Toyotismo: o que é e principais características!

Confira 5 perguntas respondidas sobre o tema e entenda o conceito toyotista 

Dominar os sistemas de produção, como o Toyotismo, Fordismo e Taylorismo, é essencial para mandar bem no Enem e vestibulares, já que eles podem ser relacionados às questões de Sociologia, História e Geografia.

Para entender a maneira como se produzia em cada contexto histórico e ficar ainda mais preparado para os processos seletivos, nós separamos 5 perguntas que vão revelar tudo sobre o Toyotismo.

Tenha acesso GRATUITO a mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

Confira nossas dicas e aproveite para testar seus conhecimentos. Vamos lá?

O que é o Toyotismo?

O Toyotismo é um sistema de produção baseado na fabricação sob demanda. Ele foi criado no Japão por Taiichi Ohno, um funcionário da Toyota, com o objetivo de eliminar o desperdício durante o processo e, principalmente, evitar a acumulação de mercadorias no estoque.

O método ficou conhecido e passou a ser usado em diversos países a partir das décadas de 1960 e 1970, com o aumento do consumo, somado ao surgimento do neoliberalismo e as influências da globalização.

Esse método de produção é usado até hoje em diversas empresas. A seguir, conheça suas características e veja como o Toyotismo funciona no dia a dia.

Características do Toyotismo

Podemos destacar como a principal característica do Toyotismo a produção flexível. Ela vai variar de acordo com a necessidade do consumidor.

Antes de fazer qualquer produto, são feitas pesquisas de mercado e é preciso ter a demanda declarada. É por isso que o conceito é chamado “Just in Time”. A produção começa a partir do momento que o pedido for feito.

Além disso, podemos pontuar outras características, como:

  • A mão-de-obra é qualificada, treinada e tem consciência das diversas etapas de produção, mesmo se concentrando em apenas uma;
  • Como os funcionários estão por dentro do processo de produção, pode acontecer de serem realocados para desempenhar outra atividade;
  • Foco na qualidade total do produto e sua diferenciação no mercado;
  • Eliminação de desperdícios;
  • Trabalho em equipe;
  • Zero defeito na fabricação dos carros da Toyota.

veículo interno toyota

Como surgiu o sistema toyotista

Com as grandes indústrias e a alta concorrência do capitalismo industrial, a busca pelo aumento do lucro estava desenfreada. Desta forma, optou-se pela modernização das máquinas, as jornadas de trabalho ficaram cada vez maiores, com mão-de-obra barata e salários menores.

Até então, os trabalhadores executavam o trabalho completo, todos juntos e desorganizados, participando do início, meio e fim da produção.

Foi quando Frederick Taylor teve uma ideia para deixar o modelo de produção mais produtivo: com a divisão do trabalho por etapas e trabalhadores especializados em uma função específica, poderia evitar o  “desperdício de movimento”.

Foi assim que surgiu o Taylorismo, nos Estados Unidos. Esse novo formato de produção tinha como característica a hierarquia e burocratização, já que contava com a supervisão humana (um trabalhador seria responsável por controlar um grupo de trabalhadores).

Logo em seguida, Henry Ford bebeu da fonte do Taylorismo e adaptou criando um novo método de produção: em vez de cada trabalhador pegar a mercadoria, fazer o trabalho e passar para a frente, uma esteira poderia deixar tudo mais rápido na linha de montagem.

Foi então que surgiu o famoso sistema de produção: Fordismo. Com ele, o ritmo era ditado pelas fábricas e os trabalhadores precisavam se adequar. A consequência foi um aumento ainda maior de produção, já que os funcionário produziam mais com a mesma jornada de trabalho.

Economicamente, a produção em massa e larga escala foi muito boa a curto prazo. Porém, com o tempo, os mercados ficaram abastecidos por produtos iguais, sem giro. O consumidor já não queria mais aquilo (ele tinha preferências que não foram atendidas) e os produtos ficaram estocados.

Como você já deve imaginar, para um produto ficar parado no estoque tem um certo custo. Os gastos cresceram e o lucro não era mais o mesmo. A solução para esse problema foi encontrada no Japão, por Taiichi Ohno.

O sistema de produção toyotista surgiu para evitar os desperdícios e estoques parados. As mercadorias passaram a ser feitas de acordo com as preferências e necessidades do consumidor e com foco na qualidade.

Contribuição do Toyotismo para o lucro e produção

Já que a produção era feita sob demanda, o Toyotismo não contava com o custo do estoque cheio. Além disso, os produtos eram focados no cliente e isso aumentava a saída de cada um deles.

Quer ver um exemplo? Você gostaria de comprar um carro do jeito que a montadora quer ou prefere escolher a cor e tipo de material usado no interior? Pois é. Isso tudo aumentava as vendas e refletia em aumento do lucro no final do mês.

Diferença entre o Taylorismo, Fordismo e Toyotismo

Existem algumas diferenças entre os sistemas de produção. Apesar de considerarmos o Taylorismo-Fordismo complementares, confira uma tabela com detalhes dos três métodos:

Detalhes:TaylorismoFordismoToyotismo
OrigemEstados UnidosEstados UnidosJapão
Criado porFrederick TaylorHenry FordTaiichi Ohno
DiferencialDivisão das tarefasEsteira na linha
de montagem
Produção Just in Time
CaracterísticaOrganização do trabalhoAumento do ritmo
de trabalho
Produção flexível

E aí, está pronto para mandar bem nas questões de Toyotismo? Agora você precisa ficar afiado em outras matérias também para mandar muito no Enem e vestibulares. Faça seu plano de estudos e se prepare para as provas!

Banner_Volta_ao_mundo
Você pode gostar também