Você já parou para pensar sobre o que é infarto? Esse fenômeno médico é muito comum na população, sendo que 17,5 milhões de pessoas no mundo morrem em função de complicações cardíacas.

Por isso, esse tema sempre faz parte das questões dos grandes vestibulares. Entender o que ele é, quais são seus sinais, sintomas e fatores de risco é fundamental para realizar uma boa prova e entrar no curso superior!

Além disso, prestar atenção às suas principais características é importante para preservar a própria saúde e conquistar mais qualidade de vida! Pensando nisso, compartilhamos as principais informações sobre o infarto com você para garantir excelentes estudos e uma ótima nota nas provas. Confira!

O que é infarto?

Para compreender o que é infarto, precisamos retomar o funcionamento do sistema cardiovascular. Como você deve saber, o coração é uma bomba que mantém o funcionamento do fluxo sanguíneo, essencial para a preservação do nosso organismo. Por meio de contração e dilatação muscular, o órgão estimula a circulação do sangue.

Assim, por meio da aorta, maior artéria que temos no corpo, o sangue oxigenado é enviado para o sistema circulatório, que, por sua vez, carrega o oxigênio e diversos nutrientes até outros órgãos.

Além disso, o próprio coração precisa irrigar seu músculo cardíaco, responsável por todas as contrações e dilatações que garantem a movimentação sanguínea.

Essa irrigação é feita pelas artérias coronárias, ramificações da aorta. Quando elas estão saudáveis, o corpo funciona normalmente, irrigando todos os órgãos e garantindo a manutenção do organismo. No entanto, é possível que o calibre das artérias esteja reduzido, causando uma aterosclerose e provocando uma reação inflamatória nessa região.

A redução do calibre arterial pode ocorrer por diversas razões — que explicaremos nos próximos tópicos — e causa o acúmulo de diversas placas de gordura. Elas, por sua vez, podem concentrar moléculas de cálculo e células mortas, comprometendo o funcionamento do músculo cardíaco.

Qual é a consequência de tudo isso, então? Com o passar do tempo, as placas podem ser fissuradas ou lesionadas, causando o acúmulo de plaquetas na região — já que elas são responsáveis por proteger nossos vasos sanguíneos. Assim, o corpo produz um coágulo nas artérias, conhecido como trombo, e impede que o sangue passe na região.

Com esse cenário, podem acontecer duas consequências graves:

  • insuficiência de irrigação, chamada de isquemia;
  • interrupção da circulação sanguínea, conhecida como infarto.

Nesse sentido, o infarto nada mais é do que o fenômeno de finalização da movimentação do sangue no músculo cardíaco, fazendo com que ele não receba oxigênio e nutrientes para funcionar.

infarto

Fatores de risco

Você lembra que comentamos sobre a existência de diversas razões para o infarto acontecer? Pois é, chamamos esses motivos de fatores de risco. Eles são aqueles fenômenos, patologias ou características de determinada pessoa que facilitam o desenvolvimento de um infarto, colocando em risco a saúde do paciente.

Existem uma série de acontecimentos que podem provocar o infarto, desde características genéticas até fatores comportamentais, como alimentação e atividade física. A seguir, elencamos quais são eles para você:

  • colesterol elevado: o aumento do LDL (conhecido como mau colesterol) facilita a formação de placas nas artérias;
  • tendências genéticas e hereditárias: problemas cardíacos e hipercolesterolemia familiar também são fatores de risco;
  • hipertensão: a pressão alta causa danos na parede das artérias e aumenta a dilatação do coração;
  • diabetes: pode potencializar a aterosclerose e aumentar o risco de fissuras nas placas arteriais;
  • má alimentação: o grande consumo de gorduras trans e o excesso de açúcar e carboidrato na dieta podem aumentar o nível de triglicérides e gerar resistência à insulina;
  • obesidade: o aumento do peso demanda um esforço maior do coração, elevando o risco de desenvolver outras patologias relacionadas à doença coronariana;
  • estresse: a tensão e a falta de sono liberam diversos hormônios que provocam um efeito inflamatório no corpo, podendo atingir o coração;
  • sedentarismo: a falta de atividade física diminui o esforço do coração e aumenta o risco de hipertensão, obesidade, estresse, colesterol alto e hiperglicemia;
  • tabagismo: as substâncias presentes no tabaco aumentam a aterosclerose e provocam a contração das artérias, exigindo maior esforço do coração;
  • idade: homens acima de 45 anos e mulheres acima de 55 anos já fazem parte do grupo de risco, sendo que nas mulheres a menopausa pode aumentar o risco cardiovascular;
  • abuso de substâncias lícitas e ilícitas: álcool e outras drogas provocam reações prejudiciais ao sistema cardíaco;
  • efeitos colaterais de medicamentos: muitos fármacos, como anticoncepcionais e medicamentos contra asma podem modificar o sistema cardíaco e aumentar o risco de infarto.

Infarto: sintomas de infarto

Agora que você já sabe quais são os fatores de risco, provavelmente está se questionando sobre os diversos sintomas de infarto, certo? O mais clássico e amplamente conhecido é a dor no peito, no entanto, existem muitos fatores que podem gerar um desconforto nessa região.

Por isso, não podemos considerar o aperto no peito como o único sintoma de infarto ou, ainda, o sinal decisivo para montar um diagnóstico. O mais indicado é avaliar uma série de sintomas que, combinados, podem representar o impedimento do fluxo sanguíneo no músculo cardíaco.

Para ajudar a reconhecer todos os sinais de infarto e garantir uma boa resposta no vestibular, explicamos quais são eles:

  • dores típicasque surgem no peito e irradiam para o braço e ombro esquerdo, pescoço, mandíbula e costas, e duram mais de 20 minutos;
  • dores atípicas que surgem em qualquer região entre o lábio inferior e a cicatriz umbilical, durando mais de 20 minutos;
  • sensação de queimação no peito, associada com formigamento no braço esquerdo;
  • náuseas e vômito;
  • sudorese e suor frio;
  • falta de ar, sendo mais frequente em idosos;
  • cansaço extremo ou fraqueza, mesmo sem realizar atividade física;
  • tonturas e desmaios;
  • palpitações;
  • sonolência;
  • aumento repentinona ansiedade.

Sintomas de infarto feminino

Como comentamos, as mulheres podem apresentar um risco maior de infarto durante e após a menopausa. Existem alguns sintomas de infarto feminino que são diferentes dos tradicionais em função das distinções anatômicas e orgânicas causadas pela menopausa.

Além disso, alguns sinais de começo de infarto são mais frequentes nas mulheres, como:

  • sensação de queimaçãoe pontadas no peito;
  • fraqueza constante;
  • náuseas;
  • dores nas costas, pescoço, mandíbula, braço e ombro esquerdo que duram mais de 20 minutos;
  • sentimento de pavore aumento da ansiedade repentinamente.

Infarto fulminante

Um assunto recorrente nos vestibulares é o infarto fulminante. Como o próprio nome aponta, ele acontece sem nenhum aviso prévio, sendo totalmente assintomático. Na maioria dos casos, esse tipo de infarto é fatal e muito rápido, fazendo com que o paciente não tenha tempo de procurar ajuda médica.

No entanto, os fatores de risco são os mesmos para esse tipo de patologia — daí a importância de ter uma alimentação saudável, fazer atividade física e manter uma rotina com baixos índices de estresse e ansiedade.

Infarto do miocárdio

Para concluir, outro tipo de fenômeno muito cobrado nas provas é o infarto agudo do miocárdio. Diferentemente do fulminante, esse acontecimento é gerado pela necrose de uma parte do músculo cardíaco (chamado de miocárdio). A morte das células presentes na região ocorre em função da falta de circulação sanguínea.

O infarto é um fenômeno muito comum na população. Com diversos fatores de risco que fazem parte da nossa rotina, como má alimentação e pouca atividade física, ele é um tema que sempre aparece nos vestibulares, compondo as provas de Biologia e até questões na área da Química. Portanto, estudar e conhecer seus sinais, tipos e conceito é fundamental para ter uma boa nota.

E então, preparado para a grande prova? Aproveite para organizar seus conteúdos com nosso cronograma de estudos para garantir um excelente resultado!

Você pode gostar também