Uma das classes gramaticais mais importantes da língua é a que compreende os verbos: palavras que significam ação, estado e fenômenos da natureza. É, também, uma das mais complexas em termos de variações e flexões, além dos tempos e modos verbais.

Esse não é um conteúdo cobrado por si só nas provas de vestibular ou no Enem, mas é fundamental para seu conhecimento sobre a Língua Portuguesa e a adequação à norma culta da língua. Preparado para adentrar o universo dos verbos?

O que é verbo?

O verbo é capaz de exprimir, como dissemos, ação, estado ou fenômeno da natureza inseridos em um determinado momento e modo. No estudo da Morfologia, essa classe de palavras engloba o maior número de flexões/variações da nossa língua, podendo flexionar-se em:

  • tempo;
  • modo;
  • número;
  • pessoa;
  • voz.

Por isso, um mesmo verbo apresenta várias formas verbais. Veja alguns exemplos:

  • Ele sempre vai ao teatro (ação);
  • Ele está feliz no teatro (estado);
  • Ventou muito no teatro (fenômeno da natureza).

Falaremos mais adiante um pouco mais sobre as flexões/variações e a conjugação de verbos.

Estrutura do verbo

Podemos dividir uma palavra de diferentes maneiras — em sílabas, em letras e em seus morfemas, que são as menores partes significativas usadas na formação de uma palavra. Dividindo o verbo em seus morfemas, podemos verificar as partes em que ele se estrutura. Em uma forma verbal, podemos encontrar:

  • radical;
  • vogal temática;
  • desinência modo-temporal;
  • desinência número-pessoal.

Radical

No radical, encontra-se a significação básica de uma palavra.

  • encontrávamos.

O radical encontr leva à significação básica dessa forma verbal, presente em outras formas verbais (encontrarei, encontrou etc.) e formas nominais (encontrado, encontrando e encontrar).

É bom lembrar que o radical pode ser usado na formação de palavras de outras classes, como o substantivo encontro.

Vogal temática

Indica a conjugação a que pertence o verbo. O radical e a vogal temática formam o tema verbal. Mantendo o exemplo:

  • encontrar.

A vogal temática a indica que o verbo é da 1ª conjugação (A). Verbos terminados em ER pertencem à segunda conjugação e os terminados em IR, à terceira.

Desinência modo-temporal

É a parte do verbo responsável por indicar em que modo e tempo está flexionado o verbo.

  • encontrávamos.

Por esse pedacinho do verbo (-va), é possível saber que ele está no modo indicativo no pretérito imperfeito, assim como outros verbos da mesma conjugação: passeava, dançavam etc.

Desinência número/pessoal

Por essa desinência, é possível saber se o verbo está no singular ou plural (número) e em que pessoa (1ª, 2ª ou 3ª pessoa do discurso).

  • encontrávamos.

Esse pedacinho do verbo (-mos) indica que ele está na 1ª pessoa do plural.

Flexões dos verbos

Como dissemos, os verbos são as palavras com o maior número de flexões da Língua Portuguesa, podendo flexionar-se em tempo e modo, número e pessoa, voz.

Tempo: indica o momento em que o verbo se anuncia, podendo ser no presente, pretérito (passado) ou futuro:

  • Não encontro minha carteira — presente.
  • Não encontrei minha carteira — pretérito.
  • Não encontrarei minha carteira — futuro.

Modo: indica a maneira como o verbo se anuncia, podendo ser indicativo, subjuntivo e imperativo:

  • Comprei um carro — indicativo (afirmação, certeza).
  • Talvez eu compre um carro — subjuntivo (hipótese, dúvida).
  • Compre um carro hoje — imperativo (ordem, conselho).

Número: indica se verbo está no singular ou plural:

  • Faço anotações no caderno — singular.
  • Fazemos anotações no caderno — plural.

Pessoa: indica as pessoas do discurso (1ª, 2ª, 3ª):

  • Faço anotações no caderno — 1ª pessoa (eu).
  • Faz anotações no caderno — 3ª pessoa (ele/ela).

Voz: indica a voz em que verbo se anuncia, podendo ser ativa (sujeito exerce a ação verbal) ou passiva (sujeito sofre a ação verbal):

  • Comprei um carro — voz ativa.
  • O carro foi comprado por mim — voz passiva.

menina estudando verbos

Tempos verbais

Os verbos flexionam-se em presente, pretérito e futuro, sendo que o pretérito e o futuro apesentam variações nos modos indicativo e subjuntivo. Veja, a seguir, um breve esquema para entender (e gravar!) os tempos e modos verbais.

Indicativo

É o modo que indica certeza, afirmação.

Presente — o fato ocorre no momento em que se fala:

  • Preciso de você.

Pretérito — o fato ocorreu antes do momento em que se fala. O pretérito no indicativo apresenta-se como perfeito, imperfeito e mais que perfeito.

Pretérito perfeito — o fato esgota-se no passado:

  • Ele venceu a doença.

Pretérito imperfeito — ou o fato se interrompe no passado ou não se sabe se ele permanece até o presente:

  • Jennifer fazia compras toda semana.

Pretérito mais que perfeito — o fato se esgota completamente no passado em relação a outro marco do pretérito:

  • Pedro deixara a casa quando a esposa chegou.

Futuro do presente — o fato ocorrerá no futuro:

  • Encontraremos a solução do exercício com certeza.

Futuro do pretérito — o fato iria acontecer:

  • Encontraríamos a solução do exercício se não tivéssemos desistido.

Subjuntivo

No subjuntivo, expressa-se dúvida, incerteza ou hipótese. Uma dica é usar as palavrinhas destacadas abaixo na hora de conjugar verbos no subjuntivo.

Presente:

  • Minha mãe quer que eu corra, mas não tenho disposição.

Pretérito imperfeito:

  • Se eu corresse, alcançaria a meta.

Futuro:

  • Quando nós corrermos, seremos salvos.

Conjugações dos verbos

Os verbos são separados em três conjugações verbais (grupos a que pertencem e têm como paradigmas, ou seja, verbos regulares):

  • 1ª conjugação, representada pela terminação AR: cantar;
  • 2ª conjugação, representada pela terminação ER: vender;
  • 3ª conjugação, representada pela terminação IR: partir.

Atenção: o verbo pôr (e seus derivados) encontra-se na 2ª conjugação, pois perdeu a vogal temática E. Antigamente, sua forma era poer.

Classificação dos verbos

De acordo com a conjugação, os verbos classificam-se em:

  • regulares;
  • irregulares;
  • anômalos;
  • defectivos;
  • abundantes.

Veja exemplos dessas palavrinhas que criam tantas dúvidas na hora de escrever!

Regulares

São os verbos que mantêm sem alterações seu radical durante a conjugação. É chamado de paradigma da conjugação: cantar, bater e partir são exemplos.

Irregulares

São os verbos que sofrem alterações em seus radicais durante a conjugação. Por exemplo, faço, fiz e farei. Todos são o verbo fazer, cujo radical é faz-, mas sofrem alteração e se afastam do paradigma.

Anômalos

Alguns gramáticos, como Cegalla, os consideram uma parte dos irregulares. Esses verbos sofrem profundas alterações em seus radicais em nas conjugações, como vou e fui, do verbo ir, em que não há nenhuma marca do radical.

Defectivos

Os defectivos são os verbos que não se conjugam em todos os tempos e modos. Para tirar dúvidas, consulte a gramática, que geralmente traz uma extensa lista desses verbos. Vejamos alguns:

  • o verbo abolir não apresenta a 1ª pessoa do presente do indicativo, assim como demolir, latir e outros;
  • o verbo falir apresenta apenas a 1ª pessoa do plural e a 2ª pessoa do plural no presente do indicativo. No presente do subjuntivo, não há nenhuma forma;
  • verbos que exprimem ação recíproca são usados apenas no imperativo plural: entreolhar-se, chocar-se etc.

Abundantes

São os verbos que apresentam duas formas de infinitivo, podendo ser uma regular e outra irregular, como:

  • Ele havia pagado a conta.
  • A conta não foi paga por ela.

Exercícios sobre verbos

Quer colocar em prática o que aprendeu aqui? Trouxemos dois exercícios para você. Resolva-os e, ao fim do artigo, confira a resposta!

1. (UFV) Preencha as lacunas flexionando os verbos entre parênteses:

I. Quando os fiéis … em pé, o padre começará a missa. (estar)

II. Se ele … a verdade, ficaria espantado. (saber)

III. O padre desejava que o professor … toda a igreja. (ver)

a) estão, soubesse, viste.

b) estiver, souber, vesse.

c) estiverem, sabesse, visse.

d) estiverem, soubesse, visse.

e) estiverem, soubesse, vesse.

2. (PUC-SP) Observe os verbos dizer, rolar e varrer, assim empregados: “dizei-me”, “rolai”, “varrei”.

a) Identifique o modo e a pessoa em que estão conjugados.

b) Mantendo o modo, conjugue os referidos verbos na terceira pessoa do singular.

Então, entendeu o que é verbo e como ele se flexiona? É importante também observar como os verbos funcionam na sintaxe, ou seja, em sua relação com outras palavras nas frases, se precisam ou não de complemento de acordo com o sentido e muito mais! Conheça o plano de estudos do Stoodi e não deixe passar nenhum conteúdo!

Gabarito: 1. d; 2. imperativo, 2ª pessoa do plural; diga-me, role, varra.

Giovanna Pessoa

Estudante de Administração de Empresas, a Gi faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e adora escrever! Ela ama estar em contato com a natureza, ler sobre psicologia, mas acima de tudo, é apaixonada por um cãozinho. Conheça mais sobre os textos da Gi, essa grande escritora que procura crescer cada vez mais em marketing!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!