Na Biologia, podemos classificar os seres vivos de acordo com inúmeras características e aspectos de seus organismos. Entretanto, há uma classificação geral muito importante, mas de que nem todo mundo tem conhecimento, feita considerando a forma como os seres obtêm a energia necessária para sobreviver.

Nesse sentido, podemos separar os organismos vivos em, basicamente, dois grandes grupos: autótrofos e heterótrofos. Enquanto os primeiros retiram a energia que precisam para viver da luz do sol, o segundo grupo se alimenta de outros seres vivos.

Quer saber mais sobre seres autótrofos e heterótrofos? Então continue lendo este post!

O que são seres autótrofos?

Os seres autótrofos, também conhecidos como autotróficos, são aqueles organismos vivos que conseguem obter a energia e os nutrientes necessários para sua sobrevivência por meio da luz solar, no processo de fotossíntese.

O termo autótrofo tem como origem o grego, em que auto significa si próprio, si mesmo, e trophos é a palavra usada no sentido de alimentar. Ou seja, um autótrofo é o ser que consegue alimentar a si mesmo.

São considerados autótrofos organismos vegetais, algas e algumas bactérias. Dentro da cadeia alimentar, são esses os seres que ocupam a base, servindo de alimento para os organismos que não conseguem produzir o seu próprio alimento, chamados de seres heterótrofos.

Na cadeia alimentar, os autótrofos apresentam características de seres produtores, enquanto os heterótrofos são chamados de consumidores ou decompositores, dependendo do papel que desempenham no ecossistema.

Fotossíntese

Fotossíntese é o processo pelo qual os seres autótrofos vegetais sintetizam seus nutrientes, formando as moléculas de glicose que construirão suas células e manterão seu metabolismo.

Consiste em um fenômeno químico no qual a energia da luz é transformada em energia química a partir de várias reações complexas. É considerado o processo mais básico de transformação energética no planeta. As células vegetais transformam, então, CO2 (dióxido de carbono) e H2O (água) em glicose.

As moléculas de clorofila, presente nas folhas verdes de plantas, absorvem a luz e quebram a água, liberando assim o oxigênio e o hidrogênio. A seguir, o hidrogênio se une ao CO2, resultando na formação da glicose.

A fotossíntese é um processo que acontece em organelas específicas das células vegetais, chamadas de cloroplastos. É nela que se localiza a clorofila, um pigmento verde especial que dá essa cor às plantas e é responsável pela absorção da luz solar.

Essa luz, ao ser absorvida pelas plantas, tem duas importantes funções na fotossíntese:

  • impulsionar a transferência dos elétrons;
  • gerar um gradiente de prótons, necessário para a formação da energia (ATP).

Quimiossíntese

ferrugem autótrofo e heterotrofo

Além da fotossíntese, existe um outro procedimento adotado por organismos autótrofos para gerar energia. É a quimiossíntese, conhecida como fotossíntese das bactérias. Nada mais é do que a produção de matéria orgânica a partir do processo de oxidação de minerais, sem precisar de luz solar.

Os organismos capazes de realizar a quimiossíntese são algumas poucas bactérias, chamadas de quimiossintetizantes, que, geralmente, existem nos ambientes completamente desprovidos de luz ou de matéria orgânica.

A obtenção de energia ocorre por meio de oxidações inorgânicas, o que faz com que seja possível obter matéria orgânica ao oxidar substâncias minerais. As principais bactérias que atuam nesse processo são as ferrobactérias, capazes de oxidar ferro, as sulfobactérias, que oxidam enxofre, e as nitrobactérias, que oxidam o nitrogênio.

Nesse processo, a produção da matéria orgânica se dá a partir de gás carbônico, água e outros elementos não-orgânicos. Se comparada à fotossíntese, a quimiossíntese apresenta resultado muito menor. Apesar disso, é fundamental para o Ciclo do Nitrogênio, ajudando na fixação do mesmo no solo e nas plantas, contribuindo para a sobrevivência desses organismos.

O que são seres heterótrofos?

Diferentemente dos seres autótrofos, os organismos heterótrofos não são capazes de produzir seu próprio alimento, sendo necessário consumir outros seres vivos para se manterem. Eles aproveitam as fontes de carbono que constituem outros seres, como plantas e animais.

Na organização do fluxo de energia e nas cadeias alimentares, os seres heterótrofos são aqueles que atuam como consumidores. Dependem, direta ou indiretamente, da atuação dos seres autotróficos.

Nesse caso, os animais herbívoros são considerados consumidores primários, já que se alimentam diretamente de plantas, organismos autótrofos e produtores dentro da cadeia. Já os animais carnívoros são chamados de consumidores secundários, uma vez que costumam se alimentar dos herbívoros.

Dessa maneira, uma corça pode se alimentar de gramíneas e servir de alimento para um leão, por exemplo. Nesse caso, a grama é um organismo produtor, enquanto a corça é o consumidor primário e o leão, o consumidor secundário. Assim, pode-se dizer que, mesmo indiretamente, o leão depende da produção autótrofa das plantas.

Tipo de alimentação

No caso dos seres heterótrofos (ou heterotróficos), o tipo de alimentação e obtenção de energia varia muito de espécie para espécie. Além dos herbívoros e carnívoros, podemos ainda encontrar os animais onívoros, que se alimentam tanto de vegetais quanto de outros animais (como o morcego e o próprio ser humano).

Já aqueles que se alimentam de restos de organismos mortos, como urubus e hienas, são chamados de detritívoros. Por fim, ainda existem os hematófagos, que se alimentam exclusivamente do sangue de um animal, como os parasitas (pulgas, piolhos e carrapatos).

Na complexa organização da natureza, cada organismo ocupa seu espaço e tem um papel bem definido. Assim, é possível visualizar esse grande sistema como um fluxo contínuo de energia, que vai se acumulando no decorrer da cadeia alimentar. Assim, os seres produtores conseguem gerar energia por meio da fotossíntese. Os consumidores primários se alimentam dessa energia gerada, ao se alimentarem de plantas e demais produtores.

Na sequência da cadeia alimentar, esses consumidores primários servem de alimento para os secundários. Estes, por sua vez, estão então consumido tanto a energia armazenada do próprio animal herbívoro quanto a do organismo produtor, que serviu de alimento anteriormente. O ciclo continua e o fluxo de energia vai sendo passado adiante, até retornar ao ponto inicial.

E aí, conseguiu aprender o que são seres produtores e consumidores? E a diferença entre os seres autótrofos e heterótrofos? Esses conceitos são essenciais para quem está estudando Biologia, principalmente para a prova do Enem!

1 Shares:
Você pode gostar também