O corpo humano é composto por sistemas impressionantes, com as mais diversas funcionalidades. Fazem você respirar, o sangue circular nas suas veias, o alimento que você ingere ser transformado em energia, entre várias outras funções essenciais de vida.

Uma dessas redes vitais para nosso corpo é o sistema imunológico. Mais precisamente, o sistema linfático, composto por vasos e linfonodos. Esse sistema é essencial para a defesa do nosso organismo, atuando como um filtro para impurezas e como um radar para possíveis invasões de corpos estranhos. Nosso sistema imunológico é fundamental para defender o organismo contra doenças.

Você sabe para como agem os linfonodos? Continue lendo este post para descobrir!

O que são linfonodos?

Os linfonodos, também conhecidos como gânglios linfáticos ou, mais popularmente, ínguas ou caroços, são pequenos órgãos distribuídos por todo o sistema linfático, que percorre o organismo humano. São conectados pelos vasos linfáticos, sendo parte essencial desse sistema de proteção.

O sistema linfático é composto por, basicamente, linfonodos, amígdalas, baço e vasos linfáticos. Sua função é recolher o líquido que extravasa os capilares sanguíneos, conhecido como linfa. Após esse recolhimento, ocorre a filtragem e a posterior devolução ao sistema circulatório.

Os linfonodos têm forma oval, semelhante a um grão de feijão, que podem medir até, no máximo, dois centímetro, em condições normais. Estão espalhados em vários locais do organismo, como: pescoço, nuca, próximo às orelhas, cotovelos, axilas, joelhos, virilhas, entre outros.

Função dos linfonodos

No sistema linfático, os vasos são responsáveis por conduzir a linfa por todo o organismo. Nele, os linfonodos têm como função realizar a filtragem das substâncias que podem ser nocivas ao sistema. Suas células imunológicas auxiliam no combate e na destruição de germes e impurezas presentes no corpo.

Bactérias, vírus, protozoários e até mesmo células cancerosas podem ser, ao menos, retardadas nos linfonodos. Algumas dessas estruturas são até mesmo fagocitadas pelos linfócitos e macrófagos existentes nos gânglios.

Os linfonodos são responsáveis pela produção e pelo armazenamento dos glóbulos brancos, as principais células do sistema imunológico, responsáveis pelo combate a infecções e outras doenças.

A estrutura dos gânglios linfáticos e sua distribuição no corpo humano são fundamentais para a detecção e combate de corpos estranhos. Caso algum microrganismo entre no sistema, ele será invariavelmente detectado nos linfonodos. Nesse momento começam a ser produzidas as células de defesa, de modo que o gânglio se torna inchado, o que resulta naquilo que popularmente se conhece como íngua.

Linfonodos aumentados e doloridos significam que o organismo está combatendo algum tipo de infecção, ou seja, é um indicativo de que seu corpo está reagindo a qualquer que seja o invasor.

Linfonodos e câncer

tomografia linfonodos

Como explicamos anteriormente, o linfonodo inchado, processo conhecido como linfonodomegalia, indica o combate do organismo a algum tipo de infecção ou alteração. Na maioria dos casos, esse aumento guarda relação com algum tipo de inflamação ou infecção localizada próxima do gânglio inchado.

Linfonodos aumentados pode ser câncer?

Além de infecções e inflamações, o aumento dos linfonodos também pode indicar algo muito mais grave: um câncer. Nesse caso, é comum que os gânglios inchem, endureçam, mas, diferentemente dos casos mais simples, não gerem um quadro de dor.

Normalmente, o crescimento de linfonodos causados por câncer é lento, de modo que não há vermelhidão na pele ou aumento de temperatura no local. Apesar disso, a superfície da derme se torna irregular, principalmente quando o gânglio ultrapassa os dois centímetros de tamanho.

Como existem diversos linfonodos espalhados por todo o corpo e seu inchaço geralmente indica algum problema próximo, é comum que essa indicação esteja intimamente conectada ao tipo de câncer presente no organismo.

O aumento dos linfonodos da região da virilha pode indicar a metástase de um câncer de pele ou a presença de um câncer ginecológico. Já as axilas tendem a apresentar gânglios inchados (linfonodos axilares) quando há presença de câncer de mama ou de linfoma.

Por fim, o quadro de linfonodos no pescoço pode ser em decorrência de algum câncer na cabeça ou no próprio pescoço. Esse tipo de aumento também pode significar um linfoma.

Contudo, somente através de uma consulta médica e análise do quadro clínico do paciente que haverá um diagnóstico assertivo.

O que é linfoma?

O linfoma é o câncer do sistema linfático. Seu principal sinal se dá pelo inchaço dos gânglios em regiões como pescoço, clavículas, axilas e virilhas, apresentando as características que descrevemos anteriormente.

Existem dois tipos diferentes de linfoma: o Linfoma de Hodgkin e o Linfoma Não Hodgkin. No primeiro caso, os linfonodos apresentam um crescimento lento e gradual, diferentemente dos linfomas não Hodgkin, nos quais esse inchaço é bastante rápido.

Enquanto o inchaço dos linfonodos é um importante indicativo da presença de um linfoma, seu diagnóstico se dá apenas por meio de consulta física com o médico e com a biópsia do material presente nos gânglios aumentados.

Apesar do quadro problemático, o linfoma tem cura. Seu tratamento é feito por meio de quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e, em casos mais graves, apenas com uma medula óssea transplantada. O tipo de tratamento necessário e as chances de cura dependerão exclusivamente do estágio e do tipo de câncer do paciente.

Um dos maiores problemas que cercam os linfomas é o ataque ao sistema imunológico. Com a aplicação de radioterapia e quimioterapia, as células doentes acabam por serem eliminadas, mas também muitas das estruturas saudáveis desse sistema são mortas. Isso faz com que o acompanhamento do paciente precise ser o mais cuidadoso possível, uma vez que um quadro de baixa imunidade é uma porta aberta para doenças oportunistas.

Conhecer o próprio corpo ainda é a melhor forma de prevenção às doenças. Procure saber onde se localizam os seus linfonodos e fique atento para qualquer tipo de alteração! Caso o inchaço permaneça por mais de duas semanas, a melhor coisa a se fazer é buscar um médico.

As mulheres que praticam o autoexame em busca de caroços que possam indicar o câncer de mama também devem verificar os linfonodos das axilas.

E aí, curtiu nosso post? Agora que você já sabe o que são os linfonodos e qual a sua importância, não deixe de se cuidar e observar qualquer alteração no seu organismo! Aproveite e estude mais sobre Biologia e outras matérias através do Plano de Estudo do Stoodi.

Você pode gostar também