Aluna usa estratégia e é aprovada em medicina na UFJ

Veja a história da Isabella Gomes, a aluna de 18 anos do Stoodi que montou uma verdadeira estratégia de guerra e foi aprovada em Medicina na UFJ!

A Isa mora em Rio Verde, no interior do estado de Goiás. Começou a estudar em 2017, fazendo um cursinho presencial. Porém, esta não foi a melhor opção para ela, uma vez que não se adaptou muito bem. Além disso, a questão do custo foi muito importante, já que cursinhos online são muito mais em conta.

Prestou os vestibulares em 2017 e não foi aprovada em seu curso. Mas ela não desistiu. Assinou o Stoodi e passou o ano de 2018 inteiro dedicada nos estudos.

“Eu usava o plano de estudos que eles tinham preparado para mim e fui aprovada pelo Sisu, com a cota de escola pública.  Eu gostei muito da organização do Stoodi. Eles deixam tudo pronto ali para você estudar, só não estuda realmente, quem não quer, porque você tem todos os mecanismos para te ajudar”.

Como era sua rotina?

Ela contou sobre sua rotina, e em como estudava aproximadamente 9 horas por dia. “Eu começava a estudar umas 07:30, terminava ao 12h, com 20 minutos para conseguir lanchar. Depois eu volto umas 13:30, e estudava até as 19h. Durante a noite eu trabalhava uma revisão do que eu tinha feito durante o dia”.

O melhor método de estudos para a Isa foram resumos. Ela assistia as videoaulas do Stoodi, pausando para anotar em seu resumos, enfeitados e coloridos, o que aprendia. Além disso, também focava nos exercícios que, segundo ela, ajudaram a descansar a mente.

Aos sábados, Isabella fazia simulados e revisava os conteúdos. Não estudou nenhum domingo do ano. Usava este dia para sair com a família, os amigos, ou simplesmente, descansar.

Quais foram seus desafios

Os principais desafios que ela encontrou nesta jornada foi todo o cansaço que enfrentava. “Eu ficava o dia todo sozinha. Então era só eu e o computador, não tinha muito contato com as pessoas. Isso foi uma dificuldade, porque às vezes a gente se sentia sozinho e, sempre tem aquelas crises de vestibulando que acha que nunca vai conseguir passar, que vai ficar o resto da vida fazendo cursinho. Então acho que essa é uma dificuldade de todo mundo”.

Conciliar a rotina também é algo que incomodou. A Isa contou que passou a metade do ano todo sem entrar nas redes sociais, principalmente o Instagram. “Querendo ou não, a gente passa bastante tempo no celular. Eu evitava o máximo que eu podia. Isso me ajudou muito, me deu muito tempo para estudar, e também para descansar”.

Mas o apoio de seus pais foi fundamental para o seu sucesso. Eles não a cobravam para ter resultados e nem que a aprovação viesse logo. A gentileza deles fez Isabella se sentir confortável para estudar.

Como superar os desafios?

A Isa tem várias ideias para como manter a concentração. Uma das principais dicas é fazer exercícios físicos, pois ficar sentado o dia todo, estudando, é cansativo para o corpo e para a mente. Então, conciliar a rotina com uma academia pode ser uma boa pista.

Além disso, para ela manter o foco, uma de suas principais táticas ela lembrar do que a incomodava. Por isso ela pensava: “Não aguento mais essa vida de cursinho. Não aguento mais estudar todos esses anos. Eu preciso passar”.

A ansiedade de estar na universidade e estar junto de seus amigos era o que trazia à ela motivação de continuar na rotina. “Ver todos os seus amigos na faculdade e você ser a única que não tinha entrado ainda, faz você querer estudar para entrar na faculdade logo e não ficar para trás”.

Segredos e macetes para o Enem

aprovada em medicina ufj

Perguntamos para a Isa qual era o segredo para passar no Enem. O que ela respondeu? Estudar. “É você ir bem na questões fáceis, principalmente em matemática. A minha nota em matemática foi a maior, porque eu resolvi as fáceis. As de “log”, as mais complicadas, não deu tempo de eu resolver, então acabou ficando em branco”.

É aqui que vemos o quão inteligente a Isa foi no dia da prova. Sabia exatamente quais matérias tinham um peso maior para medicina. No caso de seu curso, eram as ciências da natureza. Assim, ela leu a prova e selecionou as questões que eram fáceis para, só depois, voltar nas questões mais difíceis e fazê-las.

Sua tática foi essencial, pois o Enem adota o Sistema TRI, que leva em consideração exatamente isso o que ela pensou.

Mas a estrategista adverte: “Mas o segredo mesmo é estudar. Se você não tiver estudado não vai adiantar você ter esses macetes, porque você tem que estar preparado para a prova, com o conhecimento prévio do que vai cair”.

Resultados

A Isabella acertou 126 questões do Enem, fez 750 pontos, mais a Redação, que tirou 880. “Foi a maior nota que eu tinha tirado nas redações do Stoodi e foi a maior nota que eu tirei no Enem, de verdade”, conta ela.

Para Isa, mesmo se não tivesse sido aprovada na universidade, diz que já teria ficado super feliz com o resultado, afinal, ela tirou sua maior nota do Enem. “A sensação de passar é muito boa. É uma sensação de ser reconhecido todo o seu esforço. É muito bom. Eu aconselho que você continue estudando e não desista”.

Dicas

A Isa ainda deixou umas dicas para quem está estudando para os próximos vestibulares!

“Seja organizado, porque organização é fundamental. Se você está fazendo o Plano de Estudos do Stoodi, siga aquilo como disciplina. Tenha disciplina.

E não se mate de estudar também. Tenha senso. Descanse. Não adianta você estudar, estudar e estudar e não conseguir absorver mais o conteúdo.

Em 2017 teve uma semana que eu passei muito mal, porque eu ficava o tempo todo estudando, não fazia mais coisas. Então acho que isso diminui a imunidade. Eu tive que ir para o hospital. Depois disso acho que eu peguei mais leve e vi que acima de tudo, minha saúde é mais importante do que eu passar e estudar tanto assim”.

Gostou das dicas da Isa? Então venha ser o próximo aprovado do nosso blog e cadastre-se agora na nossa plataforma! Conheça também o plano StoodiMed, focado em ajudar especificamente quem quer estudar Medicina!

Campanha Always On Cronograma