Confira 8 dicas para desenvolvê-la : 

 

A inteligência é a nossa capacidade de compreensão e de raciocínio em relação a uma situação ou problema. Ela está diretamente associada ao ato de conhecer e aprender.

Quando você escuta alguém dizer que não é inteligente o bastante para resolver um exercício ou para passar em determinado vestibular, essa pessoa está falando que não tem capacidade para desempenhar aquela função. Mas será que é isso mesmo? Ela acredita nisso baseado em quê? Esses questionamentos são muito importantes para desconstruirmos algumas crenças. Neste texto, vamos pensar um pouco mais sobre o tema.

Muitas pessoas pensam que existe uma certa limitação na nossa capacidade intelectual porque, há muito tempo, acreditava-se que nascíamos com uma “inteligência” e com ela permanecíamos a vida inteira. Mas não é bem assim.

De acordo com um cientista suíço chamado Jean Piaget, que viveu de 1896 a 1980 a inteligência é dinâmica – quanto mais a exercitamos, mais a desenvolvemos. Piaget trouxe uma nova visão sobre a pedagogia.

Sua teoria defende que construímos os nossos conhecimentos por meio das nossas ações. Ou seja, ele dizia que a inteligência nada mais é que o fruto da adaptação entre as nossas estruturas mentais e influências do mundo externo.


Quer ver como isso funciona na prática? Vamos tentar entender o que acontece com o nosso corpo no momento em que estamos aprendendo:

O cérebro, um dos mais importantes órgãos do Sistema Nervoso, começa a ser formado na terceira semana de gestação de um feto. É a partir desse momento que são criados os neurônios – sua unidade funcional -, e suas conexões, também conhecidas como sinapses.

Cada vez que aprendemos algo, novas sinapses são formadas. Quanto mais sinapses temos, mais fácil criar novas conexões. Pegou o espírito da coisa? Ninguém nasce com elas prontas e todo mundo pode criar novas conexões.

Não nascemos sabendo quase nada do que conseguimos fazer hoje. Só aprendemos depois de tentar, errar, identificar o erro e descobrir como evitá-lo. Isso faz parte de todo um processo de aprendizagem.

Quando dizemos que a inteligência é algo que se desenvolve, estamos falando que você pode dar continuidade para esse processo.

Então, se hoje você errou, isso não quer dizer que você é incapaz ou não possui a inteligência necessária. Isso significa que você está dentro do processo de desenvolvimento, e que seu cérebro está sendo treinado para aprender cada vez mais.

– Ah, então mesmo se eu não souber nada, é só eu estudar que vou aprender? 
Sim, exatamente isso.

Vamos pensar na vida de um engenheiro bem sucedido. Quando ele era pequeno, ele passou pela alfabetização, estudou matemática básica e aprendeu as operações simples.

Muito provavelmente ele teve dificuldade em multiplicar ou dividir, por exemplo. Já pensou se ele se julgasse incapaz? Ele não se permitiria a fazer os cálculos que fazem parte da vida de um engenheiro.

Tente desconstruir essa ideia de uma inteligência estática e limitada. Você pode se desenvolver cada vez mais.

– Ok, mas como eu faço para desenvolver a minha inteligência?

A principal dica para você desenvolver sua inteligência é colocar o seu cérebro para funcionar. Como você pode imaginar, existem muitas formas para isso. Vamos dar algumas sugestões do que você pode fazer.

1. Leia muito

A dica é diversificar bastante a sua leitura desde artigos científicos até os romances mais leves de domingo à tarde. Leia os mais diferentes gêneros e tipos de livros. Não se esqueça, também, de dar uma olhada em sites – existe muito material legal disponível no digital, como as charges, por exemplo.

Quando entramos em contato com as mais diferentes formas de linguagens (verbal e não verbal), o nosso cérebro precisa se adaptar para interpretar o que foi dito. Será neste momento em que ele vai se desenvolver mais ainda.
2. Desafie você mesmo

Você já se sentiu desafiado? É muito legal. Melhor ainda é quando conseguimos concluir o que nos foi proposto.

Tente resolver enigmas, charadas ou qualquer outra coisa que envolva o seu raciocínio lógico. Assim que você conseguir interpretá-lo, procure identificar qual foi a linha de raciocínio usada – existem alguns padrões que costumam se repetir.
3. Questione-se 

Se desvendar alguma informação dada por outra pessoa é bom, outro exercício para desenvolver a sua inteligência e descobrir o porquê você pensa como pensa.

Todo mundo tem suas ideologias, crenças e pontos de vista. Investigue o que te fez pensar dessa forma e entenda qual foi a construção cultural que te levou a enxergar o mundo desta maneira.

Quando você argumenta para você mesmo, você desenvolve ainda mais a sua inteligência.
4. Aprenda a tocar um instrumento musical

Já foi provado pela ciência que no momento em que aprendemos a tocar um instrumento musical, diversas áreas do nosso cérebro são estimuladas simultaneamente. Isso se deve pelo fato de envolver principalmente as áreas visual, auditiva e motora.

Para descobrir isso, cientistas monitoraram o cérebro em tempo real por meio de máquinas de ressonância. No momento em que o músico lia a partitura e tocava as músicas dentro do ritmo e melodia, o cérebro se parecia com “fogos de artifício”.
5. Participe de jogos de estratégia 

Se você está de bobeira, procurando algo para fazer, participe de jogos de estratégia.
Existem jogos de tabuleiros muitos legais para isso, RPG, jogos onlines e muito mais.

Ao criar uma estratégia e tentar chegar o mais perto de seu objetivo, você desenvolve ainda mais a sua inteligência.

6. Estimule a sua memória

Jogos de memória podem ser muito eficientes ao desenvolver a sua inteligência. Eles foram o instrumento de estudo na pesquisa citada acima – realizada pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos.

Ao se lembrar de algo, você também está estimulando o seu cérebro a se organizar e encontrar as informações já adquiridas.

7. Use diferentes métodos de estudo

Todos nós temos um jeito especial para aprender. Algumas pessoas são auditivas e compreendem melhor as informações ao ouvi-las. Outras pessoas são visuais e precisam de mapas-mentais para entender a relação entre o conteúdo.

Tente dar uma variada no seu método de estudo e force o seu cérebro um pouquinho para pensar de maneiras diferentes.

Que tal estudar falando em voz alta e andando ao mesmo tempo? Ao criar novas situações, o ele precisará se adaptar e vai criar novas conexões.
8. Não tenha medo de errar

Quanto mais você estuda, mais você desenvolve a sua inteligência. Então, não tenha medo de errar.

O erro faz parte do processo de aprendizagem e é estratégico para você entender onde está a sua dificuldade. Só de você tentar cessá-la, você já está desenvolvendo a sua inteligência.

0 Shares:
Você pode gostar também

Links para Download dos Livros do Vestibular 2014/15

Os estudantes que estão se preparando para prestar os mais diferentes vestibulares do Brasil acabam de ganhar uma mãozinha do Stoodi, plataforma online de vídeo aulas de preparação para o Enem e outros vestibulares. Antes de sair por aí comprando os livros importantes para as provas, que tal pesquisar os...
Leia mais

Qual o melhor método de estudo?

Descubra que tipo de aluno você é Existem diversas formas para estudar: por meio de leituras, produção de resumos, resolução de exercícios e outros. O que não paramos para analisar é como esses métodos podem facilitar a vida dos vestibulandos.  A memória reage de forma diferente aos tipos de estudo,...