Quem está estudando para o vestibular sabe: é preciso conhecer política, História e Sociologia para mandar bem na prova de Ciências Humanas. Identificar os diferentes sistemas que existem na atualidade permite uma ampliação do seu olhar, garantindo excelentes resultados nos exames.

Atualmente, muito se fala em anarquia e seus sistemas diferenciados de sociedade, sobretudo em momentos delicados de política e economia que o mundo está vivendo.

Pensando em ajudá-lo a conhecer mais sobre esse movimento histórico e social, nós desenvolvemos este artigo com as principais informações sobre o anarquismo. Boa leitura!

O que é anarquia?

A palavra anarquia foi originada na Grécia, a partir da palavra anarkhia, que, em tradução livre, significa ausência de governo. Dessa forma, ela é um sistema político que reconhece a importância da autonomia da sociedade, lutando contra os regimes estatais e a autoridade que os governos trazem.

Em outras palavras, é um sistema que defende as bandeiras de autonomia coletiva, horizontalidade nas relações — tanto políticas quanto sociais — e da construção de uma sociedade igualitária, livre de relações de poder. Assim, uma comunidade anarquista tem como base a autogestão e a coletividade para se manter, atuando com uma economia de subsistência.

É importante ter em mente que o anarquismo, embora seja caracterizado pela ausência de governo, não vive sem regras. Existem bases consolidadas para garantir o bom convívio social, permitindo uma vida em harmonia entre todas as populações.

Acontece que os anarquistas defendem a revolução como forma de quebrar com os paradigmas capitalistas, isto é, os ideais que temos atualmente, como consumo em massa, indústria cultural e desigualdade social. Por isso, muitas vezes são estereotipados como pessoas agressoras, invasivas e revoltadas.

Características do anarquismo

Para compreender quais são as características do anarquismo, é preciso retomar a sua história. No início do século XX, principalmente durante a Revolução Russa de 1917, a ideologia da anarquia ganhou diversos seguidores — fortalecida pelos ideais iluministas —, sobretudo os trabalhadores europeus que eram submetidos a longas jornadas de trabalho em sistemas vulneráveis e insalubres.

Dessa forma, com o intuito de conter a revolução, diversos governos e opositores disseminaram a ideia de que o anarquismo era um movimento criado para quebrar com as regras sociais, tirando a ordem e instalando o caos na sociedade.

Assim, a oposição política e social conseguiu consolidar-se ao longo do século XX, colocando o anarquismo de lado e investindo no estereótipo radical. É importante você ter em mente que esse modelo, mesmo que defenda uma sociedade sem governo, não atua de forma desorganizada, como comentamos, mas sim livre de hierarquização e restrições sociais.

Para facilitar a compreensão, listamos as principais características do anarquismo abaixo:

  • é um movimento antiautoritário;
  • baseia-se na perspectiva do humanismo, que defende que os grupos sociais têm capacidade de serem autônomos e organizados sem a hierarquia;
  • preza pela liberdade individual e coletiva, igualdade e solidariedade, isto é, o desenvolvimento do pensamento crítico, as questões econômicas, políticas e sociais e o apoio mútuo entre as pessoas estruturam uma sociedade justa;
  • quer o fim do Estado e seus poderes;
  • critica o capitalismo e suas formas de coação, assim como as classes sociais originadas nesse modelo;
  • é contra a monopolização das propriedades, tanto públicas quanto privadas;
  • exige o senso ético e solidário entre a comunidade;
  •  organiza a sociedade com base nas necessidades de cada comunidade.

muro anarquia

Tipos de anarquismo

Como você já deve ter percebido, a anarquia é um conceito político que rodou o mundo. Por isso, é comum que apresente diversos tipos, já que o movimento é aberto a adaptações para as diferentes culturas.

Assim, mesmo tendo uma ideia central muito clara — quebra do Estado e construção de uma nova regra social —, existem duas vertentes que possibilitam o surgimento dessa nova sociedade: o anarquismo individualista e o coletivista.

Anarquismo individualista

Esse modelo de anarquia afirma que a coletividade pode ocasionar um autoritarismo, colocando, então, as vontades individuais acima dos desejos coletivos.

Em outras palavras, os anarquistas que seguem essa vertente consideram que, quando um grupo com pensamentos em comum se junta, pode exercer uma autoridade sobre os demais, entrando na mesma lógica estatal de que tentavam fugir.

Anarquismo coletivista

Indo por outro caminho, o anarquismo coletivista pensa justamente o contrário: o combate ao controle estatal e às regras do capitalismo só pode acontecer quando existe um coletivo, uma comunidade com interesses em comum.

Ainda, eles afirmam que o anarquismo individualista pode remeter à lógica capitalista, que considera as vontades individuais acima dos desejos do povo. Por isso, a grande maioria adepta ao movimento faz parte do anarco-coletivismo.

Diferença entre anarquismo, comunismo e socialismo

Uma das grandes dificuldades dos vestibulandos é compreender a diferença entre anarquismo, comunismo e socialismo, não é mesmo? Afinal, todos são regimes de esquerda que lutam contra o liberalismo e as ideologias de direita.

No entanto, existem diferenças entre os três, sendo que a principal delas é em relação ao Estado. Enquanto que o socialismo e o comunismo têm a intenção de alterar os poderes do Estado, garantindo mais direitos e deveres para os cidadãos, o anarquismo pretende retirar totalmente a figura estatal e dar esse poder para o povo.

Anarquismo no Brasil

Ao longo deste artigo, você pode conhecer um pouco mais sobre a história da anarquia no mundo, mas como acontece o anarquismo no Brasil? Em conjunto com a Revolução Russa, algumas classes operárias criaram grandes greves em São Paulo e Rio de Janeiro.

A partir desse movimento, surgiu o Partido Comunista Anarquista, que mais tarde transformou-se em Partido Comunista. Além disso, o movimento trouxe resultados concretos para os trabalhadores, influenciando na criação do sindicalismo revolucionário.

Esse sindicalismo é sustentado pelas ideias e princípios anarquistas, lutando pelo direito dos trabalhadores na sociedade atual e garantindo condições de trabalho favoráveis.

Filmes e frases sobre anarquia

Não é nenhum mistério que a arte imita a vida, não é mesmo? Essa relação permite a criação de excelentes conteúdos críticos e didáticos para os estudantes. Afinal, existem diversos filmes, livros e contos que relatam as diversas histórias que aconteceram ao longo da existência humana.

Por isso, muitas universidades aproveitam a deixa para utilizar esses recursos nas suas provas, apresentando filmes clássicos e atuais como forma de contextualização de perguntas relacionadas às Ciências Humanas, além de frases de teóricos anarquistas conhecidos.

Assim, conhecer os principais filmes e frases que retratam a anarquia é uma excelente forma de treinar os seus conhecimentos para o vestibular, além de estudar um pouco mais sobre esse movimento político, econômico e social.

Na lista abaixo, você pode dar uma olhada nas principais frases anarquistas e seus respectivos autores e, em seguida, nos melhores filmes que retratam esse sistema político.

  • “Anarquismo luta pela liberação da mente humana do domínio da religião. Pela liberação do corpo humano do domínio da propriedade. Pela liberação das cadeias e restrições governamentais. O anarquismo luta por uma ordem social baseada na livre associação dos indivíduos”, de Emma Goldman;
  • “Não se pode matar a ideia a tiros de canhão nem amarrá-la”, de Louise Michel;
  • “De maneira permanente, uma sociedade hierárquica só é possível na base da pobreza e da ignorância”, de George Orwell.

V de Vingança

V de Vingança é um clássico filme para retratar a anarquia, sendo que muitos adeptos ao movimento utilizam cenas e vestimentas para simbolizar a liberdade que a anarquia preza.

O longa apresenta a história de V, um homem que luta pela liberdade e igualdade dentro de um sistema fascista e totalitário. Durante um ataque, salva Evey, uma mulher da polícia inglesa que se junta ao movimento para buscar justiça e liberdade para a população.

Os edukadores

Para quem busca um filme diferente, longe da visão norte-americana, Os edukadores é uma excelente indicação. Produzido na Alemanha, o longa conta a história de três jovens anticapitalistas que fazem pequenos movimentos contra o governo alemão.

Embora não deixe totalmente explícito se os jovens são anarquistas, é um filme que possibilita a reflexão sobre o tema, aprofundando e revisando o seu conhecimento.

Você percebe como estudar sobre anarquia é fundamental para garantir bons resultados no vestibular? Afinal, é um tema que pode aparecer em diversas disciplinas. Por isso, revisar bastante o conteúdo e manter-se atento às provas antigas é uma excelente forma para fixar as informações e mandar muito bem nos exames!

E então, gostou do nosso artigo? Aproveite para conhecer o nosso plano de estudos e montar um planejamento eficiente para ter excelentes resultados no vestibular e no Enem!

Renata Celi

Cursando relações internacionais, ama viajar e tomar sol. A Renata faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e faz trabalho voluntário com crianças nas horas vagas. A Rê adora comida, conhecer gente nova, mas, principalmente, ver filmes repetidos. Conheça mais os textos da Renata!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!