Um mês de estudo no exterior corresponde a 6 meses de estudo no Brasil, segundo agência

Você já conhece os Summer Courses? Eles também são conhecidos como Summer School ou simplesmente como intercâmbio de um mês. Esses cursos são de curta duração, realizados nas férias.

Muito comum no exterior, são opções para alunos do mundo inteiro. A maioria se aplica para aprender línguas, como inglês, espanhol, francês, italiano e outras. Mas pode ser opção para quem procura por um curso específico sobre empreendedorismo, moda, gastronomia ou qualquer outra área.

O aluno que estiver interessado em participar, deve se preparar para desembolsar uma quantia um tanto quanto salgada, já que os summer courses, em sua maioria, são ministrados em faculdades de reconhecimento por professores importantes na área. Além disso, eles englobam atividades sociais pós conteúdo aplicado em sala.

Segundo Fabiana Fernandes, gerente de produtos da CI – Intercâmbio e Viagens, a agência embarcou cerca de 75 mil alunos para o exterior para fazer esse tipo de intercâmbio em 2014. Muito se deve ao fato de que, “em média, um mês de estudo no exterior corresponde a 6 meses de estudo no Brasil”.

Apenas um mês: será que vale a pena?

Depende muito de qual é o seu foco. Algumas pessoas querem ir para outro país para aprender por completo o assunto escolhido – geralmente a fluência em inglês. Outras pessoas se dispõe a conhecer uma nova cultura e aproveitar a viagem de uma forma mais despreocupada.

Esse tipo de curso é extremamente focado e específico. Para quem procura imersão e não possui muito tempo, essa é uma das melhores opções. Porém, antes de responder à pergunta, você deve avaliar o seu propósito. Deve, também, avaliar as opções no país para comparar. Veja o que compensa mais, levando em consideração seu tempo e dinheiro.

Certificado do Gabriel Gabriel Zampieri Canadá
Para Gabriel Zampieri, de 22 anos, a experiência de um mês no Canadá foi muito importante para sua formação. Na época da viagem, em 2013, ele estudava na Fatec de São Paulo e não queria adiar um semestre – mesmo porque ele teria que sair da empresa que estagiava.

Como já tinha uma base boa na língua inglesa, ele conseguiu entender e consolidar, de fato, seus conhecimentos. “Foi decisivo”, declara Gabriel.

Já Flavia Nunes, 23 anos, também optou pelo intercâmbio de um mês porque queria se formar o quanto antes. A ex-estudante de pedagogia da USP foi para Toronto durante as férias de julho do mesmo ano, mas sua impressão foi um pouco diferente.

Segundo Flávia, a viagem foi muito importante pensando no lado cultural. Ela, que já havia estudado por 7 anos a língua aqui no Brasil, não venceu sua dificuldade e ainda continua com algumas dúvidas. “Eu voltei falando inglês muito melhor e entendendo muito mais, mas ainda não posso falar que sou fluente”, afirma Flávia.
Flávia Nunes em Toronto
Para ajudar na sua viagem, caso você escolha participar de um intercâmbio de um mês, separamos 6 dicas preciosas para aproveitar melhor as quatro semanas:

  • Ter conhecimento básico da língua para os primeiros dias de cursos
  • Optar por cursos intensivos
  • Conviver com amigos estrangeiros para não correr o risco de falar em português com brasileiros
  • Revisar, de modo breve, o conteúdo depois das aulas
  • Tentar ler jornal e assistir TV todos os dias
  • Conhecer a cultura local e procurar identificar como pensam os moradores da cidade
0 Shares:
Você pode gostar também

Links para Download dos Livros do Vestibular 2014/15

Os estudantes que estão se preparando para prestar os mais diferentes vestibulares do Brasil acabam de ganhar uma mãozinha do Stoodi, plataforma online de vídeo aulas de preparação para o Enem e outros vestibulares. Antes de sair por aí comprando os livros importantes para as provas, que tal pesquisar os...
Leia mais

Qual o melhor método de estudo?

Descubra que tipo de aluno você é Existem diversas formas para estudar: por meio de leituras, produção de resumos, resolução de exercícios e outros. O que não paramos para analisar é como esses métodos podem facilitar a vida dos vestibulandos.  A memória reage de forma diferente aos tipos de estudo,...