Por Marina Sestito
Gente linda do meu coração stoodiano,

Hoje vamos tratar de mais um desses temas tão mal esclarecidos e que nos deixam com tanto desgosto de estudar redação: a famosa “coerência”.
O que seria, afinal, um texto coerente? 

Um texto coerente é um texto que faz sentido. É um texto que pode ser compreendido e interpretado. Simples assim.

Se é apresentada, numa redação, uma oração que o corretor lê e solta um “hã?”, seguido de uma cara de interrogação e um instinto imediato de voltar e reler o período todo para tentar entender o que está sendo dito, é muito provável que estejamos diante de uma incoerência.

“Mandei minha redação pra ser corrigida pelo Stoodi, mas jabuticaba não tem caroço”.

Pera aí. Como é que é? Qual a relação entre redação e jabuticaba?

Não fez sentido. As partes da frase não se relacionam. Temos aqui um exemplo de incoerência interna, pois diferentes trechos de um mesmo texto não estão conectados, falam de coisas diferentes e sem ligação aparente.

Mas tem mais alguma coisa estranha nessa afirmação. Notaram? A oração termina dizendo que jabuticaba não tem caroço.

É verdade isso, gente? Jabuticaba não tem caroço mesmo? Alguém aqui já comeu jabuticaba alguma vez na vida?

Jabuticaba tem caroço sim. Nesse trecho da oração, temos mais um exemplo de incoerência, mas de um tipo diferente: Se eu digo que jabuticaba não tem caroço, você vai entender o sentido do que estou dizendo e vai me interromper dizendo que estou errada. Portanto, a frase faz sentido, porque você consegue compreendê-la e até questioná-la, mas ela não reflete a realidade. Trata-se de uma afirmação falsa: que possui coerência interna, mas que tem um problema de coerência externa, um problema de falta de correspondência com a realidade que pretende descrever.

Vamos organizar isso tudo?

– Coerência interna é o “fazer sentido“. É a possibilidade de ser compreendido e de se articular com os outro elementos do texto. Se você se propõe a defender uma ideia em sua redação e, em seguida, apresenta elementos que sustentem o ponto de vista contrário, seu texto irá incorrer em incoerência interna.

– Coerência externa é o “afirmar algo que corresponda à realidade” descrita. Se você afirmar que, no Brasil, apenas 2% da população tem acesso à internet, você pode até apresentar um texto todo bem estruturado e desenvolvido, mas incorrerá em incoerência externa. O que está dito no texto não corresponde à realidade, não corresponde ao que está fora dele: o dado apresentado não descreve a realidade analisada. Em outras palavras: “faz sentido, mas é mentira“.

Ficou clara a diferença entre coerência interna (tudo fazer sentido dentro do texto) e coerência externa (o que está dito no texto corresponder ao que está fora dele, corresponder à realidade)? Procurem manter a coerência interna e externa nas redações de vocês, mostrando a relação entre todas as partes do texto, explicando muito bem as afirmações que vocês fizerem e procurando fazer apenas afirmações que descrevam a realidade, tudo bem? Sem isso, a argumentação não se sustenta e o texto não avança na nota.

Muitos beijos, escrevam bastante e até semana que vem!

Você sabia que o Stoodi tem Correção de Redação? Conheça 

Marina Sestito é a Coordenadora de Redação do Stoodi. Formou-se em Filosofia pela FFLCH, na USP – atualmente cursa Licenciatura na FEUSP. Trabalhou em cursinhos pré-vestibulares e hoje comanda a equipe de correção do Stoodi.

0 Shares:
Você pode gostar também
Passo a passo para acertar na redação
Leia mais

Passo a passo para acertar na redação

Assim como toda boa história, uma redação também deve ter começo, meio e fim. Pensar na redação do vestibular de forma estruturada contribui para a síntese das ideias e facilita a construção dos parágrafos. Para contribuir com o seu desenvolvimento, a equipe responsável pelas aulas de Português do Stoodi elaborou...