Quer começar a investir nos estudos, mas o dinheiro está curto? Descubra a melhor forma de iniciar sua qualificação profissional sem se preocupar com o lado financeiro. 

Ano após ano, o mercado de trabalho exige que o profissional esteja mais qualificado para atender às demandas e aos novos estilos de trabalho. Há 10 anos, por exemplo, não era comum o uso da internet e de aparelhos eletrônicos e, dessa forma, dispensava-se até mesmo conhecimentos básicos nesse ramo.

Contudo, a geração mudou. Hoje em dia raramente um emprego contrata sem que o profissional saiba, ao menos, utilizar um pacote Office. As formas de trabalho foram readaptadas e o trabalhador se viu numa recolocação profissional  e busca por mais conhecimentos.

Pensando nessa mudança e na necessidade de investir nos estudos, mostraremos aqui algumas formas de financiamento estudantil e uma dica fenomenal para quem está com pouco dinheiro, mas não quer deixar de investir em seu curso. Continue aqui e entenda mais sobre o assunto! 

Estudar é sinônimo de crescer

Há alguns anos, o ato de estudar era cedido somente às pessoas mais ricas, que tinham uma escola próxima de casa e condições financeiras de manter os estudos. Quem nunca ouviu os avós contarem inúmeras histórias sobre as dificuldades que passaram para concluir o primário? 

Mas, como vemos, os dias mudaram. A educação está mais democrática e o número exorbitante de escolas públicas faz que os jovens sejam inseridos nesse mundo de infinitos conhecimentos. Existem críticas sobre esse ensino, porém não está em nossas mãos julgá-lo ou fazer algum juízo de valor. 

No entanto, essa abertura que a educação básica deu aos jovens não é semelhante àqueles que querem ingressar num ensino superior. O número de pessoas que possuem graduação cresceu, mas ainda é baixo fazendo uma relação com a quantidade de pessoas que existem no Brasil. Ou seja, estudar é sinônimo de crescer, mas ainda não é algo de todos. 

Programas de financiamento estudantil 

Pensando na grande procura que existe no Brasil de ingresso às universidades, criamos uma pequena lista apresentando os programas de financiamento estudantil que existem no país e que imerge os jovens e adultos nesse mundo de conhecimentos.

É importante destacar que eles possuem prós e contras, apesar de ser a salvação para inúmeras pessoas. Cabe a você filtrar aquele que melhor se encaixa e prestar atenção na dica muito importante que vamos dar logo em seguida. Acompanhe: 

Empréstimo: Fies

O programa Fies é, sem sombra de dúvidas, o projeto mais famoso de financiamento estudantil que existe no país. Ele deu abertura para que milhares de pessoas entrassem nas universidades particulares e que pudessem pagar as mensalidades após a formatura. 

 O valor cobrado por cada mês na faculdade era acrescido na conta final, que vinha logo após a formatura – com juros. Para quem conseguisse emprego logo após a colação, este era o programa ideal, porém muitas pessoas problematizam e até mesmo fugiram do projeto por medo de se encontrarem desempregados e não conseguir pagar o valor. 

Por isso, ao contratar esse programa é preciso pés no chão e muito cuidado. A quantia final a se pagar sempre é alta, além dos juros que são acrescentados, e se você estiver sem emprego pode virar uma bola de neve.

Empréstimo: Pra Valer

Já o projeto PraValer, que é muito semelhante ao Fies, também deixa que o aluno pague o valor da mensalidade depois, somente se diferenciando na quantidade de tempo que cada programa estipula.

O PraValer é semestral e cobra do estudante após 6 meses na instituição superior, com o juros um pouco mais baixo, porém com o período curtíssimo para quitação. Ou seja, é uma solução momentânea, pouco indicada para quem quer bolsa a longo prazo. 

Empréstimo: Educa Mais Brasil

Por último, mas não menos importante nessa lista, existe o programa Educa Mais Brasil. Este é o mais concorrido entre todos, pois realmente oferece bolsas de estudo, que não precisam ser pagas após conclusão do curso – e, além disso, existe também para ensino básico.

Apesar de dar esse alívio pelo desconto, o número de bolsas é baixo em relação aos interessados no projeto. Por isso, caso você queira concorrer, esteja ciente que as chances são baixas, podendo pegar descontos baixos e quase insignificantes. 

Empréstimo home equity para estudos

Existem inúmeros financiamentos estudantis no Brasil, sendo que destacamos os três principais presentes nas universidades. Eles possuem incontáveis vantagens, porém em suas desvantagens podem prejudicar até de forma irreversível o aluno.

Caso você esteja com medo dessa situação, uma outra dica excelente seria a contratação de um empréstimo com garantia de imóvel. Em empresas como a CashMe, que é especialista neste tipo de empréstimo, ele oferece taxas inferiores a 1%, além de pagamento em até 180 meses. Ou seja, é o financiamento ideal para pagar seus estudos e não prejudicar o seu bolso.

Banner Stoodi Med
Banner_Redação
Você pode gostar também