Anticorpos: o que são, estrutura, tipos e mais!

Quem está estudando para o vestibular sabe que os conteúdos de Biologia viral são muito recorrentes nas questões, e seu conhecimento é fundamental para mandar bem nas provas. Um dos temas que mais aparecem nas questões é sobre os anticorpos, mas você sabe o que são eles?

Estruturas essenciais para a manutenção da vida humana, os anticorpos são responsáveis pela defesa do nosso organismo contra patologias externas, como vírus, bactérias e fungos. É por isso que esse é um tema frequente nas provas, e saber o que são anticorpos e qual é sua atuação no nosso corpo garante um melhor resultado para você!

Pensando nisso, preparamos este conteúdo com as principais informações sobre os anticorpos para você revisar o assunto e ter sucesso em todas as questões relacionadas a essa estrutura. Boa leitura!

O que são anticorpos?

Começamos nosso artigo com uma pergunta simples, mas que fundamenta qualquer conhecimento sobre Biologia viral: afinal, o que são anticorpos? Como explicamos, eles são estruturas responsáveis por defender o nosso organismo. Para isso, os anticorpos constituem um conjunto de moléculas de glicoproteínas, chamadas de imunoglobulinas.

Assim, as glicoproteínas atuam de forma a impedir que uma partícula invasora, como vírus, bactérias e fungos, provoque algum dano à nossa saúde. É fundamental ter em mente que eles não atuam em organismos que já fazem parte do funcionamento corporal, como as bactérias do sistema digestivo, mas somente em patologias que entram no corpo por alguma via.

Essas partículas invasoras são chamadas de antígenos e apresentam características distintas dos organismos que mantêm o corpo funcionando corretamente. Quer saber mais sobre a relação entre antígeno e anticorpo? Continue lendo o artigo!

Antígeno e anticorpos

Como você já deve imaginar, os antígenos são aquelas partículas ou substâncias que desencadeiam determinada resposta do sistema imunológico. Em outras palavras, são os agentes invasores que podem provocar problemas de saúde, como gripe, resfriado e reações alérgicas. Assim, a simples presença deles no organismo ativa a produção dos anticorpos.

Por meio dos linfócitos B (glóbulos brancos), o corpo combina as moléculas necessárias para combater os antígenos e produz os anticorpos na quantidade certa para eliminá-los e aprimorar a saúde. É por isso que cada anticorpo atua de maneira específica e é responsável por somente um antígeno.

No entanto, o organismo também produz algo extremamente importante para nossa saúde: células de memórias. Assim, quando o organismo for exposto ao mesmo antígeno duas vezes, o sistema imunológico recupera as células de memória e apresenta uma resposta muito mais rápida e eficiente, fazendo com que muitas vezes você não apresente nenhum sintoma patológico.

Estrutura dos anticorpos

Um tópico muito frequente nas provas são questões sobre a estrutura dos anticorpos. Unindo os conhecimentos de Química e Biologia, os vestibulares conseguem criar questões que envolvem duas áreas diferentes do conhecimento para testar sua aprendizagem. Para compreender o funcionamento da estrutura, precisamos prestar atenção aos seguintes pontos:

  • os anticorpos são montados com uma estrutura física semelhante a um Y;
  • existem quatro unidades que os formam, divididas entre pesadas e leves, sendo que cada proteína apresenta duas cadeias leves iguais e duas pesadas idênticas;
  • cada cadeia é ligada por pontes dissulfeto;
  • podemos chamar as cadeias de polipeptídicas, pois são compostas por aminoácidos.

Essa estrutura primordial é responsável por se ligar aos agentes patogênicos e proteger as células da infecção. É por isso que cada anticorpo é produzido especificamente para um novo antígeno, transformando sua estrutura e quantidade de proteínas para apresentar melhor eficácia de proteção orgânica.

anticorpos

Tipos de anticorpos

Para concluir o conteúdo, não poderíamos deixar de falar sobre os diferentes tipos de anticorpos. Afinal, frisamos bastante ao longo do artigo a importância de reconhecer que o organismo produz as imunoglobulinas de acordo com o agente antígeno que invade o corpo humano.

Para tanto, separamos a seguir os cinco tipos de anticorpos produzidos pelo organismo, lembrando que a classificação é feita a partir do tipo de cadeia apresentada pela molécula. Confira!

Imunoglobulina A (IgA)

O primeiro anticorpo que apresentamos para você é um dos mais simples, mas extremamente importante para a proteção orgânica. Ele está presente em diferentes secreções, como saliva, lágrima, leite materno, suor, trato respiratório, suco gástrico e mucosas do sistema gastrointestinal e geniturinário.

Dessa maneira, ele é encontrado nas principais regiões pelas quais os agentes invasores entram no nosso organismo, visto que muitas patologias virais e bacterianas são desenvolvidas a partir do contato com mucosa, pela via respiratória e pelo tecido epitelial.

Imunoglobulina D (IgD)

A imunoglobulina D é um anticorpo que raramente aparece nos vestibulares, isso porque a ciência ainda não descobriu todas as suas funções e desconhece como ocorre sua luta contra os antígenos.

Uma responsabilidade conhecida é a ativação de outras células do sistema imunológico. Além disso, é fundamental ter em mente que ela é encontrada no sangue e apresenta baixas concentrações no corpo humano.

Imunoglobulina E (IgE)

Você já teve alguma reação alérgica? Se a resposta for positiva, com certeza já vivenciou o desconforto que ela causa. Uma das melhores formas de combater as alergias é por meio da imunoglobulina, responsável por agir contra os antígenos que provocam estranhamentos hipersensíveis no corpo.

Para tanto, ela está presente nos mastócitos, eosinófilos e basófilos, componentes do tecido conjuntivo. Além disso, elas são extremamente úteis no combate contra parasitas helmintos, como Taenia solium e Ascaris lumbricoides.

Imunoglobulina G (IgG)

Diferentemente de IgD e IgE, a imunoglobulina G é produzida em larga escala a partir do reconhecimento do antígeno. Assim, ela é capaz de neutralizar as toxinas responsáveis por um processo inflamatório e preservar o corpo contra hiper sensibilizações.

Vale lembrar que essa proteína é a única capaz de atravessar a placenta e proteger todo o desenvolvimento fetal, impedindo que patologias que acometem a gestante atuem contra o bebê. Por isso, ela está presente no sangue e no sistema linfático, aumentando sua produção quando ocorre a fecundação.

Imunoglobulina M (IgM)

Encontrada no ambiente intravascular, esse anticorpo também é produzido em grande quantidade. No entanto, esse aumento só ocorre quando o organismo está nas fases iniciais da patologia, para evitar seu desenvolvimento. Assim, ele é responsável por receber os antígenos e atuar contra a entrada deles nas células.

É por isso que muitos médicos solicitam exames de imunoglobulina M. Afinal, por estar presente no meio intravascular, é possível avaliar a quantidade de produção e realizar um diagnóstico mais fidedigno. Nesse sentido, o profissional consegue perceber a presença de uma infecção recente quando o corpo apresenta altos níveis de IgM.

Ao longo deste conteúdo, você pôde conhecer o que são anticorpos e como eles funcionam. Para se sair bem nas provas, lembre-se de revisar o conteúdo e realizar diversos exercícios de Biologia e Química para fixar tudo o que foi aprendido, combinado? Assim, você garante excelentes resultados e ingressa na tão sonhada graduação!

E aí, o que achou do artigo? Então, conheça o nosso plano de estudos para organizar sua aprendizagem e ter ótimos resultados nas provas!

Você pode gostar também