Estudante concilia escola integral com cursinho online e passa na UFPE

Maria Luíza Galindo começava seus estudos às 7h30 e terminava às 22 horas

 

Pensem numa rotina pesada – era mais ou menos assim que funcionava o dia a dia da Malu Galindo. A estudante de apenas 16 anos, que completará 17 logo menos, estudava uma média de 14 horas diárias contando com as suas pausas. O resultado disso foi passar no curso de Publicidade e Propaganda da Federal de Pernambuco.

“ O ano de 2016 foi bem conturbado pra mim. Por estudar numa escola de regime integral, só me sobrava a noite pra revisar os assuntos que tinha dificuldade e avançar no plano de estudos pro ENEM. Eu estudava na escola das 7h30 às 17h, e das 18h às 22h no Stoodi”, revela a recém-universitária.

Malu conta que valeu a pena seguir um cronograma puxado, já que estudar numa faculdade pública sempre foi o seu objetivo e conseguir estudar o curso que ela tanto queria foi a concretização de um sonho.

A maior dificuldade, em sua opinião, foi administrar o seu psicológico. “Segurar a ansiedade e saber lidar com as falhas, sejam elas notas baixas em simulados ou aquele exercício que não entra na sua cabeça, é muito difícil”, conta a estudante.

Segundo a aluna, no próprio dia do ENEM ela ficou nervosa e depois disso ela chorou muito. Conferindo o gabarito oficial, Malu viu que tinha acertado 104 questões e pensou que precisaria de mais um ano de estudos.

Só que o TRI é uma incógnita e para a alegria de todos ela alcançou a nota de corte. “Minha média foi 700,14 e tirei 920 na redação”.

Malu explica que o segredo para mandar bem no ENEM é conhecer bastante a prova – os assuntos que são mais abordados, o tipo de pergunta, além de entender como as “cascas de banana” aparecerão.

Acesse gratuitamente por 14 DIAS mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

“Pra quem vai estudar em 2017, minha dica é: estude mais redação e matemática do que todas as outras disciplinas, independente da sua maior aptidão ou do peso do curso desejado”, afirma a futura publicitária.

Isso porque a prova de matemática costuma ter mais peso na avaliação final e os acertos são favorecidos pelo sistema de avaliação TRI.  Já a prova de redação consiste basicamente em conhecer o modelo proposto pelo ENEM.

Hoje, ela lembra daquela correria com muito carinho. “Estou bastante ansiosa pra começar o curso, e espero que essa nova etapa da minha vida seja repleta de realizações profissionais”, confessa.

Como principal mensagem, Malu insiste para que você não desista. “ Passar numa universidade pública parece inalcançável quando se está no processo, portanto é natural pensar em desistir. É só ter foco e saber parar quando atingir o limite”, conclui a estudante.

Campanha Always On Cadastros