Em que região do Brasil você mora? É bem provável que você saiba exatamente como responder a essa pergunta, não é mesmo? Desde pequenininhos, já aprendemos que o nosso país é subdividido em 5 grandes áreas: Norte, Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste.

Aprendemos, também, as características de cada uma das regiões brasileiras e os estados que fazem parte desses grupos. Mas, afinal: há outras formas de regionalização do Brasil? E, para começar, o que significa essa palavra?

Estudar esses conceitos é algo imprescindível para as provas de Geografia no vestibular e, claro, para que você tenha uma boa pontuação no caderno de Ciências Humanas e Suas Tecnologias no Enem. Então, chega de conversa: vamos descobrir mais sobre esse assunto!

Regionalização do Brasil: o que é?

Regionalização é o nome dado a todo e qualquer processo que divida um grande território em áreas menores.

Essa divisão pode ser feita a partir de uma série de fatores. Dentre eles, podemos citar:

  • características de relevo;
  • características das bacias hidrográficas;
  • características sociais e culturais da população;
  • características políticas.

Outros fatores que contribuem para essa divisão são os biomas, o idioma e muito mais.

Como ocorreu a regionalização do Brasil?

O processo de regionalização do Brasil aconteceu por meio de mudanças progressivas na sociedade e economia do país.

No início, com a chegada dos portugueses ao nosso território, éramos uma “coisa só”. Com a instalação dos colonizadores no país, a extensão territorial passou, pouco a pouco, por mudanças. Uma das mais emblemáticas é a implantação das capitanias hereditárias.

No entanto, não paramos por aí. Ciclos diferentes — como o do café, do ouro, das drogas do sertão e do pau Brasil — fizeram com que novos territórios fossem tomados pela população e, assim, novas fronteiras precisassem ser desenhadas no país.

Com a ideia de nação surgindo no povo brasileiro e a formação de uma unidade política, ocorreu a anexação de outros territórios, como é o caso do Acre, e a estilização dos estados como os conhecemos hoje.

A regionalização foi um processo natural para organizar o país tanto a níveis didáticos quanto políticos, permitindo uma maior compreensão do território de dimensões continentais do Brasil e de sua administração pelos governantes.

Tipos de regionalização

Como vimos anteriormente, a regionalização ocorre a partir de uma série de fatores que, juntos, agrupam estados, municípios ou países dentro de um grupo maior.

Com o Brasil, claro, isso não é diferente. As regiões brasileiras são formadas a partir de uma série de características semelhantes entre os estados, que vão desde aspectos políticos e econômicos até aqueles que passam pelo âmbito natural, como o estudo dos ecossistemas nativos da região.

A seguir, veremos duas regionalizações muito importantes para o estudo da Geografia do Brasil. Confira!

regionalização do brasil

Regiões geoeconômicas do Brasil

Estabelecida por Pedro Pinchas Geiger, as regiões geoeconômicas do Brasil dividem o território do país em três grandes grupos.

Eles foram escolhidos com base em suas características naturais (ou seja, solo, clima, vegetação e outros fatores) e socioeconômicas. Aqui, as fronteiras dos estados não são necessariamente respeitadas. A divisão ficou assim:

  • Amazônia: todos os estados do Norte (menos parte do Tocantins), uma porção do Maranhão e o Mato Grosso;
  • Centro-sul: Mato Grosso do Sul, parte do Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, parte restante de Tocantins e os estados do Sudeste e Sul;
  • Nordeste: abrange parte de Minas Gerais e todos os estados do Nordeste, menos uma pequena porção do território maranhense.

Os Quatro Brasis

Milton Santos, um dos maiores nomes da Geografia nacional, é responsável pela elaboração desse modelo de regionalização. Ele separou o nosso território de um modo diferente, levando em consideração aspectos econômicos e as atividades executadas em cada região.

Aqui, foram separados quatro “Brasis”, ou seja, quatro regiões com aspectos tão diferentes que poderiam corresponder a nações diversas. Elas são:

  • Região Amazônica: Amazonas, Roraima, Amapá, Acre e Rondônia;
  • Região Nordeste: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe e Bahia;
  • Região Centro-Oeste: Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul;
  • Região Concentrada: Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Essa porção conta com a maior parte das regiões metropolitanas do país.

Regionalização do IBGE 

Vamos conversar, agora, sobre a regionalização oficial de nosso país: a que é determinada pelo IBGE, ou Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Vamos lá?

Sul

Menor região brasileira, é composta apenas pelos estados:

  • Santa Catarina;
  • Rio Grande do Sul;
  • Paraná.

Sudeste

Região mais industrializada do território, compreende os estados:

  • São Paulo;
  • Minas Gerais;
  • Rio de Janeiro;
  • Espírito Santo.

Centro-Oeste

É a região que abriga o Distrito Federal, unidade federativa do Brasil. Além dele, conta com os seguintes estados:

  • Mato Grosso;
  • Mato Grosso do Sul;
  • Goiás.

Nordeste

Fazem parte os estados:

  • Sergipe;
  • Piauí;
  • Rio Grande do Norte;
  • Pernambuco;
  • Paraíba;
  • Bahia;
  • Ceará;
  • Alagoas;
  • Maranhão.

Norte

Compreende os estados:

  • Acre;
  • Amazonas;
  • Rondônia;
  • Pará;
  • Roraima;
  • Tocantins;
  • Amapá.

Como o tema pode ser cobrado no Enem? 

Para fechar a nossa conversa de hoje, que tal conferirmos um exemplo de como esse tema pode ser cobrado em suas provas?

A questão a seguir caiu no Enem 2009 e abordava aspectos da região Sudeste. Quer ver como esse exercício abordava o tema? Então, confira!

(Enem 2009) A partir do mapa apresentado, é possível inferir que nas últimas décadas do século XX, registraram-se processos que resultaram em transformações na distribuição das atividades econômicas e da população sobre o território brasileiro, com reflexos no PIB por habitante.

A partir do mapa apresentado, é possível inferir que nas últimas décadas do século XX, registraram-se processos que resultaram em transformações na distribuição das atividades econômicas e da população sobre o território brasileiro, com reflexos no PIB por habitante. Assim, 

a) as desigualdades econômicas existentes entre regiões brasileiras desapareceram, tendo em vista a modernização tecnológica e o crescimento vivido pelo país;

b) os novos fluxos migratórios instaurados em direção ao Norte e ao Centro-Oeste do país prejudicaram o desenvolvimento socioeconômico dessas regiões, incapazes de atender ao crescimento da demanda por postos de trabalho;

c) o Sudeste brasileiro deixou de ser a região com o maior PIB industrial a partir do processo de desconcentração espacial do setor, em direção a outras regiões do país;

d) o avanço da fronteira econômica sobre os estados da região Norte e do Centro-Oeste resultou no desenvolvimento e na introdução de novas atividades econômicas, tanto nos setores primário e secundário, como no terciário;

e) o Nordeste tem vivido, ao contrário do restante do país, um período de retração econômica, como consequência da falta de investimentos no setor industrial com base na moderna tecnologia. 

Resposta: D

Não acertou essa questão sobre a regionalização do Brasil? Não se preocupe! Agora é o momento certo para que você comece a aprofundar os seus conhecimentos sobre o tema. Que tal dar uma olhadinha no Plano de Estudos do Stoodi e otimizar a sua preparação para os vestibulares?

Você pode gostar também