Quando falamos sobre a Alemanha hoje em dia, é fácil pensar em um local desenvolvido, com altos índices de qualidade de vida, uma boa economia e uma ótima seleção de futebol. No entanto, as coisas nem sempre foram assim, e esse país passou por uns maus bocados até encontrar a estabilidade observada no século XXI.

Além de ser uma personagem principal na Primeira e na Segunda Guerra Mundial, a Alemanha participou de outro evento emblemático para a sua história: a Guerra Fria. Nela, o seu território foi dividido em duas partes, algo que é frequentemente cobrado em provas de vestibulares de todo o Brasil.

Quer saber mais sobre a divisão da Alemanha e descobrir quais foram as causas que levaram a esse episódio? Então, continue a leitura e descubra agora mesmo!

Divisão da Alemanha

O território alemão foi, por muitos séculos, altamente fragmentado. A unificação alemã consistiu em um processo longo que envolveu a conquista de pequenas regiões e foi, junto com a unificação italiana, um período considerado tardio historicamente.

O que os alemães não imaginavam é que a fragmentação de seu território voltaria a acontecer, de certa forma. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os países vencedores do conflito — União Soviética e Estados Unidos — dividiram a Alemanha em duas porções: ocidental e oriental.

Também ocorreu a participação de outras nações nesse processo, como o Reino Unido e a França. No entanto, elas estavam em sincronia com as medidas capitalistas dos Estados Unidos e, para as provas, a divisão didática é mais simples e aborda apenas as duas principais potências do período.

O maior símbolo desse evento foi a construção do Muro de Berlim, que literalmente dividiria a capital alemã em duas. A capital da Alemanha Oriental ficou com a cidade de Dresden, enquanto Bonn passou a ser a sede do governo da porção Ocidental do país.

Contexto histórico 

O contexto histórico para a divisão alemã foi o fim da Segunda Guerra Mundial. A partir daí, uma série de sanções e obrigações foram aplicadas à Alemanha, que se viu novamente em estado de calamidade, uma situação parecida com a enfrentada após o fim da Primeira Grande Guerra.

Os lados leste e oeste tinham diferenças marcantes entre si. Enquanto a porção capitalista recebia apoio das nações “parceiras” e se desenvolvia industrialmente, a parte socialista sucumbiu e sua população passou por grandes dificuldades. Eles ficaram, por exemplo, sem energia elétrica por quase um ano entre 1948 e 1949.

Apesar disso, as duas Alemanhas eram parte da ONU (Organização das Nações Unidas). Na OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), apenas a parte Ocidental era participante.

Causas

A principal causa da divisão da Alemanha foi o fim da Segunda Guerra e os resultados obtidos com esse conflito. O objetivo inicial era fazer a partilha do território e utilizá-lo para reaquecer a economia da Europa, fortemente afetada pelos gastos da guerra e suas perdas humanas.

Além disso, podemos citar como razão para essa polarização o embate entre os grupos econômicos do socialismo e capitalismo. As nações envolvidas na divisão tinham opiniões diferentes sobre o que devia ser feito com o território.

Enquanto os EUA buscavam investir na região e torná-la próspera, a União Soviética tinha interesses de recuperar o prejuízo que teve com os custos do combate. Por isso, as causas são ideológicas, financeiras e de interesse.

Consequências

Algumas consequências observadas com a divisão da Alemanha são:

  • mudança no mapa da região;
  • surgimento de novos conflitos de interesse entre as nações envolvidas;
  • surgimento de uma grande desigualdade social entre os lados da Alemanha.

Além disso, a divisão entre o leste e oeste da Alemanha é um problema que até hoje não foi devidamente superado. Atualmente, ainda é possível encontrar discrepâncias no desenvolvimento da parte ocidental e oriental, ainda que a diferença esteja diminuindo com o passar do tempo.

Queda do Muro de Berlim 

A queda do Muro de Berlim foi um evento que aconteceu em 1989. Ele simboliza o fim da dominação na região e marca a reunificação Alemã e o fim da Guerra Fria.

A principal causa para esse evento foi a “derrota” do bloco socialista e, consequentemente, a vitória do lado capitalista do globo.

Como o tema pode ser cobrado no Enem? 

Agora, para fechar a nossa conversa, observaremos um exercício que já apareceu em vestibulares e pode ser abordado no Enem, sobre o tema da divisão do território alemão.

Com isso, você poderá ver como esse tema é cobrado e ter uma ideia melhor de como se preparar. Vamos lá?

(URCA 2015/1) Em 09 de novembro de 1989, os 156 km de extensão, cerca de trezentas torres militares para observação, os cães policiais e as 127 cercas eletrificadas, desapareceram deixando um rastro de cerca de 80 mortos, 12 feridos e milhares de aprisionados nas diversas tentativas de fuga, e dezenas de milhares de famílias berlinenses divididas e sem contato algum.

O texto acima refere-se ao Muro de Berlim, segundo o qual podemos CORRETAMENTE afirmar:

a)      foi o maior símbolo da divisão do mundo entre bloco ocidental e oriental. O primeiro, liderado pelos Estados Unidos, e o segundo, encabeçado pela antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas;

b)     foi construído, no ano de 1945, por ocasião do término da Segunda Guerra Mundial e o início da polarização entre EUA e URSS, fenômeno conhecido como Guerra Fria;

c)      foi construído no ano de 1961 pela Alemanha Oriental, separando-a da Alemanha Ocidental. Além do aspecto ideológico da construção, havia o objetivo de impedir a fuga de cidadãos para a Alemanha Oriental, que recebeu mais de dois milhões de pessoas do lado capitalista entre 1949 e 1961;

d)     apesar de simbolizar o começo da Guerra Fria, sua destruição não tem relação com o seu fim, tendo em vista que a URSS, hoje Rússia, apesar de algumas perdas territoriais continua disputando a hegemonia mundial, a exemplo do que ocorreu recentemente na Ucrânia;

e)     podemos considerar que sua construção teve os mesmos motivos da construção do atual Muro que separa Israel da Palestina, tendo em vista os aspectos étnicos e culturais.

Resposta: A

Já deu para perceber que a divisão da Alemanha é um tema bem complexo e que se relaciona com muitos outros assuntos, não é? Para entender melhor todas essas ligações, que tal dar uma conferida no Plano de Estudos do Stoodi? Com ele, você organiza seus estudos e aproveita melhor o seu potencial!

Você pode gostar também