Se você já está montando um plano de estudos para o Enem, provavelmente a matemática está presente na sua rotina, não é mesmo? Afinal, são muitas matérias que envolvem essa disciplina e a estatística é uma delas.

Apesar de existir uma rotulagem como algo difícil (e de início pode até parecer que é), a estatística está presente em muitas áreas da nossa vida, principalmente para realizar pesquisas, analisar dados e prever situações. Com esse conhecimento, você consegue entender as probabilidades de uma situação ou descobrir e apresentar fatos reais.

Seja na área de geografia, como na análise do tempo e nos institutos de geografia, como o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que desenvolve pesquisas importantes, como o Censo; seja na área da biologia, com exames laboratoriais (por exemplo, os de sangue); ou mesmo no mercado corporativo e na comunicação e marketing, em que é preciso descobrir como está o mercado e entender sobre o perfil do consumidor; a estatística está presente.

Acompanhe e veja como tirar isso de letra nas provas!

O que é estatística?

A estatística é uma ciência antiga — a palavra vem do latim e significa “estado”, que foi a primeira função dessa técnica. Ela servia para que o estado tivesse ideia dos seus números. Em histórias milenares, como fatos bíblicos ou do antigo Egito, você confere ações como o recenseamento para determinar a quantidade de habitantes, de crianças e outros dados relevantes.

O objetivo da estatística é apresentar uma resposta concreta para algum problema que pode ser resolvido por meio da análise de dados. Contudo, além de calcular, um estatístico (matemático que trabalha com estatística), também precisa:

  • ser capaz de entender qual é o objetivo da pesquisa;
  • montar um plano com as diretrizes para a coleta e análise dos dados (incluindo metodologia, amostragem e mesmo o questionário em si);
  • ir a campo, juntando as informações coletadas, conferindo se há possibilidade de erros, inclusive;
  • apurar e interpretar os dados;
  • desenvolver uma apresentação que facilite o entendimento da pesquisa por meio de tabelas e gráficos;
  • gerar um relatório detalhado sobre a pesquisa e os resultados coletados.

Tipos de gráficos estatísticos

Com a finalidade de apresentar os resultados do trabalho, existem diversos tipos de gráfico. Afinal, além de uma apresentação estética, ele varia de acordo com as informações. Por exemplo:

  • gráfico de barras: horizontal ou vertical, serve para comparar informações sobre um mesmo dado;
  • barras agrupadas: é possível acompanhar uma diversidade de grupos de dados;
  • curvas: similar ao de barras, porém apresenta os dados unindo diversos pontos da análise por uma linha;
  • poligonal: tem função similar ao gráfico de barras agrupadas, mas seu layout é formado por várias curvas;
  • pictograma: ícones são usados para simbolizar o objeto de análise. Têm a desvantagem de não apresentar muita objetividade, porém são mais atrativos;
  • circular ou de pizza: ajuda a comparar diversos grupos de informação.

Probabilidade e Estatística

A probabilidade é um dos principais direcionamentos que a estatística pode oferecer para influenciar em tomadas de decisão. Por exemplo: se temos uma alta umidade do ar, então a probabilidade estatística de chover é muito grande. Normalmente representada em porcentagem, a probabilidade apresenta as chances de um determinado evento acontecer.

Uma das principais formas de se cobrar estatística no Enem é através da probabilidade, ou seja o cálculo que apresenta as chances de algo acontecer. Então, se uma mulher está grávida, e as pessoas querem adivinhar o sexo da criança, as chances são de 1 para 2 (tendo em vista que o bebê pode nascer menino ou menina). Já para alguém que joga na Mega-Sena, as chances são de 1 para 50.063.860, ou seja, é muito mais difícil acertar neste último.

Para analisar a probabilidade de dois eventos, existe a probabilidade condicional, que levará em conta os dois resultados.

Moda estatística

Apesar de a moda estatística não ser tão conhecida, descobrir a moda é algo bem simples. Semelhante à moda de roupas e acessórios, a moda estatística é simplesmente o número que mais se repete. Imagine que, ao jogar um dado, os resultados são: 2, 4, 6, 5, 6, 3, 1, 6, 6. Neste caso, 6 seria a moda estatística, pois foi o número que mais apareceu (4 vezes).

Mediana estatística

Já a mediana estatística está relacionada ao resultado que fica no meio dos números, após eles serem ordenados em ordem crescente. Se fizéssemos isso com o resultado anterior, por exemplo, ficaria 1, 2, 3, 4, 5, 6, 6, 6, 6. Assim, a mediana é 5. Quando os dados para análise da mediana são pares, por exemplo, se jogássemos o dado mais uma vez e encontrássemos o resultado 1, teríamos 10 números para analisar: 1, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 6, 6, 6. Assim, é preciso somar os valores dos dois que estão no meio e dividir por 2. 4 + 5 / 2 = 9

Estatística no Enem

É importante entender como a estatística é cobrada no Enem e se preparar para acertar todas as questões e aumentar as chances de ingressar na universidade que você sonhou, não é mesmo? Quando a estatística cai no Enem, provavelmente ela se apresentará como:

  • moda;
  • mediana;
  • média aritmética (a famosa média, em que se soma todos os resultados e divide pela quantidade de itens somados.

Retomando o exemplo anterior, se ao jogarmos os dados temos 2, 4, 6, 5, 6, 3, 1, 6, 6, 1; teremos: 40/10 = 4. Então a média dos resultados dos dados é 4.

Faculdade de estatística

Com alta demanda no mercado e excelente remuneração, a área de estatística tem sido bem cotada. Afinal, com o desenvolvimento tecnológico e quantidade cada vez maior de dados, é preciso ter um profissional que saiba transformar estes números em fatos e tendências. Além disso, a formação em estatística possibilita a atuação em diversas áreas. Por exemplo:

  • estatística;
  • bioestatística;
  • computação;
  • marketing;
  • pesquisas;
  • mercado de ações e finanças;
  • inteligência de dados.

Viu como a estatística está mais presente no nosso cotidiano do que parece? E para aumentar as chances de gabaritar a prova do Enem, você precisa seguir estudando e testando se absorveu os conhecimentos. Então agora é hora de comprovar: pratique fazendo nossos exercícios sobre probabilidade, gráficos e média aritmética!

0 Shares:
Você pode gostar também
Inequação exponencial
Leia mais

Inequação exponencial

As inequações que envolvem funções exponenciais são chamadas de inequações exponenciais. Por exemplo: Para sua resolução, procura-se chegar a uma comparação de potências de mesma base para então comparar os expoentes. Utiliza-se a partir daí a informação de que: Deste fato, decorre que, se a>1: Se 0<a<1, temos: Em resumo,...

MMC – Mínimo Múltiplo Comum

Definição Dados dois ou mais números naturais diferentes de zero, chamamos de mínimo múltiplo comum, ou simplesmente MMC, o menor dentre seus múltiplos comuns. Exemplos 4 e 8 O MMC. entre 4 e 8 é o próprio 8 pois os múltiplos de 4 são {4,8,12, 16, 20, 24, 28, 32,...
Propriedades dos logaritmos
Leia mais

Propriedades dos logaritmos

Os logaritmos apresentam quatro propriedades que são muito úteis na resolução de problemas: Produto Quociente (divisão) Potenciação Mudança de base As propriedades são usadas, basicamente, para calcular novos logaritmos a partir de logaritmos já conhecidos e para resolver equações e inequações logarítmicas. Para ver exemplos de aplicação e exercícios resolvidos...