Assunto que é debatido desde quando o nosso país se tornou uma república federativa (no ano de 1889), o desemprego no Brasil é uma questão que envolve uma série de fatores sociais e econômicos. Deste modo, por afetar milhares de pessoas anualmente, a falta de emprego é um tema que precisa ser melhor compreendido.

Pensando nisso, com o objetivo de enriquecer os seus estudos, preparamos um post abordando os principais pontos que explicam o desemprego no Brasil e apontando as suas possíveis causas e consequências geradas na sociedade. Acompanhe!

O que é o desemprego no Brasil?

Quando falamos que uma pessoa está desempregada no Brasil estamos nos referindo a um indivíduo que se encontra em uma idade economicamente ativa e que procura por uma ocupação remunerada, mas não a encontra.

Com isso, é preciso esclarecermos primeiramente um ponto que comumente gera dúvida em muitas pessoas: a classificação de desempregado no Brasil.

Para o governo rotular oficialmente uma pessoa como desempregada, o indivíduo, obrigatoriamente, tem que demonstrar que está procurando por uma ocupação (basicamente estar cadastrado em algum banco de dados público de alocação de empregos, como o Sistema de Nacional de Emprego — SINE).

Em outras palavras, seja qual for a época e a situação econômica do país, a população desempregada no Brasil sempre será maior que a divulgada em números oficiais, até porque nem todo mundo que está desempregado tem a oportunidade ou o interesse de se cadastrar nos sistemas públicos de procura por emprego.

Taxas de desemprego no Brasil

As taxas de desemprego no Brasil sofreram consideráveis oscilações durante a sua história recente (últimos 100 anos), passando por números classificados como bons até dados estipulados como muito preocupantes.

Confira abaixo os números em porcentagem do desemprego no Brasil ao londo dos anos:

  • 2002 – 11,5%
  • 2003 – 12,3%
  • 2004 – 11,4%
  • 2005 – 9,8%
  • 2006 – 10%
  • 2007 – 9,3%
  • 2008 – 7,9%
  • 2009 – 8,0%
  • 2010 – 6,7%
  • 2011 – 5,9%
  • 2012 – 5,5%
  • 2013 – 5,3%
  • 2014 – 4,8%
  • 2015 – 6,8%
  • 2016 – 9,6%
  • 2017 – 12,7%
  • 2018 – 11,6%
  • 2019 – 11,9%

É fundamental ressaltarmos que essa porcentagem representa o número de pessoas que estão em busca de uma ocupação em relação a toda população classificada como economicamente ativa. Para você entender melhor, veja o exemplo abaixo.

Em uma cidade temos cerca de 200.000 habitantes, os quais apenas 100.000 se encontram aptos para desempenhar atividades de trabalho (nomeados como população economicamente ativa).

Dentre esses 100.000 indivíduos, temos a seguinte distribuição:

  • 90.000 estão empregados;
  • 8.000 estão desempregados e cadastrados nos sistemas públicos de busca de emprego;
  • 2.000 estão desempregados, mas não estão cadastrados nos sistemas públicos de busca de emprego.

Neste contexto, o cálculo realizado pelo governo para descobrir a taxa de desemprego dessa cidade será: 8.000/100.000, chegando ao número de 8% de desocupados economicamente.

Entretanto, na prática, o total de desempregados é um pouco maior, já que o cálculo seria de 10.000/100.000, totalizando 10% da população economicamente ativa.

O desemprego no Brasil em 2020

desemprego no brasil

Devido à pandemia do coronavírus, a taxa de desemprego no Brasil em 2020,sem dúvidas, será a maior de toda a sua história, já que milhares de postos de trabalho foram fechados em razão das dificuldades econômicas no mundo.

Outro ponto que merece ser pautado acerca do aumento do desemprego em 2020 no Brasil é que não são apenas os empregos fechados que agravam essa situação, devemos considerar também os postos de trabalho que seriam criados futuramente.

Para termos uma ideia da gravidade da situação, segundo levantamentos preliminares, o desemprego em nosso país no primeiro trimestre bateu incríveis 12,2%.

Causas do desemprego 

São várias as causas do desemprego no Brasil. Tomando como base os anos anteriores a 2020 (já que a principal causa de desemprego neste ano foi devido à crise do coronavírus), os motivos que favorecem a escassez de emprego em nosso país são:

  • redução drástica dos investimentos em setores estratégicos da economia, como o de serviços e indústria;
  • diminuição do poder aquisitivo do brasileiro, o que o obriga a consumir menos e reduzir a circulação de dinheiro no país;
  • substituição de mão de obra por máquinas;
  • baixa capacitação da população (o que é agravado quando os habitantes não têm acesso a uma educação pública de qualidade).

Consequências do desemprego no Brasil

Infelizmente, não são boas as consequências do desemprego no Brasil, os seus impactos são cruéis tanto socialmente quanto economicamente falando. Veja alguns deles abaixo:

  • aumento de índices de criminalidade;
  • aumento da violência urbana;
  • elevação do número de pessoas que estão abaixo da linha da miséria no país;
  • criação e intensificação de subempregos, os quais são caracterizados pela exploração da população;
  • piora da saúde em geral da população, com o avanço de casos de depressão e sentimentos de frustração.

Desemprego no Brasil: redação

Não é novidade para ninguém que a redação do Enem tradicionalmente costuma abordar temas atuais na sociedade brasileira. Em vista disso, podemos afirmar categoricamente que o desemprego no Brasil é um forte candidato para ser tema de redação, não apenas no Enem, mas também em outros vestibulares tradicionais.

Com isso, para desenvolver uma boa redação, o estudante precisa lembrar que, na verdade, é um conjunto de causas (as quais citamos acima) que geram e/ou agravam o desemprego no Brasil.

Além disso, é relevante discorrer na redação (caso esse seja um dos comandos da proposta) e entender os impactos sociais do número de desemprego no país, considerando, assim, os seus reflexos nos índices de pobreza e criminalidade urbana.

Percebemos o quão importante é a análise dos números acerca do desemprego no Brasil, já que esse fator (como destacamos no post) tem potencial para desencadear uma série de outros problemas sociais, impactando principalmente em questões como violência urbana e aumento da população miserável.

Achou legal aprender mais sobre as questões sociais no Brasil? Então conheça o plano de estudos do Stoodi e leia também sobre vários outros conteúdos que podem cair na prova do Enem!

Banner Stoodi Med
Você pode gostar também
ATUALIDADES | Recorde as principais notícias do mês Agosto
Leia mais

ATUALIDADES | Recorde as principais notícias do mês Agosto

O Stoodi ajuda você a lembrar quais foram as noticias da atualidade mais importantes do mês, olha só: 1. Inicio do Horário eleitoral gratuito no rádio e na TV A propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão dos candidatos que irão concorrer às eleições gerais de 2014 começaram. Propaganda...