O primeiro semestre de 2019 foi marcado por dois desastres naturais em Moçambique. Os fenômenos agravaram a situação dos habitantes do país africano, que tanto sofrem com a escassez de recursos.

Embora as notícias tivessem alcançado o mundo todo, não se falou muito sobre o assunto. Por isso, podem restar ainda algumas dúvidas do que se passou na região. Você está curioso para saber? Então, continue lendo este post, pois é sobre esse assunto que trataremos. Confira!

Ciclone em Moçambique

Em março e abril deste ano, houve dois ciclones tropicais que devastaram Moçambique. Isso mesmo! Em menos de um mês após o primeiro, chamado Idai, passou o segundo, batizado de Kenneth.

Os ciclones são definidos como tempestades tropicais originadas em zonas de baixa pressão atmosférica, que pode causar grandes estragos quando chegam ao continente.

Idai

O ciclone Idai atingiu o solo no dia 14 de março, inundando o Malauí, o Zimbábue, a África do Sul e Madagascar, além de Moçambique, onde deixou, pelo menos, 700 mortos e milhares de feridos e desabrigados. Foi considerado um dos piores desastres do hemisfério sul.

Kenneth

No dia 25 de abril, Kenneth chegou ao norte de Moçambique, deixando 45 mortos, mais de 100 feridos e, aproximadamente, 250 mil desabrigados. Os números só não foram maiores porque as autoridades evacuaram mais de 30 mil pessoas antes da chegada do ciclone.

Destruição

Os efeitos dos ciclones foram devastadores. Fora as perdas humanas, as materiais também foram grandes. Mais de 27 mil casas foram parcialmente destruídas e quase 20 mil, totalmente.

No Cabo Delgado, mais de 55 mil hectares de plantações foram afetados, sendo mais de 28 mil completamente devastados. Roupas, comidas, móveis e documentos: a maioria das famílias perdeu tudo ou quase tudo.

Além do que mencionamos, a água e a lama que restaram nas ruas e nas casas são um grande perigo para os habitantes, por conta de doenças, como cólera e malária.

Como ajudar Moçambique

Diversas nações enviaram alguma ajuda a Moçambique, porém, como as condições do país já eram bem precárias antes mesmo dos ciclones, ainda não é o suficiente.

Mas, então, o que podemos fazer? Hoje em dia, é possível colaborar mesmo de longe, apoiando as organizações de ajuda humanitária. Cruz Vermelha e Médicos Sem Fronteiras são bons exemplos de ONGs que trabalham nesse sentido.

Basta acessar o site dessas e de outras organizações para fazer a sua contribuição. Ela é muito importante para que os voluntários possam diminuir o sofrimento das vítimas.

Moçambique passa por uma recuperação demorada e bastante sofrida. Sendo assim, os donativos são redirecionados para a compra e envio de suprimentos, como alimentos, roupas e medicamentos, além de viabilizar o atendimento médico necessário.

mulher moçambique

Sobre Moçambique

Depois de se inteirar sobre os desastres que aconteceram em Moçambique, provavelmente, deve ter surgido um maior interesse pelo país, certo?

A República de Moçambique, como é chamada oficialmente, é localizada a sudeste da África, fazendo fronteira com a Tanzânia, o Malauí, a Zâmbia, o Zimbábue, a Suazilândia e a África do Sul.

História

Quando os portugueses chegaram a Moçambique, por volta de 1500, a região já tinha sua população local formada por caçadores e coletores. Os invasores penetraram às terras em busca de ouro.

Moçambique foi colônia de Portugal até 1975. É por esse motivo que a língua falada é a portuguesa. O país conquistou sua independência por meio de luta que durou mais de 10 anos.

Dados

A população do país é de mais de 20 milhões de habitantes. Mais de 95% é negra e apenas 3,6% é de pessoas com mais de 60 anos. Aliás, a expectativa de vida é de 50,2 anos — para se ter ideia, a do Brasil é de 72,5 anos.

O analfabetismo chega a 60%, sendo que a média de escolaridade é de 1,2 anos, somente. Outro dado alarmante é a incidência de HIV. Nos anos 2000, estimava-se que mais de 12% da população adulta era infectada, chegando até 25% em algumas regiões.

Desenvolvimento

Ao ver os dados mencionados no tópico anterior, já dá para ter uma ideia de que se trata de um país subdesenvolvido. Mas não é somente isso. Moçambique é um dos países mais pobres do mundo. Mais da metade da população vive abaixo da linha da pobreza, que é de cerca de meio dólar americano por dia.

O sistema político é a democracia multipartidária. Os recursos naturais da nação são energia hidroelétrica, gás natural, carvão, minerais, madeiras e produtos piscatórios. Além disso, as principais exportações são: camarões, algodão, caju, açúcar e chá.

Bandeira: Moçambique

O significado da bandeira de cada nação é muito interessante, e o de Moçambique não poderia ser diferente. A flâmula é composta por três faixas horizontais nas cores verde, preta e amarela, que são separadas por linhas brancas finas.

No canto, um triângulo vermelho sobrepõe o colorido, e ao centro dele encontra-se a figura de uma estrela dourada, com um livro no meio, uma arma e uma enxada cruzadas. Quer saber o que cada item significa?

Cores

  • vermelho: luta de resistência e defesa da soberania;
  • verde: riqueza do solo;
  • preto: continente africano;
  • amarelo: riqueza do subsolo (ouro);
  • branco: paz.

Figuras

  • estrela: solidariedade entre os povos;
  • livro: educação para um país melhor;
  • arma: luta armada e defesa do país;
  • enxada: agricultura.

Capital de Moçambique

Maputo é a capital de Moçambique. Também é a maior cidade do país e onde se encontra o centro financeiro, corporativo e mercantil. Ela fica na margem ocidental da Baía de Maputo, extremo sul, perto da fronteira da África do Sul e de Suazilândia.

Uma curiosidade é que, até dia 13 de março de 1976, a cidade tinha o nome de Lourenço Marques, que foi um explorador português. A mudança na denominação veio a partir da independência nacional.

Maputo é conhecida como a Cidade das Acácias. Isso porque é possível encontrar as árvores ao longo de suas avenidas. É também um município portuário, onde ocorrem as principais exportações de carvão, açúcar, copra e madeira.

Moçambique é um dos países mais pobres do mundo, com índice de desenvolvimento baixíssimo. Em 2019, foi devastado por dois ciclones, que aconteceram com pouco mais de um mês de intervalo, piorando a situação de seus habitantes.

Agora que você já está por dentro do que aconteceu em Moçambique, que tal aprender mais? O Stoodi vai ajudar! Entenda o que é geopolítica, apropriação cultural e cultura material. Além disso, confira as nossas videoaulas, planos de estudos, exercícios, que tal? Experimente!

Banner Stoodi Med
Banner_Redação
Você pode gostar também
ATUALIDADES | Recorde as principais notícias do mês Agosto
Leia mais

ATUALIDADES | Recorde as principais notícias do mês Agosto

O Stoodi ajuda você a lembrar quais foram as noticias da atualidade mais importantes do mês, olha só: 1. Inicio do Horário eleitoral gratuito no rádio e na TV A propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão dos candidatos que irão concorrer às eleições gerais de 2014 começaram. Propaganda...