Você sabe o que são conectivos? Eles podem fazer com que você se expresse bem em determinada ocasião, como em uma entrevista ou na redação de vestibular. Entretanto, podem fazer com que você seja mal compreendido e tenha problemas para se expressar com clareza e exatidão.

Embora sejam formados por pequenas palavras ou expressões, eles dão vida a suas frases, fazendo com que elas não sejam apenas um amontoado de termos sem conexão um com o outro. Por isso, dominar os conectivos é fundamental para quem deseja escrever bem.

Para ajudar você nessa tarefa, você entenderá neste post o que são os conectivos, qual é a semântica deles e como você pode utilizá-los em sua redação.

Quer fazer uma redação nota 1000? Então veja como deve usar os conectivos. Boa leitura!

O que são conectivos?

Pode-se dizer que os conectivos são termos que unem as orações em um período ou ligam termos que exercem a mesma função sintática na oração. Ou seja, os conectivos são responsáveis por dar sentido às frases, unindo ou repelindo as diferentes ideias que podem ser depreendidas em um texto escrito e até mesmo na conversação do dia a dia.

Como eles são úteis para que as frases tenham lógica e coesão, uma escolha errada pode fazer com que o sentido da frase seja completamente diferente do pretendido. Embora possa parecer que os conectivos são palavras difíceis de serem utilizadas, eles estão presentes no vocabulário tradicional das pessoas, ainda que, muitas vezes, não se considere a importância que eles têm.

Valor semântico dos conectivos

O valor semântico é o sentido que pode ser atribuído a um termo de acordo com o contexto em que atua. É possível, muitas vezes, que uma mesma palavra apresente vários significados. Veja um exemplo:

João falou muito e foi aplaudido.

João falou bonito e foi expulso da sala.

Embora o termo “e” tenha sido utilizado para adicionar uma ideia na primeira frase, na segunda ela mostrou uma contradição. João falou bonito, mas foi expulso da sala. Dessa forma, os alunos precisam ter cuidado para os mais diferentes significados que os termos podem ter, dependendo do contexto em que estão incluídos.

Veja agora o valor semântico de preposições e conjunções.

Valor semântico das preposições

As preposições podem ter diversos valores semânticos. Confira alguns!

  • Assunto: O livro trata de esportes.
  • Causa: Com o estudo em dia, conseguiu ser aprovado.
  • Companhia: Se ele for com você, eu também vou.
  • Distância: A poucos metros daqui você verá o hospital.
  • Finalidade: Chegue cego para vermos o show de perto.
  • Instrumento: Com que você cortou essa carne?
  • Lugar: Foi embora para Portugal.
  • Matéria: Fiz um ovo de chocolate branco.
  • Meio: Falei com ele por vídeo.
  • Modo: Ele fez tudo com raiva.
  • Oposição: Contra meu desejo, foi à feira.
  • Origem: De que estado você é?
  • Posse: Esse smartphone é do Paulo? (de + o)

Valor semântico das conjunções

  • Veja, agora, o valor que as conjunções podem trazer.
  • Adição: Cheguei e descansei.
  • Adversidade: Falo toda hora e não vejo nenhuma diferença.
  • Alternativa: Ora falava manso, ora gritava comigo.
  • Comparação: Fala como o pai.
  • Concessão: Vou correr, e está chovendo!
  • Conformidade: Fiz o serviço como ele desejou.
  • Conclusão: Estão doentes porque não tocaram na comida.
  • Condição: Se precisar de mim, chame.
  • Consequência: Você olha, e eu jogo a pedra.
  • Explicação: Foi expulso, pois tomou dois cartões amarelos.
  • Finalidade: Compro o belo e levo para cantar os parabéns.
  • Proporção: Tanto mais trabalha, tanto menos recebe os créditos.
  • Tempo: Quando o juiz chegar, o jogo começará.

Tabela de conectivos

Ter uma tabela de conectivos disponível para consulta é importante para que você possa utilizar vários termos diferentes no seu texto, mostrando riqueza vocabular nesse sentido. Isso é avaliado pela Competência IV do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, você poderá ter a certeza de que os termos escolhidos têm relação com a ideia que você quer passar para seu texto. Errar no conectivo utilizado significará que você dará uma outra ideia para o parágrafo ou ele ficará completamente sem nexo.

Veja agora os conectivos mais utilizados e não erre na escolha!

Conectivos de adição

Além disso, ademais, demais, outrossim, ainda por cima, ainda mais, também, e, nem, por outro lado, não só… mas também, não só… como, não também… como também, não só… bem como.

Conectivos de alternância

Quer…. quer, ou, ou… ou, ora… ora.

Conectivos de certeza e ênfase

Por certo, certamente, de certo, inquestionavelmente, indubitavelmente, sem dúvida, com certeza, inegavelmente, acredito, afirmo, penso que.

Conectivos de condição

Caso, eventualmente, se.

Convectivos de conclusão e recapitulação

Em suma, em conclusão, em síntese, enfim, portanto, em resumo, assim, dessa maneira, dessa forma, pois, logo, desse modo, pois (entre vírgulas, destarte, dessarte, assim sendo.

Conectivos de dúvida

Provavelmente, talvez, possivelmente, quiçá, quem sabe, é provável que, não é certo, se é que.

Conectivos explicativos e de causa e consequência

Por conseguinte, por consequência, como resultado, por causa de, por isso, em virtude de, de fato, assim, com efeito, tão (tamanho, tanto)… que, porquanto, porque, pois, uma vez que, já que, como (valor de porque), visto que, portanto, que (valor de porque), logo, de tal sorte que, haja vista, de tal forma que.

Conectivos de finalidade

A fim de, com o propósito de, com o fim de, com finalidade, para que, com o intuito de, como, para.

Conectivos de ilustração

Só para ilustrar, só para exemplificar, isto é, por exemplo, quer dizer, em outras palavras, a saber, ou seja, aliás.

Conectivos de oposição

Em contraste com, pelo contrário, salvo, menos, exceto, mas, contudo, todavia, entretanto, no entanto. Ressalva: apesar de, embora, ainda que, posto que, mesmo que, posto, se bem que, conquanto, por mais que, por menos que, ao passo que, só que.

Conectivos de relevância

Antes de mais nada, antes de tudo, em primeiro lugar, em princípio, acima de tudo, primeiramente, principalmente, sobretudo, primordialmente, a priori.

Conectivos de semelhança, conformidade e comparação

Da mesma forma, igualmente, assim também, semelhantemente, do mesmo modo, similarmente, analogamente, de maneira idêntica, por analogia, de conformidade com, segundo, conforme, tal qual, tanto quanto, assim como, bem como, como se.

Conectivos de surpresa

Inopinadamente, de súbito, inesperadamente, subitamente, de repente, surpreendentemente.

Conectivos de tempo

Enfim, logo, então, logo depois, logo após, imediatamente, a princípio, no momento em que, pouco depois, pouco antes, anteriormente, posteriormente, em seguida, por fim, afinal, finalmente, agora, hoje, atualmente, frequentemente, às vezes, constantemente, eventualmente, ocasionalmente, por vezes, sempre, não raro, raramente, cada vez que, todas as vezes que.

Conectivos para redação: introdução, desenvolvimento e conclusão

mesa com caderno conectivos

Agora que você já sabe quais são os melhores conectivos para redação, veja como eles podem ser utilizados de forma otimizada em determinadas partes do seu texto. Vale lembrar que, nas redações, devem ser evitadas as expressões que demonstrem opinião em primeira pessoa, como “penso que”. Além disso, evite trazer a sensação de dúvida para suas próprias afirmações e argumentações.

Descubra agora quais são as melhores opções para introdução, desenvolvimento e conclusão da sua redação.

Conectivos para introdução

Conectivos interessantes para a introdução são os de:

  • tempo: “Logo após a eleição de Lula…”;
  • certeza: “Sem dúvida, é necessário refletir sobre os problemas causados pela falta de democracia”;
  • ilustração e esclarecimento: “Atualmente o desenvolvimento tecnológico tem pontos positivos e negativos, isto é…”;
  • finalidade: “Os americanos modificaram sua relação com outros países a fim de melhorar sua própria economia”.

Conectivos para desenvolvimento

Conectivos que podem ser usados no desenvolvimento são os de:

  • prioridade: “Em primeiro lugar, devem-se avaliar os efeitos…”;
  • tempo: “Frequentemente esse argumento é utilizado de forma incorreta”, “Em primeiro lugar, (…). Depois (…). Por fim, (…)” ;
  • semelhança, comparação ou conformidade: “Da mesma forma, pesquisas mostram a necessidade de reflexão sobre a mortalidade infantil”;
  • condição: “Caso os argumentos daqueles que militam contra o porte de armas…”;
  • contraposição: “Por outro lado, pesquisas mostram a necessidade de…”;
  • ilustração: “Por exemplo, o presidente francês…”;
  • causa: “Com efeito, a mídia tornou-se mais democrática”.

Conectivos para conclusão

Conectivos que podem dar a ideia de conclusão são os de:

  • prioridade: “Em primeiro lugar, deve-se pensar em medidas para resolver os problemas…”;
  • certeza: “Sem dúvida, medidas devem ser implementadas para que os problemas citados sejam resolvidos”;
  • conclusiva: “Em resumo, a economia brasileira deve ser modificada”.

Conectivos de coesão

Os conectivos que você viu acima podem também ser chamados de elementos de coesão, já que são expressões que criam relações entre dois ou mais segmentos do discurso e estabelecem elos entre termos e sentenças.

Além disso, em coesão pode-se retomar elementos que já foram mencionados ou antecipar termos que ainda serão citados.

“Falei com ele sobre a morte. Esse é o maior problema do homem”.

“O maior problema do homem é isto: a morte”.

Note que, no primeiro caso, o termo “esse” substitui a palavra morte, que já tinha sido citada. Nesse caso, tem-se um termo anafórico. Já na segunda sentença, o maior problema do homem será citado posteriormente, ou seja, “isto” explica qual é o maior problema do homem. Nesse caso, há um termo catafórico, uma vez que referencia o que será falado mais tarde.

Também há situações em que o termo faz referência a um elemento não existente no texto, como:

Lá, a criança foi bem atendida.

Não é possível descobrir qual é esse local na frase, não é mesmo? Por isso, o termo lá pode ser compreendido como exofórico (fora do texto).

Os conectivos mais utilizados em todos esses casos são os de lugar, proximidade e distância. Alguns exemplos são: aquilo, ante, a, aquele, aquela, isso, esse, essa, esta, este, isto, dentro, fora, junto, ali, aqui.

Conectivos lógicos

Muito utilizados na lógica, os conectivos lógicos (chamados de operadores lógicos) são símbolos e palavras que podem conectar ao menos duas sentenças. Isso deve ser feito de forma válida para a gramática, fazendo com que o sentido da sentença composta dependa apenas das originais.

Os principais tipos de constantes lógicas usados nos sistemas formais são os conectivos lógicos e a chamada lógica de predicados. Normalmente, a semântica dos conectivos lógicos é apresentada como uma função de verdade. Além disso, esses conectivos são similares aos operadores condicionais.

Na gramatica utilizada pelas linguagens naturais, duas ou mais sentenças podem ser conectadas por conjunções gramaticais, formando uma sentença que seja gramaticalmente composta. Como você viu, algumas delas podem conter função de verdade.

Veja algumas sentenças:

  1. Marcos subiu o morro.
  2. Maria subiu o morro.
  3. Marcos subiu o morro, e Maria subiu o morro.
  4. Marcos subiu o morro, então Maria subiu o morro.

Os termos e e então são conjunções que ligam as frases 1 e 2 para formar as sentenças compostas em 3 e 4. O e usado em 3 tem valor lógico, pois é determinado por 1 e 2, uma vez que não faz sentido realizar as afirmações para negar em 3, como:

3′. Marcos subiu o morro, e Maria ficou embaixo.

Veja como essa sentença é contraditória às demais.

Entretanto, 4 não é um conectivo lógico, uma vez que é possível afirmar 1 e 2, negando 4.

4′. Marcos subiu o morro para comprar café, e Maria subiu o morro para buscar água.

Ou seja, com as sentenças 1 e 2 não é possível chegar à conclusão de que Maria só subiu o morro por que Marcos subiu.

Várias palavras são utilizadas como conectivos lógicos, sendo alguma delas sinônimas. Veja exemplos a seguir e a relação que desempenham:

  • apenas no caso (bicondição);
  • contudo, mas e entretanto (conjunção);
  • e (conjunção);
  • ou (disjunção);
  • ou…ou (disjunção exclusiva);
  • implica, se… então, se e somente se (condicional);
  • se e somente se (bicondicional);
  • não ambos (NAND, negação alternativa, apenas uma das sentenças é falsa);
  • nem…nem (NOR, quando dois são falsos).

A palavra de negação “não” e os termos “não é o caso que” e “é falso que”, que também são negativas, expressam conectores lógicos, ainda que não conectem duas sentenças e seja aplicada apenas em uma.

Agora que você sabe para que servem os conectivos, está na hora de praticar! Ao escrever sua redação, verifique sempre se os conectivos utilizados passam a ideia que você deseja. Além disso, eles são importantes na leitura e interpretação de um texto, pois podem dar pistas interessantes sobre o ponto de vista do autor e as ideias que ele deseja passar para os leitores. Por isso, preste atenção a cada conectivo.

Agora que você já sabe o que são os conectivos e seus respectivos tipos, que tal praticar a matéria com uma lista de exercícios?  Veja também como ter acesso a videoaulas de todas a matérias e se preparar para o Enem 2021! Cadastre-se:

Banner Stoodi Med
Você pode gostar também

Crase: dicas para escrever corretamente

A língua portuguesa já é complexa, com a mudança da norma ortográfica ficou ainda mais fácil se confundir. Para melhorar a comunicação escrita, a dica de hoje é sobre crase A crase é um fenômeno que ocorre quando juntamos a preposição “a” com o artigo “a”. Por exemplo: A aluna...