Biblioteconomia: o guia completo!

 

Escolher o curso de graduação não é tarefa fácil, você concorda? Diante de tantas opções, como fazer a escolha certa e conquistar o sucesso profissional? Ainda que essa seja uma pergunta complexa, a sua resposta pode ser bastante simples: você precisa analisar o que gosta de fazer e imaginar em que se vê trabalhando.

Hoje em dia, uma profissão que aos poucos vem ganhando destaque é a biblioteconomia. Com a tarefa de organizar todos os tipos de informação, esse profissional precisa ter gosto pela leitura e saber se comunicar com clareza.

Pensando em ajudar você a tomar a decisão correta e escolher uma profissão que combine com a sua personalidade e ambição, nós desenvolvemos este artigo com todas as informações sobre o curso de biblioteconomia. Vamos lá?

O que é biblioteconomia?

Você concorda que antes de saber como acontece o curso, é necessário compreender o que é biblioteconomia? Afinal, ao conhecer a sua história e identificar a sua presença no mercado, você amplia o seu olhar para uma profissão que, em um primeiro momento, é desvalorizada.

Constantemente escutamos vestibulandos falando que se nada der certo, eles entrarão em biblioteconomia ou qualquer outro curso com uma nota de corte mais baixa. Acontece que essa profissão vai muito além de uma segunda opção para os estudantes: ela lida com as informações que você acessa diariamente na escola e na sua futura faculdade.

Poucas pessoas sabem, mas o curso foi criado em 1821, na França, com o intuito de auxiliar a consolidação da leitura no país. No Brasil, diversas bibliotecas começaram a ser desenvolvidas e, em 1911, o primeiro curso foi lançado. Nele, os alunos aprendiam a catalogar, classificar e organizar os livros dos acervos, técnicas de preservação de artes e estratégias de divulgação do conhecimento humano.

Na época, não existia a tecnologia e as informações eram passadas com mais dificuldade. Hoje, podemos perceber um grande avanço na profissão, sendo que os bibliotecários lidam diariamente com a organização da informação em diversos canais, tanto virtuais quanto físicos.

Assim, podemos conceituar a biblioteconomia como a área do conhecimento que visa a organização e administração de bibliotecas, tendo em vista que elas são instituições sociais que buscam divulgar conhecimento para a população. Assim, o bibliotecário tem como função selecionar, adquirir, planejar e disseminar as publicações sob diversos suportes físicos e digitais.

Curso de biblioteconomia

Organizar uma biblioteca, divulgar informações precisas e conservar trabalhos artísticos não parece uma tarefa muito difícil, não é mesmo? Acontece que não é bem assim: ser bibliotecário é uma arte. Hoje, muitos estudantes acreditam que trabalhar nessa área não envolve tanta dedicação, mas, como qualquer profissão, você precisa saber o que está fazendo para ganhar reconhecimento no mercado.

É por isso que existe um curso de biblioteconomia. Se não, qualquer pessoa poderia trabalhar nesse campo sem ter conhecimento prévio, concorda? Para se tornar um bom profissional, você precisa realizar pelo menos quatro anos de graduação na modalidade bacharelado.

Assim, a sua faculdade é voltada não só para a atuação no campo, como também para o desenvolvimento de novas pesquisas na área a fim de consolidar a ciência da biblioteconomia na sociedade. Vale lembrar que existe somente uma instituição de ensino que oferece a modalidade de licenciatura no Brasil, a Unirio.

O curso, então, é dividido em duas frentes: a básica e a específica. Na primeira etapa, você aprende sobre a língua portuguesa, inglês, história e literatura. Já na segunda, a faculdade aprofunda a sua aprendizagem e ensina sobre a história do registro das informações, organização e planejamento das bibliotecas, formação de leitores, serviços de provisão, acesso e arquitetura da informação, indexação etc.

Indo mais além, dependendo da sua universidade, você também aprende sobre marketing, sociologia, economia e contabilidade, tendo em vista que é necessário conhecer as melhores estratégias dessas áreas para organizar uma biblioteca.

Técnico em biblioteconomia

No tópico anterior comentamos que o curso de biblioteconomia é desenvolvido na modalidade de bacharelado, você se lembra? Acontece que em 2017 os conselhos regionais e o federal lutaram para a consolidação de uma lei que regulamenta o técnico em biblioteconomia.

Mas, afinal, qual é a diferença entre essas duas áreas? Da mesma forma que a enfermagem, nesse campo de trabalho o técnico desempenha tarefas mais simples, sobretudo no manejo das atividades mais básicas dos bibliotecários, como serviços de documentação e planejamento, e desenvolvimento de projetos que ofereçam uma responsabilidade social das organizações.

Diante de todas essas informações, você já deve ter percebido que há um embate dentro da biblioteconomia acerca da valorização do técnico. Isso porque muitos profissionais percebem a criação desse cargo como uma ameaça aos bibliotecários que procuram um reconhecimento no mercado de trabalho.

Nesse sentido, com a entrada do técnico, muitas empresas podem optar por contratá-lo em função do baixo custo que ele apresenta à organização. Isso faz com que o mercado fique mais saturado e que os bibliotecários percam seu espaço no campo.

Por outro lado, alguns profissionais acreditam que a vinda do técnico é uma forma de agregar novas pessoas à prática, ampliando cada vez mais o seu campo de trabalho, além de fortalecer uma profissão que, muitas vezes, é desvalorizada.

Para resolver essas discordâncias, os Conselhos Regionais de Biblioteconomia estão entrando em acordo para propor novos projetos de leis que viabilizem um trabalho de qualidade para o técnico — abrindo oportunidades para quem não quer fazer bacharelado — sem perder de vista a valorização do bibliotecário já formado.

Biblioteconomia: estágio

Você sabia que o estágio é uma excelente forma de colocar a teoria que você está aprendendo na faculdade em prática? Quando estamos estudando para o vestibular, muitas vezes focamos toda a nossa atenção para as teorias e ciências que caem nas grandes provas. Mas, quando você entra na graduação, um mundo de possibilidades se apresenta.

É a partir disso que você consegue encontrar novas oportunidades de carreira e descobrir profissões que antes nem eram consideradas. É por meio do estágio, então, que você sai desse campo teórico e compreende tudo o que está sendo estudado na prática, vivenciando no dia a dia o que é visto em sala de aula.

Isso amplia o seu olhar para a sua profissão e garante uma experiência única que, no futuro, diferencia você de outros funcionários, fornecendo mais oportunidades no mercado de trabalho. E mais: tudo isso acontece sem a necessidade de uma ligação contratual com a organização.

Em outras palavras, ainda que você tenha responsabilidades sobre seus atos, não tem problema errar: afinal, você está aprendendo. Assim, fica muito mais fácil se abrir para conhecer a fundo outras áreas da biblioteconomia e se aventurar em uma profissão que tem muito a surpreender.

Mas, então, é obrigatório realizar um período de estágio na graduação? Na verdade, sim. Hoje, o Ministério da Educação (MEC) exige que todas as instituições de ensino ofereçam um período de prática profissional antes de conquistar o diploma, justamente para estimular o aluno a entrar em contato com diferentes campos.

É claro que o seu estágio dependerá das suas preferências profissionais, bem como das oportunidades que aparecerão para você. Nesse sentido, é possível tanto utilizar as vagas que a própria universidade oferece quanto buscar outros espaços fora do campus e ampliar suas redes de contatos.

Duração do curso

Outro ponto importante que você precisa conhecer sobre a biblioteconomia é a duração do seu curso. Como comentamos, a sua modalidade é o bacharelado e, por isso, o seu tempo de formação é maior em comparação com cursos técnicos ou tecnólogos. O MEC define quatro anos como período mínimo para a realização da graduação, mas existem instituições que incluem mais um ou dois semestres.

Indo mais além, se você deixar de realizar alguma disciplina ou não atingir a nota suficiente para ser aprovado em determinada matéria, provavelmente terá que realizar mais um semestre para completar a grade curricular de biblioteconomia e conquistar o diploma.

biblioteca

Onde estudar biblioteconomia?

Definir a sua graduação nunca é tarefa fácil. Afinal, estamos falando do seu futuro profissional, não é mesmo? Essa decisão exige atenção e tempo para ser tomada com consciência e reduzindo ao máximo os danos. Acontece que, depois de você escolher o curso, é preciso optar por uma instituição de ensino.

Na maioria das vezes, os alunos tendem a seguir as universidades das próprias cidades, tendo em vista a facilidade que isso traz para suas vidas. No entanto, você não precisa ficar restrito as ofertas da sua região, podendo — e devendo! — pesquisar outras instituições que ofereçam um ensino de qualidade para você.

Quando falamos em biblioteconomia, sempre surge aquela dúvida sobre a melhor universidade, concorda? Para escolher aquela faculdade que fará diferença no seu currículo e trará melhores oportunidades para você, é necessário avaliar cinco tópicos específicos:

  • corpo docente qualificado;
  • infraestrutura própria para o curso;
  • reconhecimento da faculdade pelo MEC;
  • nota do ENADE (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes);
  • disciplinas ofertadas.

Com essas cinco informações, você consegue definir as principais faculdades de biblioteconomia que, com certeza, trarão o tão sonhado reconhecimento profissional. Para ajudá-lo nessa decisão, nós listamos a seguir as universidades públicas e privadas mais bem avaliadas pelo MEC. Confira!

  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC): conceito 5;
  • Universidade Federal do Maranhão (UFMA): conceito 5;
  • Universidade Federal do Pará (UFPA): conceito 4;
  • Universidade Federal de Goiás (UFG): conceito 4;
  • Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT): conceito 4;
  • Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação: conceito 4;
  • Centro Universitário Assunção (privada): conceito 4.

Biblioteconomia EAD

Você já deve saber que a tecnologia revolucionou muitas coisas, não é mesmo? Quando pensamos em cursos antigos como a biblioteconomia, é difícil compreender como ela era feita antes do mundo virtual. Com toda certeza era um trabalho mais complexo e exigia mais atenção dos profissionais para não errar nas classificações e categorizações dos livros.

Além da virtualidade inovar as formas de trabalho no campo, ela também permitiu que o ensino fosse modificado e ampliasse as oportunidades para estudantes que moram em regiões afastadas dos grandes centros urbanos. Sim, estamos falando da educação EAD.

Hoje em dia é difícil citar algum curso superior que não apresente alguma modalidade de ensino a distância, ainda que seja um tecnólogo ou especialização. Isso porque o EAD permitiu que muitas pessoas tivessem acesso ao ensino superior sem precisar estar presente em sala de aula, otimizando o tempo de muitos estudantes.

Para cursar biblioteconomia EAD, é necessário ficar de olho nas instituições que são reconhecidas pelo MEC. Assim, você garante que o seu diploma seja validado e que a sua educação tenha qualidade. No Brasil, existem sete universidades que apresentam essa modalidade, sendo que todas são da rede particular. Confira!

  • Universidade de Caxias do Sul (UCS);
  • Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR);
  • Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO);
  • Universidade Metropolitana de Santos (UNIMES);
  • Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI);
  • Centro Universitário de Jaguariúna (FAJ);
  • Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ).

Biblioteconomia nota de corte

No início deste artigo comentamos sobre a importância de você fazer uma boa avaliação sobre o seu futuro curso para realizar uma boa escolha, não é mesmo? Uma das informações necessárias para tomar uma decisão correta é a nota de corte. Isso porque é por meio dela que você conseguirá traçar um plano de estudos eficientes.

Vamos pensar juntos: como que é possível saber o quanto você precisa estudar se você não sabe a nota mínima que precisa tirar na prova? Conhecer o valor necessário para entrar na graduação serve como motivação para organizar os seus horários e concentrar no seu sucesso.

Bom, e quais são as notas de corte para biblioteconomia? A seguir, listamos as notas mais altas do Sisu para você ficar de olho e já começar a organizar o seu planejamento. Confira!

  • Universidade Federal do Pará, campus cidade universitária, turno matutino – 718.0;
  • Universidade Federal do Pará, campus cidade universitária, turno noturno – 716.0;
  • Universidade de Brasília, campus universitário Darcy Ribeiro, turno integral – 662.0;
  • Universidade Federal de São Carlos, campus sede, turno noturno – 657.0;
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul, campus saúde, turno integral – 657.0;
  • Universidade Federal de Minas Gerais, campus Pampulha, turno noturno – 646.0;
  • Universidade Federal de Minas Gerais, campus Pampulha, turno matutino – 643.0;
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, campus Pasteur 458, turno matutino – 641.0;
  • Universidade Federal de Pernambuco, campus cidade universitária do Recife, turno vespertino – 640.0;
  • Universidade Federal do Amazonas, campus sede, turno matutino – 640.0.

Vale lembrar que esses valores são voltados somente para as universidades públicas. Hoje, você pode realizar o curso em faculdades privadas, mas cada uma delas apresenta um sistema de ingresso diferente. Por isso, se você pretende seguir a graduação em uma dessas instituições, a nossa dica é consultar a faculdade de preferência e avaliar seus métodos de acesso, ok?

Biblioteconomia: grade curricular

Você lembra que no tópico anterior comentamos que uma das informações que você precisa prestar atenção para escolher o seu curso é a nota de corte? Pois é, outra variável que demanda uma análise é a grade curricular. Afinal, é por meio dela que você identifica as disciplinas que serão ministradas na graduação.

Ao conhecer as matérias oferecidas, você consegue imaginar-se estudando e trocando ideias com seus amigos da faculdade, criando um cenário em relação a sua futura profissão. Assim, fica muito mais fácil decidir se biblioteconomia é o curso certo para você ou não.

Para ajudar você nessa decisão, nós separamos as principais disciplinas que aparecem no curso. Confira!

  • Análise Documentária: Biblioteca, Informação e Sociedade;
  • Teoria da Ação Cultural;
  • História Social do Conhecimento, das Bibliotecas, da Biblioteconomia e da Ciência da Informação;
  • Linguagens Documentárias;
  • Produção e Circulação Social dos Registros do Conhecimento;
  • Fundamentos em Biblioteconomia;
  • Políticas de Organização;
  • Recursos Informacionais;
  • Contabilidade;
  • Geração e Organização de Instrumentos de Recuperação;
  • Análise e Representação;
  • Princípios e Evolução da Administração e da Teoria Organizacional;
  • História da Cultura e da Comunicação;
  • Normas e Formatos Tradicionais e Eletrônicos;
  • Serviços de Referência;
  • Comunicação;
  • Formação de Leitores;
  • Competência em Informação;
  • Indústria da Informação;
  • Documentação Audiovisual;
  • Serviços de Recuperação e de Disseminação da Informação;
  • Serviços de Extensão e Ação Cultural;
  • Organização e Representação da Informação;
  • Formação, Desenvolvimento, Avaliação e Preservação de Coleções;
  • Ética e Meio Ambiente;
  • Serviços de Provisão e de Acesso;
  • Elementos de Lógica para Documentação;
  • Relações Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS).

Vale lembrar, ainda, que o curso de biblioteconomia exige a criação de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) ao final da graduação, para propor novas perspectivas à profissão. Além disso, a maioria das instituições de ensino demandam, também, a realização de um período de estágio para você ter uma experiência prática antes de se formar.

O profissional de biblioteconomia

Até agora, você já conheceu o que é biblioteconomia, como acontece o seu curso, quais são as melhores faculdades do Brasil e as principais informações para escolher essa graduação. Mas, afinal, o que faz o profissional dessa área?

Como comentamos no início do nosso artigo, quem trabalha nesse campo lida, principalmente, com a organização da informação. Em outras palavras, você deve classificar e categorizar os diferentes tipos de informação que existem hoje, atuando em diferentes escalas.

Por exemplo, você pode ser responsável pela consolidação e manutenção dos acervos, assim como pela criação de normas e padrões de organização de uma biblioteca, gerenciando os sistemas que sustentam todas as operações da instituição. Isso faz com que a população consiga encontrar conteúdos específicos no meio de tantos outros.

É importante você ter em mente que existem diversas oportunidades no mercado para você. Em função do nome do curso, tendemos a acreditar que só existem possibilidades de trabalho em bibliotecas, mas não é bem assim. Como falamos, você lida com a organização de informações, independentemente de qual ela seja.

Assim, o profissional de biblioteconomia pode trabalhar em empresas privadas, gerindo os conteúdos internos da organização, bem como em ONGs, bibliotecas, universidades, escolas, editoras, museus, centros sociais e tantos outros espaços que precisam de uma classificação aprimorada das informações.

Perfil do profissional

Diante de todas essas funções, podemos pensar que o profissional que atua na área precisa ter características específicas, não é mesmo? Isso porque muitas vezes existe uma grande quantidade de conteúdo para ser catalogado e gerido, sendo preciso paciência e dedicação para que tudo seja feito da maneira certa.

Além disso, se você seguir carreira na área da administração e marketing, desenvolvendo estratégias de divulgação de conteúdo, você também precisa ter uma visão ampla acerca do público que você deseja alcançar e do tipo de comunicação que você está utilizando para disseminar suas informações.

A seguir, listamos as principais habilidades e competências que você deve ter para ser um profissional de sucesso e conquistar uma posição de destaque no mercado. Preparado?

  • organização;
  • proatividade;
  • ter uma boa comunicação e habilidades interpessoais;
  • visão espacial;
  • paciência;
  • metódico, no sentido de saber desenvolver e seguir as regras da instituição;
  • conhecer as principais redes de comunicação.

Se você ainda não tem nenhuma dessas características, não se preocupe! O curso de biblioteconomia é preparado para que você desenvolva todas essas competências e consiga trabalhá-las no seu dia a dia profissional.

Mercado de trabalho

E aí, decidiu que biblioteconomia é o curso certo para você? Então, você precisa conhecer como o mercado de trabalho dessa área funciona. Afinal, como é possível alcançar o sucesso se você não sabe como fazer isso? Bom, para elevar a sua expectativa em relação ao curso, essa profissão está sendo muito demandada no Brasil.

Isso porque entrou em vigor uma nova legislação do MEC que exige das instituições de ensino a presença de, pelo menos, um livro por aluno em cada universidade ou escola. Isso quer dizer que, quanto maior é a organização, maior será o seu acervo. Para que tudo seja planejado da forma certa, serão necessários diversos bibliotecários.

E mais, tudo isso precisa acontecer até 2020. Então, muitas instituições estão à procura de profissionais especializados que aprimorem seus acervos e ofereçam uma qualidade de ensino superior aos seus alunos. Nós sabemos que a demanda do mercado essa baixa até então, por isso, mesmo que você se forme depois de 2020, ainda terá muitas oportunidades.

Acontece que esse aumento também influenciou outros campos da biblioteconomia. Em outras palavras, não é só as universidades e escolas que estão à procura desses profissionais, grandes empresas, ONGs, museus e centros sociais também querem a sua atuação.

Assim, existem diversas áreas nas quais você pode exercer suas funções, como:

  • análise da informação: processo mais tradicional da profissão, envolvendo trabalhos como categorização dos acervos – físicos ou digitais;
  • consultoria e coordenação: gerenciar a criação de novos acervos, tanto em instituições de ensino quanto em empresas privadas;
  • ensino e ciência: voltada para a pesquisa de novas técnicas na área;
  • gestão do conhecimento: organização das informações com o intuito de encontrar as melhores formas de estimular a divulgação do conhecimento;
  • gestão de serviços de informação: administrar bibliotecas e bancos de dados em centros culturais, editoras e empresas privadas;
  • normalização: desenvolvimento e manutenção de bancos de dados.

Conselho Regional de Biblioteconomia 

Você sabia que depois de formado, em qualquer área, é necessário estar associado ao seu conselho para atuar de forma ética e legal? Pois é, todas as carreiras exigem o cadastro nos seus Conselhos Regionais para que haja um controle da quantidade de profissionais e na qualidade dos seus trabalhos.

Para ser bibliotecário, você precisa estar registrado no Conselho Regional de Biblioteconomia da sua cidade, envolvendo-se ou não nas discussões políticas e sindicais acerca da sua profissão.

Agora que você já sabe tudo sobre biblioteconomia, o que acha de planejar bem os seus estudos? Ainda que não seja um dos cursos mais concorridos no Brasil, é preciso de foco e dedicação para assimilar os conteúdos que mais caem nos vestibulares e conquistar uma boa nota nas provas.

Biblioteconomia: uma carreira para quem gosta de organização!

Veja tudo sobre o curso de biblioteconomia com o Stoodi!

Já pensou como é feita a organização de bibliotecas e arquivos com grandes quantidades de itens em seu acervo? Como será que se localiza um livro em uma instituição com mais de 10 milhões de obras? Não é uma tarefa fácil!

Se você é uma pessoa que gosta de organização e, ao mesmo tempo, adoraria trabalhar com cultura, educação e muitos livros, a biblioteconomia é um curso ideal para seu perfil.

Hoje vamos aprender um pouco mais sobre o curso de biblioteconomia, o que faz um bibliotecário e quais são os melhores cursos do Brasil nessa área. Confira as dicas!

 

O que é biblioteconomia?

A biblioteconomia é uma área de formação de profissionais para atuar na organização, catalogação e divulgação de bibliotecas, acervos documentais e históricos, zelando por livros, revistas, arquivos, documentos, fotografias e outras obras.

Você deve estar se perguntando, afinal, o que faz um biblioteconomista? Esse profissional atua como educador social, pois facilita o acesso à informação de acervos como bibliotecas, arquivos históricos, arquivos empresariais, entre outros. Ele trabalha como um administrador de dados, classifica o acervo de acordo com seus temas, auxiliando o usuário na busca por obras.

A princípio, parece ser tarefa fácil, mas quando se trata de grandes volumes de informações, a coisa pode não ser tão simples quanto parece. O biblioteconomista tem um bom campo de atuação, podendo trabalhar em museus, bibliotecas, editoras de livros, associações, empresas com grandes quantidades de arquivos, escolas e até em provedores de internet.

 

Curso de biblioteconomia

Para ser um aluno de biblioteconomia é preciso gostar de livros e de muita leitura. É preciso ser organizado e ser capaz realizar trabalhos metódicos.

O curso é oferecido em aproximadamente 60 faculdades no Brasil e tem duração de 4 anos. A grade curricular do curso de biblioteconomia é formada por várias disciplinas nas áreas de História, Literatura, Contabilidade, Economia, Língua Portuguesa e Inglesa. Ainda tem as matérias mais específicas, como Ciência da Informação, Cultura e Política, Indexação e Fundamentos da Biblioteconomia.

O estágio é obrigatório para esse curso e pode ser feito em escritórios de advocacia, centros de documentação, bibliotecas públicas, etc.

Vale lembrar que esse profissional não trabalha apenas na organização de livros. Fornece também suporte para bancos de dados digitais. O salário de um bibliotecário pode iniciar em torno de R$ 1.500 e ir até mais de R$ 4.000.

 

Biblioteconomia: nota de corte

livros biblioteconomia

Se você está pensando em ingressar na carreira de biblioteconomista, fique atento à nota de corte para os principais cursos do país. Como já dissemos, dezenas de faculdades oferecem esse curso e tem notas de corte bastante variadas.

Na edição do Sisu de 2017, a maior nota de corte do Brasil foi 754 pontos na USP, em São Paulo. Enquanto a menor nota foi 576 pontos, na Universidade Federal do Mato Grosso. Vamos ver como foi a pontuação nas principais universidades do Brasil, em 2017:

  • Universidade de São Paulo (USP): 754 pontos
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR): 721 pontos
  • Universidade de Brasília (UNB): 674 pontos
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS): 668 pontos
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC): 658 pontos
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG): 658 pontos
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ): 653 pontos
  • Universidade Federal do Ceará (UFCE): 649 pontos
  • Universidade Federal do Cariri (UFCA): 644
  • Universidade Federal de Goiás (UFGO): 632 pontos
  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES): 627
  • Universidade Federal de Alagoas (UFAL): 602 pontos
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB): 586 pontos

Biblioteconomia: melhores universidades

O MEC realiza uma série de avaliações nas instituições de ensino superior do Brasil para medir a qualidade dos cursos oferecidos. A pontuação dessas avaliações são transformadas em um índice chamado Conceito de Curso (CC), que vai de 1 (menor nota) a 5 (maior nota) e classifica as melhores universidades de acordo com o curso. Vamos conferir a lista das 10 melhores universidades do Brasil para cursar biblioteconomia:

  • Universidade de Santa Catarina (UFSC): 5
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS): 5
  • Universidade Federal de Alagoas (UFAL): 5
  • Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas): 5
  • Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR): 5
  • Centro Universitário de Formiga (Unifor-MG): 4
  • Centro Universitário Univel (Univel-PR): 4
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO): 4
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ): 4
  • Universidade Federal de Goiás (UFGO): 4
  • Universidade Federal do Ceará (UFCE): 4
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB): 4
  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES): 4
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR): 4
  • Universidade Federal do Rio Grande (UFRG): 4
  • Universidade Federal do Pará (UFPA): 4

 

Biblioteconomia: mercado de trabalho

Como já vimos, o mercado de trabalho da biblioteconomia é bastante amplo, podendo o profissional atuar em diversas empresas e instituições.

É preciso lembrar que a figura do biblioteconomista não está atrelada apenas à biblioteca ou a arquivos, mas em todo campo da informação e do gerenciamento de dados. Com a era da informática, esse profissional tem ganhado cada vez mais espaço nas empresas que trabalham com banco de dados digitais.

Podemos dividir o mercado de trabalho do biblioteconomista em três áreas:

  • a primeira seria o mercado tradicional, que está ligado à bibliotecas públicas, escolares, arquivos históricos, entre outros;
  • o segundo grupo está ligado à atuação em instituições privadas de informações, com banco de dados eletrônicos, portais da internet etc;
  • o terceiro grupo ligado ao mercado editorial, atuando na classificação e catalogação de obras.

 

O campo da biblioteconomia é muito importante e cada vez mais requisitado tanto nos órgãos públicos como nas empresas privadas. Se você tem vontade de atuar com gerenciamento de informações e dados, tem o perfil de pessoa organizada e gosta de leitura, você está na área certa.

O Stoodi lhe ajuda a preparar para enfrentar o vestibular e o Enem com conteúdos de qualidade. Aqui você vai direto ao ponto que interessa. Se está em dúvida sobre qual faculdade cursar, aproveite também para conhecer outras áreas de formação superior.

Cadastre-se gratuitamente no Stoodi e tenha acesso gratuito a textos, videoaulas, exercícios e muito mais!

Tenha acesso GRATUITO a mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!