Um aluno que está se preparando para a prova de Química para o vestibular e o Enem deve ter um bom conhecimento sobre os principais processos químicos. Entre eles, está a destilação simples. Aproveitaremos este espaço para ensinar sobre esse conceito recorrente nas avaliações e processos seletivos país afora.

Aqui, você encontrará a definição de destilação simples e suas propriedades, além de exemplos que ajudarão a absorver melhor o conceito. Também diferenciaremos os processos de destilação simples e fracionada e falaremos sobre os equipamentos necessários para realizá-los. Vamos lá?

O que é destilação simples?

Quando falamos em destilação, estamos nos referindo a um processo de separação de misturas inorgânicas. Sabe quando esquentamos líquidos como molhos no fogão e eventualmente só sobram os resíduos sólidos daquele composto? Esse é um bom exemplo de destilação.

Portanto, podemos compreendê-la de maneira geral como a separação entre as partes líquidas e sólidas de determinada substância. Ela funciona de acordo com as propriedades físicas de cada composto inorgânico, como sua densidade e temperatura de evaporação.

A característica mais importante na destilação é a volatilidade de cada elemento. Ela diz respeito à forma como cada composto irá se comportar na presença de um ou mais tipos diferentes. Quanto maior a volatilidade, mais fácil será para determinada substância se separar de outras.

No caso específico da destilação simples, trata-se apenas de um número restrito de destilações, que podem facilmente ser reproduzidas em um contexto experimental.

Ela divide os elementos de um composto homogêneo de duas partes em elementos isolados e distintos, mantendo o composto líquido ao estado químico original em que se encontrava inicialmente, mas transformando a outra parte em um material sólido.

Destilação simples e fracionada

O procedimento de destilação normalmente é dividido em dois grandes tipos: o simples o fracionado. Normalmente, a destilação fracionada é reservada para laboratórios de média complexidade, para experimentos em menor escala ou então à produção industrial de determinado produto.

Ambos descrevem basicamente o mesmo processo, a diferença é que, na destilação fracionada, os elementos utilizados têm pontos próximos de alteração em seus estados, ou então é necessário separá-los em estados muito específicos, o que exige uma complexidade maior de equipamentos e técnicas.

A destilação simples, como o próprio nome indica, é mais acessível, sendo comumente reproduzida em laboratórios de escolas, por exemplo. Ainda assim, é necessário ter uma lista de equipamentos bastante especializados para efetivamente realizá-la, ponto que abordaremos a seguir.

Equipamentos para a destilação simples

laboratório de química

Conhecer os equipamentos básicos utilizados em experimentos químicos é parte do conteúdo exigido para estudantes do ensino médio. Conheça alguns dos equipamentos necessários para a destilação simples, quando feita em um contexto pedagógico:

  • conjunto aquecedor composto pelos seguintes elementos: bico de Bunsen, suporte de ferro e uma tela de amianto;
  • manta aquecedora;
  • balão de fundo redondo ou chato, a depender do suporte escolhido;
  • termômetro profissional;
  • mangueiras para entrada e saída dos líquidos e vapores;
  • Erlenmeyer: nome dado ao tubo de vidro em formato de cone e fundo chato, também conhecido como béquer;
  • condensador em formato cilíndrico e reto;
  • garras para fixação dos tubos de ensaio;
  • suporte universal para práticas em laboratório;
  • rolhas feitas de madeira para tampar e abrir as entradas.

Processo de destilação simples

Falamos em destilação simples quando se trata de duas matérias que podem ser separadas, por meio da manipulação de seus estados físicos, entre um composto orgânico e outro líquido. Chamamos de soluto o elemento que pretendemos extrair da composição. O segundo elemento, no qual o primeiro está diluído, é denominado solvente.

Dois processos químicos importantes ocorrem na destilação simples: vaporização e condensação. O primeiro é a transformação de uma substância líquida em vapor, enquanto o segundo é a precipitação dessa substância vaporosa novamente em um estado líquido.

O procedimento de destilação simples ou fracionada, ocorre sempre em etapas. Portanto, é necessário observar o tempo em que cada válvula deve ser aberta ou fechada, para conduzir o vapor de volta ao estado líquido inicial. Além disso, é necessário observar a temperatura do fogo e o tempo de exposição à chama pelo líquido, pois isso pode danificar a substância a ser extraída.

É importante ressaltar também que a destilação simples pode ocorrer apenas em misturas homogêneas, que contenham uma única fase. Para outros tipos de solução, bem mais comuns na natureza e na indústria, é necessário o processo de destilação fracionada.

Exemplo de destilação simples

Uma maneira eficiente de absorver os conteúdos é contextualizá-los em situação do cotidiano, como neste exemplo de destilação simples no dia a dia. O cenário mais corriqueiro é a evaporação de água (H2O) e cloreto de sódio (NaCl).

O sal é solúvel em água, portanto, quando misturados, os elementos ficam indistinguíveis e aparentemente inseparáveis por meios comuns. Entretanto, o conhecimento científico nos informa que a água é muito mais volátil do que o sal, evaporando a uma temperatura de 100°C.

Quando utilizamos o equipamento descrito anteriormente, composto pelos materiais corretos, como vidro para os tubos, é possível separar perfeitamente a água com cloreto de sódio em dois componentes exclusivos. Ao esquentar o recipiente com a substância, a água ali contida irá evaporar e atravessar o mecanismo até o último tubo de ensaio, momento em que ela voltará ao estado líquido por entrar em contato com o vidro em temperatura ambiente.

Aqui vão alguns outros exemplos que ilustram possibilidades de destilação simples:

  • água salgada marítima;
  • enxofre e dissulfeto de carbono, CS2;
  • nitrato de sódio (NaNO3) e água.

Como você pôde perceber, é possível entender o processo de destilação simples quando o separamos em seus componentes. É preciso conhecer a aparelhagem correta a ser utilizada, as condições necessárias para que ele ocorra, as transformações químicas envolvidas e as etapas que se concluem com a separação dos elementos.

Convidamos você a conhecer nossa plataforma de planejamento de estudos! Com ela, você pode organizar sua rotina e se dedicar com eficiência àquelas disciplinas em que precisa focar. Leia também o nosso guia completo para se sair bem na prova do Enem!

Giovanna Pessoa

Estudante de Administração de Empresas, a Gi faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e adora escrever! Ela ama estar em contato com a natureza, ler sobre psicologia, mas acima de tudo, é apaixonada por um cãozinho. Conheça mais sobre os textos da Gi, essa grande escritora que procura crescer cada vez mais em marketing!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!