Engenharia de Software: descubra tudo!

O profissional que cursou Engenharia de Software é o responsável por criar e programar sistemas de computador e, levando em consideração a crescente demanda por soluções tecnológicas do panorama em que vivemos, dominar esse tipo de habilidade é garantir uma ótima posição no mercado de trabalho.

Entre as skills (habilidades) que é preciso desenvolver, estão criatividade e capacidade analítica para abstrair, conceber e desenvolver programas de acordo com as necessidades das empresas. Por isso, é crucial investir em uma boa formação.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo para que você saiba tudo sobre o curso de Engenharia de Software. Nos próximos tópicos, mostraremos a grade curricular, a média salarial, entre muitas outras informações indispensáveis sobre o assunto. Confira agora!

O que é Engenharia de Software?

É a área de tecnologia da informação focada em desenvolvimento, criação e manutenção de sistemas para computadores, com aplicações práticas e tecnológicas de Gestão de Projetos, entre outras disciplinas, com objetivo na qualidade e na produtividade.

Nos dias atuais, essas práticas e tecnologias abrangem uma variedade de categorias, como:

  • processo e qualidade de software;
  • banco de dados;
  • linguagens de programação;
  • plataformas;
  • padrões de projeto de software;
  • bibliotecas digitais.

Além disso, umas das principais finalidades da Engenharia de Software é oferecer as ferramentas necessárias para planejar e gerir todo o processo de desenvolvimento de sistemas computacionais de qualidade e que sejam capazes de atender às necessidades de seu requisitante, isto é, a demanda do mercado.

Entre os fundamentos científicos que sustentam a Engenharia de Software, há uma grande variedade de modelos abstratos e precisos que permitem a esse profissional projetar, especificar, implementar e desenvolver sistemas, garantindo e avaliando suas funcionalidades e qualidades.

Embora não seja o foco deste material, vale a pena destacar que a área que estuda e avalia os processos de desenvolvimento de softwares, assim como as ferramentas e metodologias de suporte para garantir a sua evolução, é a Engenharia de Software Experimental.

Como é o mercado de Engenharia de Software?

De acordo com um levantamento realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), atualmente cerca de 16 mil empresas atuam no setor de tecnologia da informação no Brasil.

Em torno de 71,5% dessas companhias se dedicam à fabricação, desenvolvimento, distribuição e à comercialização de soluções tecnológicas, isto é, hardwares e softwares, e à prestação de serviços de informática (28,5%).

Apenas em 2016, foram movimentados mais de 39,6 US$ por essas empresas, além do fato de que suas 2 mil organizações afiliadas geram mais de 200 mil empregos diretos na área de tecnologia.

O profissional que deseja integrar esse mercado deve saber que os principais polos de tecnologia do país ficam situados na Região Sudeste, embora também exista o Porto Digital, em Recife, lembrando que também há uma grande demanda internacional para o engenheiro de software que, nesse caso, deve dominar o inglês.

O que faz um engenheiro de software?

Felizmente, o Brasil é um dos países que mais investe em fabricantes, desenvolvedores e distribuidores de softwares no mundo. Somos responsáveis por movimentar uma parcela considerável dos investimentos realizados no setor.

Esse cenário se deve ao fato de que cada vez mais pessoas estão inclusas no meio digital, graças à popularização dos dispositivos móveis e da facilidade de acesso à internet.

Sendo assim, a demanda por profissionais que desenvolvam aplicações tecnológicas para usos do cotidiano das pessoas e das empresas apenas cresce, o que abre um caminho promissor para quem investe em uma carreira em Engenharia de Software.

Entre as inúmeras formas de atuação deste profissional, podemos citar:

  • gestão — gerenciamento de projetos em empresas de computação e software;
  • desenvolvimento — aplicativos, softwares, jogos e variados tipos de sistema para computadores, dispositivos móveis e consoles;
  • estruturação — design e funcionalidade de softwares;
  • manutenção — testes e ajustes em sistemas já existentes.

É importante destacar que existem grandes diferenças entre o cientista da computação e o engenheiro de software. A Engenharia de Software está mais voltada para o desenvolvimento de hardware, isto é, a parte “física” da tecnologia.

Já a Ciência da Computação lida com a parte teórica, ou seja, criação de algoritmos, modelos matemáticos e desenvolvimento lógico de processos que serão aplicados em partes eletrônicas e mecânicas (mediados por computadores).

É fundamental não confundir as duas profissões, visto que o engenheiro de software é responsável por lidar com o desenvolvimento de sistemas a fim de garantir o bom desempenho e a produtividade dos processos.

Curso de Engenharia de Software

No curso de Engenharia de Software, são abordados os elementos fundamentais da computação com foco na construção, manutenção, gestão e desenvolvimento de softwares e projetos de tecnologia.

Na grande curricular, constam conteúdos de Matemática e Engenharia, por isso é muito importante que quem pretende cursar a área tenha afinidade com exatas. Além disso, o curso aborda conceitos de arquitetura de programas e gestão da produção.

Logo no começo, o aluno terá contato com disciplinas introdutórias à programação e à engenharia, incluindo conceitos avançados de Matemática, como lógica e algoritmos. Durante o desenvolvimento do curso, o estudante aprenderá sobre cada etapa envolvida na produção de um sistema de computador, smartphone, tablet ou console.

Nos semestres finais, ele lidará especificamente com programação para web, dispositivos móveis e games, por exemplo. Vale destacar que, para concluir o curso, é obrigatória a apresentação de um TCC e a realização de um estágio.

Duração do curso e grade curricular

O curso de Engenharia de Software é um bacharelado com período de duração que pode variar de quatro a cinco anos, dependendo da instituição de ensino. Embora a grade curricular também varie de uma faculdade para outra, é provável que o aluno entre em contato com as seguintes matérias:

  • Cálculo Diferencial e Integral;
  • Linguagem de Programação;
  • Estrutura de Dados;
  • Desenvolvimento de Sistemas Web;
  • Projeto Detalhado de Software;
  • Fundamentos e Arquitetura dos Computadores;
  • Introdução a Sistemas Operacionais;
  • Arquitetura de Software;
  • Gerenciamento de Software;
  • Gestão de Projetos;
  • Práticas de Programação;
  • Tecnologia da Informação e Sociedade;
  • Projetos de Interface de Usuários;
  • Vetores e Geometria Analítica;
  • Engenharia de Linguagens;
  • Planejamento e Gerenciamento de Projetos;
  • Introdução à Organização e Arquitetura dos Computadores;
  • Design e Interação;
  • Fundamentos Matemáticos da Computação;
  • Introdução às Técnicas de Programação;
  • Segurança e Auditoria de Sistemas;
  • Modelagem de Software;
  • Processos de Software;
  • Desenvolvimento de Sistemas para Dispositivos Móveis;
  • Lógica Aplicada à Engenharia de Software;
  • Redes de Computadores;
  • Resolução de Problemas Matemáticos para TI;
  • Probabilidade;
  • Manutenção de Software.

Estágio em Engenharia de Software

Como já foi dito, a formação em Engenharia de Software exige que o aluno realize estágios supervisionados, com a finalidade de comprovar que ele está apto a integrar os ambientes profissionais de desenvolvimento de sistemas para computadores, assim como lidar com as etapas de gerenciamento de projetos de TI.

Durante toda a graduação, o futuro estagiário conhecerá profundamente diversas práticas e técnicas de desenvolvimento de softwares e programas computacionais exigidas pelas empresas, o que lhe proporcionará uma grande variedade de conhecimento para aplicações em diversas situações cotidianas e dispositivos, como jogos digitais, smartphones e portais de internet.

Por conta do crescente mercado na área de Tecnologia da Informação, o estagiário desenvolverá conhecimentos científicos para que possa projetar sistemas, gerenciar projetos e até mesmo realizar manutenções de softwares.

Todo o esforço e investimento durante a realização do curso de Engenharia de Software compensarão no futuro, já que a profissão é cada vez mais valorizada e as oportunidades para profissionais do setor de TI são muito boas. Além da possibilidade de salários altos, em especial nos maiores polos técnicos e nas organizações multinacionais, há a estabilidade devido ao fato de ser uma área que exige conhecimentos muito específicos.

Engenharia de Software: salário

Por falar em altos salários, essa é uma questão que pode variar bastante, como ocorre em qualquer outra área do mercado. A remuneração do profissional dependerá principalmente de fatores como o currículo e a qualidade do serviço prestado. Como sempre, o que determinará o sucesso na carreira é o desempenho.

Apenas para que você tenha uma breve noção, a média salarial para engenheiros de software sênior é em torno de R$ 9 mil. Contudo, o valor pode ultrapassar a casa dos R$ 20 mil, no caso de profissionais de grandes organizações.

Como entrar em uma faculdade de Engenharia de Software?

O caminho mais simples de iniciar uma carreira em Engenharia de Software é realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Depois de obter uma boa nota no exame, o aluno será capaz de ingressar em qualquer curso do Brasil sem grandes dificuldades.

Por isso, é muito importante estudar bastante Física e Matemática, já que essas disciplinas estão relacionadas com engenharia. Como você pôde entender até aqui, grande parte dos conhecimentos exigidos ao profissional de Engenharia de Software estão ligados a exatas.

É claro que também é imprescindível realizar um bom desempenho na prova de Linguagens e, é claro, na redação. Afinal, domínio das normas gramaticais e uma boa comunicação são habilidades cruciais para qualquer profissão.

Engenharia de Software UnB

A Universidade de Brasília (UnB) recebeu nota 5 em seu curso de bacharelado em Engenharia de Software, que é considerada a menção máxima em avaliação pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que está diretamente relacionado ao MEC. O exame tem como finalidade reconhecer e analisar as graduações de universidades do Brasil.

A UnB é pioneira no curso Engenharia de Software em nosso país. Criado em 2008, já chegou a ganhar o conceito máximo de avaliação do MEC, além de ter recebido a nota mais alta, em 2016, na avaliação do Guia do Estudante.

Diversos aspectos da organização didático-pedagógica do curso foram avaliados positivamente, como infraestrutura e corpo docente. Foram analisados também itens como projeto político-pedagógico, plano de desenvolvimento institucional e diretrizes curriculares nacionais.

Se você pretende tentar uma vaga na UnB é considerado um dos melhores bacharelados do Brasil. Certamente, será um grande diferencial em seu currículo e um ótimo início de carreira.

Engenharia de software EAD

Visto que o formato de ensino a distância está ganhando visibilidade, principalmente pelo fato de permitir que toda a grade curricular seja cumprida mesmo por quem não tem muita disponibilidade de tempo para estudar, existem cursos de graduação em Engenharia de Software no modelo EAD.

A flexibilidade de horários é, sem dúvida, a maior vantagem em cursar Engenharia de Software a distância. O aluno pode desenvolver a própria rotina e estudar em casa, desde que tenha um computador que cumpra com os requisitos mínimos do curso (mostraremos isso mais adiante) e acesso à internet.

Como ocorre na maioria dos cursos EAD, é possível que o aluno tenha que assistir ao menos uma aula presencialmente no polo mais próximo, ao menos uma vez por semana ou a cada 15 dias. Ainda que ele perca uma transmissão ao vivo, poderá acessar as aulas no ambiente de aprendizagem virtual.

Engenharia de Software: nota de corte

De acordo com informações levantadas pelo MEC a média mínima da note de corte de Engenharia de Software em grande parte é 668.75, em diversas instituições de ensino do Brasil. Já a maior note de corte é de 752.02.

Quais são as outras graduações relacionadas à Engenharia de Software?

Devido à evolução da tecnologia e à forte presença da informática no cotidiano da sociedade moderna, surgiram inúmeros cursos superiores para acompanhar a nova demanda do mercado.

Como você pôde contemplar até aqui, a própria área de engenharia desenvolveu suas vertentes voltadas para o setor de tecnologia da informação, que é o curso de Engenharia de Software e o curso de Engenharia da Computação.

Além disso, existem diversos cursos para quem pretende trabalhar com tecnologia, como:

  • Sistemas de Informação;
  • Banco de Dados;
  • Programação de Jogos;
  • Desenvolvimento de Sistemas;
  • Sistemas para Internet.

Como será a jornada em uma carreira de Engenharia de Software?

Depois de estudar bastante e finalmente passar no vestibular para o curso de Engenharia de Software, o aluno entrará no universo da graduação, na área de desenvolvimento de sistemas para computadores.

Após uma longa jornada de estudos, um estágio obrigatório e a apresentação do TCC, ele estará apto a atuar profissionalmente no setor e poderá testar, projetar, desenvolver softwares e realizar manutenções em sistemas computacionais, apps de dispositivos móveis, jogos e plataformas digitais.

Em geral, a duração de um curso de Engenharia de Software é em média cinco anos. Durante esse período, o aluno aprenderá a desenvolver seu raciocínio lógico, programar sistema e até mesmo como funcionam placas e circuitos (hardware).

Dessa forma, estará capacitado para atuar em diversos nichos do mercado de tecnologia da informação em empresas dos mais variados portes e áreas de atuação.

O profissional de Engenharia de Software

Quem pretende se profissionalizar na área de Engenharia de Software deve, além de buscar a formação superior e a obtenção de um diploma a fim de ser consolidado como profissional, desenvolver uma série de habilidades voltadas para o segmento de tecnologia.

Devido às exigências do setor, o engenheiro de software que deseja atuar de maneira legal e ser bem-sucedido deve atender a algumas exigências. A primeira delas é realizar um registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) de sua região.

Feito isso, ele estará apto a atuar legalmente na área, o que também abre um grande leque de oportunidades entre as empresas com maior credibilidade no mercado.

Além disso, é muito importante que o candidato a Engenharia de Software tenha sede por conhecimento, isto é, goste de se manter por dentro das tendências e novidades do setor de TI, assim como investir na atualização de suas qualificações.

Isso pode ser realizado por meio de cursos livres, pós-graduações e até mesmo em participação em eventos acadêmicos e profissionais.

Vale mencionar, ainda, que o perfil do engenheiro de software deve apresentar algumas características importantes em seu currículo. O que as organizações modernas se referem como soft skills são, na verdade, uma série de habilidades que estão além do que foi desenvolvido nos cursos de formação técnica, tais como:

Portanto, além de interpretar números e elaborar algoritmos, um bom engenheiro de software deve ter também criatividade, visão estratégica, dedicação e responsabilidade, por exemplo.

Ainda que ele não tenha como foco a programação, é imprescindível que domine conhecimentos sobre as linguagens mais utilizadas, que são:

  • Python;
  • C++;
  • JavaScript;
  • PhP;
  • Ruby;
  • Visual Basic.

Por fim, é fundamental que o engenheiro de software seja habilidoso em exatas, visto que os profissionais do setor se deparam frequentemente com algoritmos em operações que fazem parte de seu cotidiano.

É claro que ele pode contar com diversas ferramentas que otimizam o trabalho com desenvolvimento de softwares, como o Integrated Development Enviroment (IDE) ou, como é conhecido em português, Ambientes de Desenvolvimento Integrado.

Engenharia de Software: estrutura necessária para realizar o curso

Para que possam desenvolver as atividades propostas em sala de aula, é importante que os alunos inscritos no curso de Engenharia de Software tenham seus próprios notebooks com acesso à internet.

Além disso, embora não seja exigida uma máquina altamente potente, algumas configurações mínimas são necessárias para que o equipamento rode os programas que serão utilizados no decorrer das aulas, como:

  • memória RAM mínima de 4 GB — desejável 8 GB;
  • processador mínimo Intel Core i5 — desejável i7;
  • processador rígido mínimo de 350 GB — desejável 500 GB.

Pós-graduação em Engenharia de Software

Uma pós-graduação em Engenharia de Software (especialização) tem em média 360 horas de duração, podendo variar para menos ou para mais de uma instituição de ensino para outra. O público-alvo desse curso é composto por profissionais da área portadores de diplomas de cursos como:

  • Ciência da Computação;
  • Tecnologia em Processamento de Dados;
  • Licenciatura em Computação;
  • Tecnólogo em Redes de Computadores;
  • Tecnólogo em Gestão de TI;
  • Tecnólogo em Jogos Digitais;
  • Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Os cursos precisam ser reconhecidos pelo MEC, certo?.

Disciplinas da pós-graduação em Engenharia de Software

Em geral, o curso é dividido em quatro módulos e a apresentação de um TCC. Entre as disciplinas abordadas, podemos citar:

  • Gestão Estratégica de TI;
  • Arquitetura da Informação e User Experience;
  • Projeto e Otimização de Banco de Dados;
  • Métricas de Software;
  • Modelagem de Dados;
  • Gerenciamento de Projetos de Software;
  • Linguagem de Modelagem Unificada (UML);
  • Modelo de Maturidade de Software;
  • Tópicos Avançados em Engenharia de Software;
  • Qualidade de Software;
  • Projeto e Implementação Orientados a Objeto;
  • Arquitetura Orientada a Serviços — SOA e Web Services;
  • Análise Orientada a Objetos e Projeto Arquitetural.

De maneira geral, para se tornar um profissional competitivo na área de desenvolvimento de softwares, é importante ter em mente que há um longo caminho de estudos pela frente, o que é muito comum na maioria das profissões hoje em dia.

Somando o tempo de graduação mais o de cursos técnicos adicionais e uma pós-graduação, um bom engenheiro de software pode precisar dedicar em torno de 10 anos ou mais a sua carreira.

Como você pôde contemplar neste guia completo, há uma demanda crescente para profissionais formados em Engenharia de Software, visto que a modernização das soluções para questões cotidianas é uma constante no cenário em que vivemos.

Acesse gratuitamente por 14 DIAS mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

Quem pretende se profissionalizar na área deve trabalhar em suas habilidades com exatas e se manter por dentro das maiores tendências em tecnologia da informação. Certamente, esse é um mercado em ascensão e que deve se manter em alta pelas próximas décadas.

Este guia sobre o curso de Engenharia de Software foi útil para você? Então, não deixe de conferir agora mesmo nosso plano de estudos para se preparar para as provas do Enem e dos vestibulares!

Campanha Always On Cadastros