987): pintor e cineasta estadunidense;
  • Anselm Kiefer (1945-): pintor alemão;
  • Banksy (1974-): artista de rua britânico;
  • Bill Viola (1951-): videoartista estadunidense;
  • Damien Hirst (1965-): escultor, pintor e desenhista britânico;
  • Gerhard Richter (1932-): pintor e artista plástico alemão;
  • Jean-Michel Basquiat (1960-1988): grafiteiro e pintor estadunidense;
  • Jeff Koons (1955-): artista plástico e escultor estadunidense;
  • Keith Haring (1958-1990): artista gráfico estadunidense;
  • Lucian Freud (1922-2011): pintor alemão;
  • Marina Abramović (1946-): artista performática sérvia;
  • Richard Serra (1939-): escultor norte-americano;
  • Takashi Murakami (1962-): pintor e artista digital japonês.

Já no contexto nacional, existem outros vários nomes que podem ser citados, como:

  • Almicar Castro (1920-2002): escultor;
  • Aluísio Carvão (1920-2001): desenhista;
  • Cildo Meireles (1948-): artista plástico;
  • Ferreira Gullar (1930-2016): escritor e poeta;
  • Franz Weissmann (1911-2005): escultor;
  • Hélio Oiticica (1937-1980): pintor, escultor e artista plástico;
  • Hércules Barsotti (1914-2010): artista plástico;
  • Lygia Clark (1920-1988): pintora;
  • Lygia Pape (1927-2004): gravadora, escultora, pintora, cineasta e artista multimídia;
  • Romero Britto (1963-): pintor, escultor e serígrafo;
  • Willys de Castro (1926-1988): artista plástico.

Obras da Arte contemporânea

É impossível citar apenas algumas obras de Arte Contemporânea sem cometer várias injustiças. Entretanto, a título de exemplificação, listamos abaixo uma série de 10 obras famosas do período contemporâneo:

  • Profile, de Kumi Yamashita (1994);
  • Where They Live (Onde Eles Moram), de Guy Laramee;
  • Goldfish Salvation, de Riusuke Fukahori (2012);
  • Double disque évidé par les toits, de Felice Varini (2013);
  • Untitled, de Daniel Arsham;
  • CDSea, de Bruce Munro (2010);
  • Gary (Dennis Busenitz), de Haroshi (2012);
  • Untitled, de Yulia Brodskaya;
  • The Obliteration Room, de Yayoi Kusama (2011);
  • Untitled, de Ahmed Alsoudani (2007).

A Arte Contemporânea surge como uma revolução na maneira como se faz arte, desde meados do século XX. Entretanto, sua grande característica é a mutação, uma vez que, com o surgimento frequente de novas tecnologias e novas mídias, é praticamente impossível conter sua evolução. Dessa forma, os últimos 70 anos trazem uma infinidade de obras e artistas diferentes, que fazem da arte atual uma das mais complexas dos últimos séculos.

Gostou do nosso artigo? Não deixe de conferir, então, nossas aulas de Artes e o post sobre a semana de Arte Moderna de 1922! Estude com a gente para se dar bem na prova de Artes do Enem!

Renata Celi

Cursando relações internacionais, ama viajar e tomar sol. A Renata faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e faz trabalho voluntário com crianças nas horas vagas. A Rê adora comida, conhecer gente nova, mas, principalmente, ver filmes repetidos. Conheça mais os textos da Renata!