Como estudar e ampliar seu vocabulário?

Por Marcelo Santos,

Olá, galerinha!

Tenha acesso GRATUITO a mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

Agora você já sabe a importância do Inglês no seu resultado no vestibular, pois já fizemos a comparação dele com as outras disciplinas, certo? Bem, se você não viu nada disso, leia a coluna anterior, da semana passada.

Mas vamos hoje com outro problema. Inglês é uma das matérias mais complicadas para se estudar. Isto porque, basicamente, não há matéria! As provas em sua imensa maioria são baseadas em compreensão de texto, e ninguém é capaz (nem os nativos do idioma) de saber todo o vocabulário da língua.

Quando se trata de Física ou de Química, por exemplo, você consegue dividir o conteúdo em blocos bem delimitados, entender os conceitos, decorar as fórmulas, fazer alguns exercícios aplicando tudo isso e pronto – matéria aprendida. Você tem essa sensação clara de fechamento de conteúdo e de avanço na matéria. Mas isto não ocorre com o Inglês.

Qual a primeira consequência disso? Bem, você já vinha com aquela ideia errada de que “Inglês vale pouco na pontuação final” e “sou fluente, posso pular e me empenhar em outras matérias”. Somando-se a isso tem essa sensação de estar empacado, de não sentir o conteúdo em Inglês avançar – uma vez que não há blocos de conteúdo tão claros.

Esta sensação reforça ainda mais aquela sua vontade de abandonar Inglês de vez e aprender Hidrostática. E o que provavelmente vai acontecer? Você vai gabaritar as questões de Hidrostática (se por acaso cair no vestibular) e errar algumas de Inglês, podendo não obter sucesso. Vamos resolver isso?

Bem, as provas de Inglês são baseadas em textos, correto? São textos de jornais, revistas, charges, tirinhas e propagandas. Você precisa, então, estar habituado a ver estes gêneros em Inglês – e aqueles que são fluentes apenas conversam com fluidez, mas não possuem por hábito ler jornais em Inglês. Esta é, então, a primeira forma para se estudar: navegar nas fontes de Internet (gratuitas, é claro!) e ler todos esses gêneros textuais.

E qual a freqüência desta leitura? Aí vem o grande segredo: TODO DIA. Basta ler um texto diário, mas tem que ser diário. Você vai chegar preparado no vestibular, consciente de toda a forma dos gêneros em questão, estruturas mais freqüentes e tudo o mais. Além disso, você vai ampliar seu vocabulário. Por que você acha que uma frase como “The book is on the table” é hoje tão fácil para você? Se pararmos para pensar, nada ali tem semelhança com a palavra correspondente em Português. A resposta é apenas uma: EXCESSO DE EXPOSIÇÃO A TAIS PALAVRAS.

Sim! Quanto mais você vê aquela palavra em uso, mais você a internaliza. Ela passa a ser parte do seu repertório de vocabulário ativo. E você nem precisa fazer aquelas listas quilométricas de vocabulário, com as palavras traduzidas – afinal, quem volta e lê de novo essas listas? Dou um doce para quem o fizer! Você vai sim procurar pelo significado quando não conseguir decifrar pelo contexto (o que seria o ideal). E com o tempo a sua leitura ganha velocidade e fluidez, e você ganha repertório.

É um processo lento, diário. Não é como se dedicar um dia para estudar Magnetismo e pronto. Mas garanto que vai te trazer resultados incríveis em seu vestibular. Portanto, comece a ler!

Abraços e até mais!

Marcelo Santos é professor de Inglês do Stoodi. Com Licenciatura em Inglês pelo Mackenzie e pós-graduação em Educação pela UFLA, já proferiu palestras em simpósios nacionais e internacionais sobre ensino de idiomas e educação. Atualmente é professor de cursinhos pré-vestibulares no estado de São Paulo.

Você pode gostar também