Saber como se forma o corpo humano e o mundo que o cerca! Sim, mesmo que você não escolha fazer medicina, biologia ou áreas afins, é preciso entender de que somos formados para concluir o ensino médio. Para bons resultados no Enem, é importante ter bons conhecimentos em histologia — disciplina que estuda a estrutura microscópica, descobrindo a função e qual é a composição dos tecidos vivos.

Se você está estudando para conseguir excelentes notas no Enem, vem com a gente para entender sobre o tecido epitelial. Neste texto falaremos sobre o conceito, qual é a função desse tecido, suas principais características e tipos de classificação. Fique por dentro!

O que é o tecido epitelial?

O tecido que reveste a nossa pele e as cavidades de órgãos é formado por células que ficam bem juntas — por isso a capacidade de formar uma espécie de parede, ou limite — e que não tem muita substância intercelular. Ele é conhecido como epitélio (e suas células, por células epiteliais) ou tecido epitelial.

Nosso corpo ainda é formado para outros 3 tipos de tecido: tecido muscular (responsável por contrair, refletir os estímulos do sistema nervoso e alterar de tamanho), conjuntivo (que dá sustentação, preenchimento e transporta substâncias) e nervoso (formado pelos neurônios, transmite os impulsos nervosos).

Como você deve ter observado, cada um tem uma função que interage ou complementa a do outro tecido, com a formação de células bem distintas.

Células epiteliais

As células do tecido epitelial, são classificadas como epiteliais. Podemos dizer que esse tipo de célula é poliédrica (uma espécie de formação em dimensão 3D). Justamente por ficarem extremamente próximas umas das outras, essa aglomeração favorece o crescimento em um formato padronizado. Como explicaremos mais à frente, essa é uma forma de determinar o tipo do tecido epitelial.

Função do tecido epitelial

A função do tecido epitelial é revestir o nosso corpo e os órgãos, mas também existem outras finalidades. Veja a seguir as principais utilidades dele:

  • proteção: ao revestir o nosso corpo com a formação da pele e também dos órgãos e sistemas, como o respiratório e o urinário;
  • sensibilidade: permite que a nossa pele perceba toque, texturas, temperaturas e outras sensações;
  • absorção: como no intestino, onde o tecido atua assimilando substâncias importantes para o corpo;
  • secreção: produzindo substâncias serosas (aquosas) ou mucosas (espessas), que são fundamentais para o funcionamento de órgãos como estômago, intestino e pulmões;
  • impermeabilização: essencial para a retenção de líquidos, como acontece na bexiga urinária.

Características do tecido epitelial

Entre as principais características do tecido epitelial está o fato de ser avascular, ou seja, não tem vasos sanguíneos. Por isso, as células que compõe o tecido epitelial usam os capilares (vasos sanguíneos) do tecido conjuntivo que está ligado a ele para a sua oxigenação e, também, para receber nutrientes e realizar a remoção de resíduos.

Outro detalhe deste tecido é o fato de as células se organizarem de maneira extremamente aglomerada, o que cria uma organização e um formato específicos. Apesar de não ter vasos capilares, o tecido epitelial possui suprimento nervoso, inervado pelos plexos nervosos da lâmina basal (que também é responsável por realizar a sua nutrição).

Formações do tecido epitelial

O tecido epitelial pode ser classificado de acordo com a forma como ele é formado. Confira a seguir!

Simples

O tecido epitelial simples é formado por uma única camada de células o que o deixa mais fino — as células epiteliais deste tecido têm o núcleo centralizado. Por ter apenas uma camada, ele é normalmente encontrado no revestimento de órgãos como o estômago. Essa característica facilita uma elevada troca de substâncias entre o órgão e seu exterior.

Estratificado

Já o tecido epitelial estratificado tem diversas camadas de células. Nesse caso, a camada mais profunda de células está fixa na membrana basal. De acordo com o formato das células, ele ainda pode se subdividir em:

  • pavimentoso: com uma camada de células achatadas;
  • cúbico: com células em formato simétrico, podendo ser cúbico ou hexagonal;
  • prismático: quando o formato das células é alongado, lembrando o formato de um cilindro;
  • transição: nesse caso, as células originais são cúbicas. Entretanto, para acompanhar a distensão de órgãos que precisam se encher e esvaziar (como a bexiga), a célula muda de formato, ficando achatada.

Pseudoestratificado

No caso do tecido epitelial pseudoestratificado, ele também apresenta uma camada como o tecido epitelial simples, porém, o núcleo de suas células não é centralizado e elas também não têm um formato padronizado. Dessa forma, cria-se uma sensação de que a formação das células do tecido se encontra em diversas camadas, entretanto, é uma ilusão proveniente das alturas diferentes das células.

Um ponto fundamental desse tipo de tecido é que todas as células estão conectadas com a membrana basal.

Tipos de tecido epitelial

Uma forma de classificação é de acordo com a função do tecido epitelial. Contudo, pode existir uma mescla entre eles. Por exemplo, um tecido epitelial que tem a função de revestir, mas que também tem uma finalidade glandular, como a secreção de saliva.

Tecido epitelial de revestimento

O tecido epitelial de revestimento serve para revestir a nossa pele, os órgãos internos e também dutos e vasos sanguíneos. Neste caso, as células são extremamente aglomeradas, criando uma proteção e também apresentando a característica de impermeabilizar.

Tecido epitelial glandular

No caso do tecido epitelial glandular, ele está diretamente ligado à formação das glândulas secretoras (que geram diversas fundamentais para o nosso corpo). Elas podem ser:

  • endócrinas: que produzem hormônios responsáveis por diversas funções no nosso organismo, como a tireoide;
  • exócrinas: excretando substâncias como muco, suor e saliva;
  • anfícrinas: que desempenham as duas funções.

Como você viu neste texto, o tecido epitelial ajuda a formar o corpo humano, com a camada mais externa (pele) e também revestindo órgãos e cavidades. Assim como explicamos, ele é fundamental para proteger o corpo e também ajudar na absorção de substâncias, impermeabilização, secreção e sensibilidade. Para classificar os diversos tipos de tecido epitelial, uma das formas é de acordo com a sua função, mas também pela formação das camadas e formato das células.

Gostou do texto? Então aproveite para se exercitar com nossos exercícios sobre o tecido epitelial. Treine seus conhecimentos e garanta os melhores resultados no Enem!

Renata Celi

Cursando relações internacionais, ama viajar e tomar sol. A Renata faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e faz trabalho voluntário com crianças nas horas vagas. A Rê adora comida, conhecer gente nova, mas, principalmente, ver filmes repetidos. Conheça mais os textos da Renata!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!