Isótopos: o que são, exemplos e mais!

Dentro do estudo da classificação dos elementos químicos, conhecer os isótopos é bastante recomendado. Conhecer a estrutura dos átomos é essencial para se dar bem no vestibular e na prova de Química no Enem.

Pensando nisso, apresentamos aqui os conceitos básicos sobre o assunto, sua tipificação e ainda apresentamos exercícios sobre o tema. Vamos lá?

O que são isótopos?

O conceito se localiza na Química dentro da área da Atomística. Falamos em isótopos para nos referirmos a um um grupo de átomos que contenham o mesmo número de prótons.

São como variações do mesmo elemento, que têm propriedades químicas similares, agrupando-se nesse caso por compartilhar a quantidade de prótons em sua estrutura. Uma diferença notável entre isótopos distintos é a quantidade de massa concentrada ou densidade.

Exemplos de isótopos

Isótopos do cloro

O cloro é o exemplo de um elemento químico que conta com dois isótopos diferentes. A representação do elemento usa o mesmo símbolo: Cl. A diferença estará no número que fica sobre a grafia do elemento. Nesse caso, temos os isótopos Cl35 e Cl37.

Isótopos do hidrogênio

Três isótopos diferentes são conhecidos na natureza para o hidrogênio, são eles:

  • prótio: mais comum e abundante na natureza, tem apenas um próton;
  • deutério: raríssimo de ser encontrado naturalmente, é a molécula de hidrogênio que contém um elétron;
  • trítio: ainda mais raro, com a presença de dois nêutrons, contém traços de matéria radioativa.

Exercícios de isótopos

1. (Stoodi) Considerando as relações atômicas:

a. isótopos são espécies que apresentam o mesmo número atômico e o mesmo número de massa.

b. isótonos são espécies químicas de um mesmo elemento químico.

c. isóbaros apresentam o mesmo número de nêutrons no núcleo atômico.

d. a massa dos isótopos é diferente devido ao número de elétrons ser diferentes.

e. átomos neutros que são isótopos entre si apresentam também o mesmo número de elétrons.

2. (Anhembi Morumbi – Medicina – 2014) O oxigênio foi descoberto por Priestley em 1722. A partir de 1775, Lavoisier estabeleceu suas propriedades, mostrou que existia no ar e na água, e indicou seu papel fundamental nas combustões e na respiração. Na natureza, o elemento químico oxigênio ocorre como uma mistura de 16O, 17O e 18O. Na baixa atmosfera e à temperatura ambiente, o oxigênio está presente principalmente na forma de moléculas diatômicas (O2) que constituem um gás incolor, inodoro e insípido, essencial para os organismos vivos. São inúmeras as aplicações do oxigênio. Na medicina, o seu uso mais comum é na produção de ar enriquecido de O2.

(http://tabela.oxigenio.com. Adaptado.)

Tenha acesso GRATUITO a mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

Sobre a ocorrência natural do elemento químico oxigênio, é correto afirmar que 16O, 17O e 18O possuem, respectivamente,

a. 8, 9 e 10 nêutrons e são isótonos.

b. 8, 8 e 8 elétrons e são isótonos.

c. 16, 17 e 18 nêutrons e são isóbaros.

d. 8, 8 e 8 elétrons e são isóbaros.

e. 8, 9 e 10 nêutrons e são isótopos.

Agora que você já sabe o que são isótopos, que tal prosseguir em seus estudos de Química? Assista à videoaula sobre o átomo e suas estruturas!

Gabarito:

1 – e 2 – e