Valorização dos sentimentos e da subjetividade, retrato de temas do cotidiano e utilização da técnica de pontilhismo, você provavelmente já ouviu falar do Pós-Impressionismo ou, ao menos, já se deparou com algumas das obras e nomes mais marcantes desse movimento, como Girassóis e Noite estrelada, de Vincent Van Gogh.

Esse estilo artístico marcou um importante período na História e na Arte, sendo, dessa forma, um dos importantes temas cobrados na prova de Linguagens do Enem.

Por conta disso, elaboramos este texto para explicar melhor o que foi esse movimento artístico, suas características e principais obras e artistas. Assim você poderá arrasar na hora da prova! Então, vem com a gente!

O que foi o Pós-Impressionismo?

Como o próprio nome sugere, o Pós-Impressionismo foi um movimento artístico que surgiu na França ao final do século XIX, após o auge do Impressionismo. O termo foi cunhado pelo crítico britânico Roger Eliot Fry, que o utilizou para se referir às obras de Paul Cézanne, Vincent Van Gogh e Paul Gauguin expostas na Grafton Galleries (galeria situada em Londres que expôs as maiores exibições de arte impressionista e pós-impressionista).

Embora, como tudo na História da Arte, seja difícil estipular com precisão quando o movimento começou, na maior parte das vezes compreende-se que ele teve início após a última grande exposição de arte do movimento impressionista em 1886, perdurando até a primeira década do século XX, quando os movimentos vanguardistas começaram a aparecer. Mesmo que não tenha durado muito tempo, o movimento pós-impressionista transformou a forma como a arte era feita no período.

quadro pós-impressionista

Contexto histórico

O surgimento do Pós-Impressionismo está totalmente relacionado ao contexto da França ao final do século XIX. Em 1886, Paris passou por diversas mudanças que influenciaram as características do movimento.

Naquele ano, Gustave Eiffel foi vencedor do concurso para a construção de um monumento para homenagear o centenário da Revolução Francesa e desenvolveu a famosa Torre Eiffel, com sua estética arquitetônica pesada e simples, feita de material puramente industrial. Essas características impressionaram diversos artistas, como Paul Gauguin.

O concurso vencido por Gustave Eiffel foi celebrado na Exposição Universal de 1889. Nesse evento, foi exposto à cena parisiense o mundo “exótico” do Oriente, com templos indianos, danças javanesas e a pureza funcional que impressionou Gauguin no pavilhão da Índia.

As novidades trazidas pela exposição e as novas construções arquitetônicas feitas ao longo do rio Sena a partir de 1900 trouxeram mudanças radicais na perspectiva artística da época, influenciando bastante os artistas pós-impressionistas.

Características do Pós-Impressionismo

Muitas vezes, os impressionistas são considerados solitários por raramente se reunirem e nem sempre compartilharem de uma mesma opinião. De forma similar ao que aconteceu com os impressionistas, os pós-impressionistas não foram bem aceitos pelo Salão de Paris (local fundado para expor obras de arte dos membros da Academia Real de Pintura e Escultura).

Por conta disso, os artistas tiveram de encontrar alternativas para conseguir mostrar suas obras ao público. Uma delas foi criar suas próprias exposições. Em 1884, foi inaugurado o Salão dos Artistas Independentes e, em 1903, o Salão do Autônomo, que davam condição de liberdade, rompendo com a dependência do júri acadêmico.

Embora existisse uma grande diversidade na arte pós-impressionista, tanto em questão de técnica quanto em relação ao estilo, é possível elencar algumas das principais características desse movimento, como:

  • valorização da subjetividade na criação das obras;
  • utilização da bidimensionalidade em detrimento da perspectiva;
  • representação de temas da vida cotidiana;
  • uso de técnicas de pontilhismo;
  • emprego da teoria das cores;
  • utilização de técnicas de luz e textura.

Obras e artistas do Pós-Impressionismo

Grande parte dos artistas do Pós-Impressionismo passaram pela escola impressionista. Contudo, com o tempo, desenvolveram suas próprias características e técnicas, muitas vezes rompendo com o realismo e a objetividade, marcas do Impressionismo.

A seguir, listamos os principais artistas do Pós-Impressionismo, além de suas obras mais marcantes. Acompanhe!

Paul Cézanne (1839 – 1906)

Nascido na França, Paul Cézanne desenvolveu seu próprio estilo e forneceu bases importantes para a transição da arte do século XIX para o século XX, sendo considerado a ponte entre o Impressionismo e o Cubismo.

Em suas obras, utilizou de distorções formais e mudanças de perspectiva, pintou paisagens a partir de sua própria imaginação. Inicialmente, fazia grupos de figuras grandes e pesadas, posteriormente utilizando figuras leves e arejadas. Seu trabalho é marcado por obras como:

  • A orgia (1864);
  • O negro Cipião (1867);
  • A tentação de Santo Antônio (1870);
  • A casa do enforcado (1873);
  • Os jogadores de cartas (1892);
  • Ainda vida com gesso cupido (1895).

Paul Gauguin (1848 – 1903)

Francês que viveu sua infância no Peru, Gauguin desenvolveu técnicas como o sintetismo e alveolismo, estilos que representavam simbolicamente a natureza utilizando formas simplificadas e grandes cores vivas. Sua pintura ficou marcada como alegórica, decorativa e sugestiva, com formas dimensionais, estilizadas e estáticas. Algumas de suas obras são:

  • Vincent Van Gogh pinta girassóis (1888);
  • Café em Arles (1888);
  • Autorretrato em auréola (1889);
  • O Cristo amarelo (1889);
  • Duas taitianas com flores de manga (1899).

Toulouse-Lautrec (1864-1901)

Henri de Toulouse-Lautrec deixou um grande legado para o Pós-Impressionismo. Uma das grandes características de sua obra era o retrato de pessoas da vida boêmia da capital francesa, representadas em ambientes internos.

Suas obras revolucionaram o design gráfico, além de terem conseguido grande destaque na publicidade ao confeccionar cartazes de teatros e cabarés. Conseguindo popularidade, suas obras foram bastante comercializadas, influenciando o surgimento da Art Nouveau. Algumas de suas criações foram:

  • Retrato de Vincent Van Gogh (1887);
  • No Circo Fernando (1888);
  • Moulin Rouge – La Goulue (1891);
  • Retrato de Gabrielle (1891);
  • Na cama (1892).

Vincent Van Gogh (1853-1890)

Um dos artistas mais importantes nomes do Pós-Impressionismo, Vincent Willem van Gogh criou mais de duas mil obras em 20 anos. Elas são marcadas por paisagens, retratos, autorretratos e natureza-morta.

Seu estilo foi desenvolvido à medida em que ele mudava cidade em busca de novas culturas e paisagens. Inicialmente, seus trabalhos eram marcados por tons terrosos e escuros, com uma atmosfera melancólica. Posteriormente, Van Gogh começou a pintar obras com cores vibrantes e pinceladas fortes. Seus principais trabalhos são:

  • A noite estrelada (1889);
  • Autorretrato (1889);
  • Amendoeira em flor (1890);
  • Autorretrato com a orelha cortada (1889);
  • O quarto (1888).

O Pós-Impressionismo foi um movimento artístico que marcou profundamente a arte do século XIX e XX, influenciando e inspirando artistas até hoje. Por sua importância, esse é um tema bastante cobrado nas provas de concursos vestibulares. É sempre bom lembrar que é importante revisar os conteúdos estudados, além de aprofundar seu conhecimento sobre esse e outros movimentos artísticos.

E então, gostou do artigo? Aproveite para aprimorar sua organização com nosso plano de estudos. Com ele, selecionamos e organizamos os conteúdos que você precisa estudar para conquistar sua aprovação!

Você pode gostar também