Como entender gramática e dominar esse conteúdo tão importante para os exames do Enem e outros vestibulares? Embora não seja uma matéria cobrada de forma explícita, com questões conceituais, a relação sintática entre as orações é fundamental para o entendimento dos textos lidos e a produção sentido.

Na hora de escrever a redação, conhecer a sintaxe da língua faz toda a diferença, afinal, a nota 5 em norma culta (que corresponde a 200 pontos) só é dada para textos que apresentam estruturação sintática elaborada.

Neste conteúdo você vai entender o que são orações subordinadas adverbiais, quais são os tipos de classificação e resolver exercícios para a fixação do conteúdo. Vamos tornar esse estudo prazeroso?

O que são orações subordinadas adverbiais

Você deve se lembrar das relações de dependência entre as orações, afinal, ninguém esquece que existem orações subordinadas e coordenadas — mesmo que não saiba exatamente do que se trata! Pois bem, na subordinação, existe dependência sintática e semântica (forma e sentido) entre duas orações. Veja o exemplo.

  • Saí de casa | para estudar.

A primeira oração é a principal. Ela pode ser enunciada separadamente e, ainda assim, teria sentido. A segunda depende dela, pois “para estudar”, isoladamente, não tem muito sentido, concorda?

  • Saí de casa | quando fiz 18 anos.

A mesma relação de subordinação (da segunda frase em relação à primeira) está presente, mas o sentido agora é outro. No primeiro exemplo, a preposição para indica finalidade. Neste, a conjunção quando dá sentido de tempo.

  • Saí de casa | e comecei a trabalhar.

Perceba como, nessa frase, a segunda oração não mantém relação de dependência sintática em relação à primeira — tanto é que poderíamos eliminar a conjunção e e usar o ponto final, sem prejuízo de sentido. A relação entre elas é de coordenação, e não de subordinação, como as anteriores.

Dito isso, passemos a entender por que elas são adverbiais. Como expressam relações de circunstância (tempo, finalidade etc.) em relação à oração principal, elas ocupam o lugar de um advérbio na frase. Observe.

  • Saí de casa ontem.
  • Saí de casa a pé.

O advérbio ontem acrescenta circunstância de tempo em relação à ação, enquanto a locução adverbial a pé indica modo.

Logo, como o próprio nome sugere, as orações subordinadas adverbiais são orações que mantêm uma relação de dependência sintática com outra oração chamada de principal. Elas cumprem o papel de adjunto adverbial de um termo da oração principal, atribuindo a essa oração variadas circunstâncias:

  • causa;
  • comparação;
  • concessão;
  • condição;
  • consequência;
  • tempo;
  • finalidade;
  • proporção.
  • conformidade.

Orações subordinadas adverbiais: exemplos

Nas frases a seguir, a primeira oração (grifada), exerce a função de adjunto adverbial da segunda, que é a principal.

  • Se chover hoje, não haverá mais o passeio que estava programado. (condição)
  • Quando saí, ainda não estava chovendo. (tempo)
  • Conforme seja o resultado, ele ficará feliz. (conformidade)
  • Para que tudo corra bem, estude! (finalidade)
  • À medida que chovia, o córrego transbordava. (proporcionalidade)

Note como é importante conhecer as conjunções e locuções conjuntivas (em negrito nos exemplos): são elas que estabelecem a correta relação de sentido entre a oração principal e a subordinada.

Na sequência, vamos nos aprofundar mais no tema, conhecendo todos os tipos de subordinadas adverbiais. Leia cuidadosamente e faça os exercícios na sequência.

Tipos de orações subordinadas adverbiais

De acordo com a circunstância expressa conjunção, as orações adverbiais podem ser classificadas como:

  • adverbial causal;
  • adverbial comparativa;
  • adverbial concessiva;
  • adverbial condicional;
  • adverbial consecutiva;
  • adverbial temporal;
  • adverbial final;
  • adverbial proporcional;
  • adverbial conformativa.

grupo orações subordinadas

Causal

Essa oração estabelece uma circunstância de causa, motivo ou razão em relação à oração principal.

  • Como estava doente, não foi à aula.

Comparativa

Estabelece uma circunstância de comparação em relação à oração principal.

  • Ela o atraía como o ímã atrai o ferro.

Concessiva

A concessiva estabelece uma circunstância de concessão em relação à oração principal: exprime um fato que se concede, que se admite. Observe.

  • Embora tenha feito todo planejamento, os acontecimentos saíram de seu controle.

Condicional

Essa oração estabelece uma circunstância de condição ou hipótese em relação à oração principal.

  • Entregaremos os documentos desde que o pagamento dos atrasados seja efetuado.

Consecutiva

A consequência, o efeito ou o resultado de uma ação em relação à oração principal são expressos.

  • Choveu tanto naquela noite que o rio transbordou.

Temporal

Essa oração estabelece uma circunstância de tempo em relação à oração principal.

  • Quando eu cheguei, não havia mais ninguém no salão.

Final

Uma circunstância de finalidade em relação à oração principal é expressa na subordinada.

  • Estudou muito para que pudesse ser aprovado no concurso.

Proporcional

Essa oração estabelece uma circunstância de proporção em relação à principal.

  • À proporção que o tempo passa, apura-se o sabor do vinho.

Conformativa

Exprime relação de conformidade, acordo em relação à oração principal.

  • Conforme anunciado na televisão, os bancos ficaram fechados no feriado.

Reduzida

Orações subordinadas adverbiais reduzidas não se referem a um tipo de oração subordinada adverbial, mas à sua construção, à forma como é escrita. A diferença em relação às outras é que a oração reduzida tem verbo no infinitivo, gerúndio ou particípio (formas nominais) e não apresenta conectivo.

Reduzida de infinitivo

  • Temporal: Pense bem antes de falar.
  • Causal: Não veio por estar doente.
  • Consecutiva: Não podiam demorar-se mais, sob pena de perderem o avião.

Reduzida de gerúndio

  • Temporal: Chegando em casa, avise-me.
  • Concessiva: Sendo tão inteligente, não foi aprovado.
  • Causal: Vejo que errei mantendo-me calada.

Reduzida de particípio

  • Condicional: Passado o temporal, pode sair.
  • Causal: Preso pelo coração, não soube dizer não.
  • Temporal: Terminadas as provas, chegaram as férias.

Preparado para fazer alguns exercícios de orações subordinadas adverbiais? Veja no próximo tópico!

Orações subordinadas adverbiais: exercícios

1. (CEGALLA – adaptado) Identifique e classifique as orações subordinadas adverbiais a seguir de acordo com a numeração:

  1. causal
  2. comparativa
  3. concessiva
  4. condicional
  5. conformativa
  6. consecutiva
  7. final
  8. proporcional
  9. temporal

a) Minha mão tremia tanto que mal podia escrever.

b) Joel acompanhou a irmã, embora estivesse cansado.

c) À medida que subimos, o ar se rarefaz.

d) Fiz-lhe sinal para que não insistisse.

e) Os detentos fugiram da penitenciária porque eram maltratados.

f) “Envelheçamos como as árvores fortes envelhecem.” (Olavo Bilac).

g) “Por que não foi lá ontem, como me tinha dito?” (Machado de Assis).

h) “Se Deus não guarda a cidade, em vão a sentinela vigia.” (Cecília Meireles).

2. (Enem 2019) Slow Food

A favor da alimentação com prazer e da responsabilidade socioambiental, o slow food é um movimento que vai contra o ritmo acelerado de vida da maioria das pessoas hoje: o ritmo fast-food, que valoriza a rapidez e não a qualidade. Traduzido na alimentação, o fast-food está nos produtos artificiais, que, apesar de práticos, são péssimos à saúde: muito processados e muito distantes da sua natureza — como os lanches cheios de gorduras, os salgadinhos e biscoitos convencionais etc. etc.

Agora, vamos deixar de lado o fast e entender melhor o slow food. Segundo esse movimento, o alimento deve ser:

  • bom: tão gostoso que merece ser saboreado com calma, fazendo de cada refeição uma pausa especial do dia;
  • limpo: bom à saúde do consumidor e dos produtores, sem prejudicar o meio ambiente nem os animais;
  • justo: produzido com transparência e honestidade social e, de preferência, de produtores locais.

Deu pra ver que o slow food traz muita coisa interessante para o nosso dia a dia. Ele resgata valores tão importantes, mas que muitas vezes passam despercebidos. Não é à toa que ele já está contagiando o mundo todo, inclusive o nosso país.

Disponível em: www.maeterra.com.br. Acesso em: 5 ago. 2017.

Algumas palavras funcionam como marcadores textuais, atuando na organização dos textos e fazendo-os progredir. No segundo parágrafo desse texto, o marcador “agora”:

A. define o momento em que se realiza o fato descrito na frase.

B. sinaliza a mudança de foco no tema que se vinha discutindo.

C. promove uma comparação que se dá entre dois elementos do texto.

D. indica uma oposição que se verifica entre o trecho anterior e o seguinte.

E. delimita o resultado de uma ação que foi apresentada no trecho anterior.

Usar adequadamente as orações adverbiais trará a seu texto concisão e elegância. Alterne as orações comuns e as reduzidas, evite repetição de conectivos e busque clareza na exposição de suas ideias.

A classificação das orações subordinadas adverbiais e de outras não deve ser apenas memorizada, mas colocada em uso.

Saiba mais sobre este e outros temas gramaticais no Blog do Stoodi. Temos também um Plano de Estudos personalizado que vai ser decisivo na sua aprovação!

Respostas: 1. a6, b3, c8, d7, e1, f2, g5, h4; 2. b. Note que nem sempre a palavra expressa o mesmo valor: é preciso avaliar o contexto de uso.

Banner Stoodi Med
Você pode gostar também

Crase: dicas para escrever corretamente

A língua portuguesa já é complexa, com a mudança da norma ortográfica ficou ainda mais fácil se confundir. Para melhorar a comunicação escrita, a dica de hoje é sobre crase A crase é um fenômeno que ocorre quando juntamos a preposição “a” com o artigo “a”. Por exemplo: A aluna...