Medicina ortomolecular: tudo sobre essa nutrição ideal!

Você já ouviu falar em medicina ortomolecular? Essa é uma área muito interessante da medicina alternativa que explora diferentes formas de utilizar a alimentação a favor do equilíbrio do seu corpo e ainda emagrecer.

Ficou interessado em saber como a medicina ortomolecular funciona? Então, vamos conferir os tópicos que preparamos sobre o assunto especialmente para você!

O que é medicina ortomolecular?

medicina ortomolecular é uma modalidade de atuação que se utiliza da alimentação e suplementação de vitaminas para equilibrar a quantidade de moléculas presentes no nosso corpo — química e fisicamente falando.

São moléculas biológicas — como as enzimas, as proteínas, os ácidos graxos, as vitaminas e muitas outras — que fazem parte do nosso organismo. Elas dão origem a uma série de radicais livres durante o processo normal de queima do oxigênio para geração de energia, ao reagirem com outras substâncias, causando danos às células sadias.

Além disso, fatores externos também contribuem para o aumento dos níveis de radicais livres no nosso organismo, incluindo poluiçãoos raios ultravioletaso consumo de álcoolcigarro e frituras. O estresse também é um fator importante na produção de radicais livres.

De modo geral, sempre existem radicais livres em nosso organismo, mas quando estão presentes em grande quantidade, eles nos prejudicam, contribuindo para o surgimento de vários problemas de saúde, como enfraquecimento do sistema imunológico, envelhecimento precoce e outros males, incluindo artrite e catarata.

Por combater os radicais livres e equilibrar a quantidade das nossas moléculas biológicas, a medicina ortomolecular pode evitar o aparecimento dessas doenças citadas, que são comuns com o passar dos anos, e até mesmo prevenir o câncer.

Como a medicina ortomolecular funciona?

A medicina ortomolecular basicamente funciona como uma dieta especial e uma suplementação de vitaminas feita de forma personalizada, especialmente para cada paciente.

Porém, antes de dar início ao tratamento, é preciso verificar o que realmente está faltando no corpo do paciente. Para isso, é realizado um exame que analisa os fios dos cabelos, mostrando a falta dos sais minerais e aminoácidos daquele paciente. Esse exame é chamado de mineralograma capilar.

Com o resultado do exame em mãos, o médico pode montar um plano específico, por meio do qual o paciente deve ingerir cápsulas nas quais estão concentradas as principais substâncias em falta no seu diagnóstico — como as vitaminas, os sais minerais, os antioxidantes, entre outras.

Além disso, é preciso fazer alterações na dieta do paciente. Nesse momento, ele terá que comer somente alimentos naturais, ou seja, há a inclusão na dieta de alimentos integrais, frutas, verduras e legumes para complementar o tratamento com a medicina ortomolecular.

Tratamento com medicina ortomolecular

sucos saudáveis medicina ortomolecular

tratamento com a medicina ortomolecular é indicado para todos os pacientes de qualquer faixa de idade, mas é feito analisando cada paciente de forma especial. Para cada um, existe uma maneira diferente de montar o plano de tratamento.

Esse tratamento visa restaurar a saúde e principalmente prevenir o aparecimento de outras doenças. Assim, quando o paciente é tratado usando a medicina ortomolecular, é possível perceber a redução dos radicais livres, dos metais pesados e as toxinas que dificultam o processo de cura e impedem que o corpo se livre da patologia.

Além disso, a medicina ortomolecular possibilita a entrada de substâncias que fazem com que o corpo se autorrecupere da melhor forma.

Acesse gratuitamente por 14 DIAS mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

Medicina ortomolecular para emagrecer

emagrecimento é uma consequência da medicina ortomolecular, pois o paciente adquire novos hábitos alimentares. São inseridos na dieta para reposição de vitaminas:

  • carboidratos integrais;
  • frutas;
  • verduras;
  • legumes.

Além disso, para complementar a dieta, a medicina ortomolecular lança mão de suplementos de vitaminas, de aminoácidos e sais minerais que podem ajudar muito no tratamento.

Para que a medicina ortomolecular funcione de fato, é preciso manter uma dieta rica em triptofanos, magnésio, ferro, folato, vitaminas do complexo B e a vitamina C. Quer saber onde é possível encontrar cada um deles? Veja a lista abaixo:

  • triptofano: leite, iogurte desnatado, queijo branco, soja, peixes, lentilha, feijão e banana;
  • magnésio: queijo, maçã, cereais integrais, nozes, amêndoas e amendoim;
  • ferro: fígado, ervilhas, feijão, carne vermelha, batata, espinafre, pão integral, brócolis, ovos, queijo, leite e vegetais folhosos;
  • folato: fígado, espinafre, repolho, alface, laranja, brócolis, banana e ovos;
  • vitamina B1: fígado, carne de porco, gérmen de trigo, gema de ovos, peixes e farinhas integrais;
  • vitamina B2: fígado, língua de boi, espinafre, berinjela, óleo de peixe e arroz integral;
  • vitamina B6: fígado, peixe, amendoim e couve-flor;
  • vitamina B12: fígado, ostra, leite, queijo e carne de frango;
  • vitamina C: limão, laranja, abacaxi, acerola, goiaba, alface, pimentas, pimentão, tomate, agrião e espinafre.

Medicina ortomolecular para depressão

Provavelmente já ouviu falar sobre depressão ou conhece alguém que passa por isso. É uma doença psicossomática que pode ser causada por vários fatores diferentes. Em muitos casos, ela também é um efeito colateral de outras medicações.

medicina ortomolecular pode ser um dos melhores tratamentos para depressão, substituindo com sucesso alguns remédios antidepressivos. Com a mudança na dieta do paciente, a reposição de vitaminas e a complementação com o uso de triptofanos, magnésio, ferro e o complexo B, podem trazer o sentimento de bem-estar do paciente devolvendo-lhe a qualidade de vida.

Medicina ortomolecular: benefícios

medicina ortomolecular tem inúmeros benefícios para os pacientes que decidem levar a vida com base nesse tipo de terapia. Veja alguns exemplos de doenças que podem ser tratadas e evitadas com a medicina ortomolecular:

  • ansiedade;
  • depressão;
  • infertilidade;
  • candidíase;
  • artrite;
  • pressão alta;
  • asma;
  • problemas no sistema digestório.

Sem falar na prevenção do câncer, das doenças que afetam o sistema imunológico, além do Parkinson, mal de Alzheimer, diabetes e obesidade.

Infelizmente a medicina ortomolecular não é amplamente utilizada como instrumento público a favor da vida. Imagine o quanto a qualidade de vida da população poderia aumentar e o governo economizar com saúde pública utilizando os benefícios da medicina ortomolecular!

Medicina ortomolecular: curso

O curso de medicina ortomolecular é oferecido pela Associação Brasileira de Medicina Ortomolecular (ABMO). Ele tem como público indicado os médicos de qualquer área que buscam se aperfeiçoar em outras modalidade e terapias alternativas na medicina.

Nem sempre a terapia com medicamentos é a única saída para as doenças. A própria natureza, aliada a um estilo de vida mais saudável e menos sedentário, pode tanto evitar como combater diversos tipos de problemas que assolam a sociedade.

Viu como uma mudança na dieta pode prevenir e tratar tantas doenças? Então, se você se interessou muito pelo assunto, lembre-se sempre de consultar um médico antes de mudar seus hábitos. Seja saudável e consciente!

E lembre-se que medicina e saúde pública também podem ser temas de redação do Enem, portanto, cadastre-se gratuitamente no Stoodi e conheça as principais ferramentas do site para ajudar nos seus estudos.

Campanha Always On Cadastros