Entender de que maneira os átomos se ligam para formar os elementos químicos é um dos conceitos fundamentais para quem deseja assimilar bem grande parte do conteúdo de Química. Neste contexto, vale destacar o tema ligação covalente, até porque é uma matéria constantemente cobrada na prova de Ciências da Natureza do Enem e em outros vestibulares tradicionais.

Em vista disso, preparamos um conteúdo explicando para você os principais pontos acerca da ligação covalente, esclarecendo sobre o que é, qual a sua diferença para a ligação iônica, quais os tipos de ligação covalente, exercícios práticos e muito mais. Acompanhe!

O que é ligação covalente?

O termo ligação covalente representa uma forma de ligação química entre átomos em que há o compartilhamento de elétrons entre eles, possibilitando, assim, que ambos alcancem a estabilidade química. É fundamental destacarmos aqui que não há transferência de elétrons, existe apenas o compartilhamento.

Além disso, também é importante mencionar que a ligação covalente ocorre basicamente em elementos que dispõem de 4 a 7 elétrons na camada de valência.

Qual a diferença da ligação covalente para a ligação iônica?

A ligação iônica é aquela em que um átomo precisa perder elétrons para se tornar estável, ou seja, não há compartilhamento eletrônico como na ligação covalente, mas sim, perda de elétron. Como exemplo de ligação iônica, podemos destacar o cloreto de sódio NaCl, em que para ocorrer a sua formação foi preciso o sódio Na perder um elétron para o cloro Cl.

Quais os tipos de ligação covalente?

quatro tipos de ligação covalente: simples, dupla, tripla e a dativa.

Ligação covalente simples

Neste tipo de ligação os átomos do elemento compartilham apenas um elétron. Como exemplo, podemos citar o gás cloro Cl2, no qual os dois átomos de cloro realizam o compartilhamento de um elétron para alcançar assim a estabilidade química.

Ligação covalente dupla

Já na dupla há dois elétrons sendo compartilhados entre os átomos da ligação. De exemplo podemos citar o gás estufa dióxido de carbono CO2 em que cada átomo de oxigênio divide dois elétrons com o átomo de carbono.

Ligação covalente tripla

Seguindo a mesma linha de raciocínio, a ligação tripla é caracterizada pelo compartilhamento de três elétrons entre os átomos. Um bom exemplo é o gás nitrogênio N2, no qual cada átomo de nitrogênio compartilha três elétrons com o outro, possibilitando assim a molécula alcançar a estabilidade química.

Ligação covalente dativa

Também conhecida por ligação coordenada, na ligação dativa, além de ocorrer o compartilhamento de elétrons, essa partilha é realizada na camada de valência.

Além disso, quando há pares eletrônicos disponíveis, é realizada a “doação” do par para o outro átomo da ligação. Como exemplo, podemos destacar o monóxido de carbono CO, molécula essa que apenas consegue se tornar estável por meio da ligação dativa.

Ligação covalente polar

A ligação entre dois átomos é polar quando há dois elementos com eletronegatividades diferentes, sendo assim, nessa ocasião os elétrons não são compartilhados de uma forma igual, já que o átomo com maior eletronegatividade terá mais força para atrair os elétrons que estão sendo compartilhados.

Um bom exemplo de ligação covalente polar é a molécula de HCl. Nesse caso, o átomo de cloro, por ter maior eletronegatividade que o átomo de hidrogênio, atrai com mais força o elétron que está sendo compartilhado, dando origem, assim, a um pólo negativo (consequentemente criando um outro positivo) na ligação.

Como essa matéria pode cair no Enem?

lousa de química ligação covalente

Veja abaixo três questões que abordam o tema ligação covalente e que podem aparecer de forma similar nas provas do Enem.

1) (UEMG-2007) As propriedades exibidas por um certo material podem ser explicadas pelo tipo de ligação química presente entre suas unidades formadoras. Em uma análise laboratorial, um químico identificou para um certo material as seguintes propriedades:

  • alta temperatura de fusão e ebulição;
  • boa condutividade elétrica em solução aquosa;
  • mau condutor de eletricidade no estado sólido.

A partir das propriedades exibidas por esse material, assinale a alternativa que indica o tipo de ligação predominante:

a) metálica

b) covalente

c) dipolo induzido

d) iônica

Resolução

Alternativa correta letra “D”. Os compostos químicos formados pela ligação iônica são caracterizados pelo alto ponto de fusão e ebulição, boa condutividade elétrica quando dissolvidos e mau condutor elétrico no estado sólido. Como exemplo, podemos destacar o NaCl.

2) (UERJ-1998) Apesar da posição contrária de alguns ortodontistas, está sendo lançada no mercado internacional a “chupeta anticárie”. Ela contém flúor, um já consagrado agente anticárie, e xylitol, um açúcar que não provoca cárie e estimula a sucção pelo bebê.

Considerando que o flúor utilizado para esse fim aparece na forma de fluoreto de sódio, a ligação química existente entre o sódio e o flúor é denominada:

a) iônica

b) metálica

c) dipolo-dipolo

d) covalente apolar

Resolução

Alternativa correta letra “A”. Para a formação do flúor (fluoreto de sódio), necessariamente há perda de elétron, caracterizando, assim, uma ligação iônica.

3) (UCS-RS) A tensão superficial é uma propriedade que faz com que um líquido se comporte como uma película elástica. Essa propriedade, verificada em todos os líquidos, explica o fato de que insetos possam “caminhar” sobre a água. As moléculas no interior do líquido mantêm-se unidas pelas forças de atração, que atuam em todas as direções. As moléculas da superfície, no entanto, sofrem apenas atração lateral e inferior, gerando a tensão superficial, o que, por sua vez, dá origem à película elástica. Estão presentes no fenômeno acima descrito interações:

a) dipolo-dipolo permanentes

b) eletrostáticas

c) dipolo instantâneas

d) covalente apolares

e) dativas

Resolução

Alternativa correta letra “A”. As moléculas de água H20 são caracterizadas por terem um dipolo-dipolo permanente, o que as possibilita resistência o suficiente para originar a tensão superficial da água.

Portanto, agora que você já sabe sobre o que é ligação covalente, bem como qual a sua diferença em relação à ligação iônica, vale destacar a importância de fazer mais exercícios, para que assim você consiga fixar melhor a matéria e aumentar as chances de ir bem na prova do Enem.

Quer ter acesso a um material ainda mais aprofundado? Conheça o plano de estudos do Stoodi. Com ele, você pode assistir a várias videoaulas, aperfeiçoar o seu planejamento de estudos e se preparar com qualidade para o Enem!

Giovanna Pessoa

Estudante de Administração de Empresas, a Gi faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e adora escrever! Ela ama estar em contato com a natureza, ler sobre psicologia, mas acima de tudo, é apaixonada por um cãozinho. Conheça mais sobre os textos da Gi, essa grande escritora que procura crescer cada vez mais em marketing!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!