Descubra o você deve fazer para evitá-los

 

A nota da redação possui um peso muito grande para os vestibulares, e não poderia ser diferente com o ENEM, não é mesmo?

Pequenos erros são muito comuns e podem diminuir as chances de sua dissertação-argumentativa ser avaliada em 1000 pontos. Confira os principais tropeços que o aluno pode cometer ao escrever uma redação para o ENEM e descubra como evitá-los:

1. Fuga ao tema

O primeiro problema que podemos citar é a fuga total ou parcial ao tema – a nossa Coordenadora de Redação, Marina Sestito, escreveu um texto exatamente sobre isso em sua coluna semanal.

A fuga acontece quando você tem que falar de uma coisa, mas acaba falando de outra. O tipo mais comum, no caso do ENEM, é quando o candidato reduz o tema e comete a fuga parcial. Por exemplo:

A proposta é sobre intolerância religiosa, mas o aluno acaba montando um texto somente sobre intolerância. Ou o tema fala sobre o analfabetismo no Brasil, mas o estudante aborda o analfabetismo de uma maneira geral.

“Esse é um problema muito sério. Ele pode levar à anulação da redação, dependendo do caso”, afirma Marina.

Como resolver?

Para evitar a fuga total ou parcial do tema, é preciso que o candidato leia no mínimo três vezes a proposta de redação com muita atenção. “Nossa, que clichê”. Pois é, isso é tão falado que esse tipo de problema não deveria existir mais.

Quando lemos diversas vezes, conseguimos entendemos, de fato, qual é o tema proposto pela coletânea e evitamos a fuga. Uma dica muito interessante é escrever todas as palavras-chaves assim que você ler a proposta.

Utilize essas palavras, busque conteúdo que desenvolva uma discussão relevante e confira se todas foram abordadas no texto. Se a resposta for sim, relaxe! Você atendeu a proposta.


Não faz isso, tá? 

2. Falta de exemplo concreto

Os exemplos concretos têm uma força muito grande dentro da dissertação-argumentativa (como a de formato ENEM). São eles: dados estatísticos, casos divulgados pela mídia, observações cotidianas facilmente constatadas e fatos históricos.

“Quando o aluno não apresenta o exemplo concreto, ele não comprova que aquele problema realmente existe. Pensando assim, se o problema não existe, não é preciso resolvê-lo. Resumindo: o texto não serve para nada”, explica Marina.

Como resolver?

Para convencer o leitor e resolver essa lacuna, o estudante deve trazer o tema para realidade, apresentando casos, dados e números. Dessa forma, o exemplo vai mostrar que existe um vínculo com o problema discutido e a sociedade brasileira.

Muita atenção, pessoal: a Marina sugere que os alunos tragam no mínimo um exemplo por parágrafo de desenvolvimento.


Não mesmo

3. Parágrafos expositivos

Se não trazer exemplos concretos é um problema, ficar apenas na apresentação desses dados, também é.

Isso é chamado de parágrafo expositivo – quando o candidato apresenta os dados e não faz uma análise deles.

“Você identifica esse problema quando o aluno fala várias coisas e não conseguimos identificar o que ele quer com aquilo”, comenta Marina.

Como resolver?

É necessário que o aluno defenda uma posição, conecte aquele exemplo com o tema discutido e apresente sua análise – mesmo porque se trata de um texto argumentativo.

O ideal é que o aluno adicione reflexões e exemplificações em todos os parágrafos do desenvolvimento.


Isso não é muito bom

 

4. Proposta de intervenção sem medidas práticas

Outro problema muito sério é quando o candidato propõe apenas a conscientização como proposta de intervenção. É claro que ela vai ajudar a resolver o problema, mas apenas a longo prazo.

Sugerir simplesmente a conscientização como solução pode enfraquecer a sua proposta de intervenção. Para se diferenciar e apresentar uma ótima redação no formato ENEM, o aluno precisa apontar medidas práticas, baratas e eficientes que darão resultados rápidos.

Como resolver?

Para sugerir uma solução efetiva, o aluno precisa apontar detalhes sobre essas medidas práticas: indicar os agentes envolvidos, as ações que serão adotadas e as formas de efetivação dessas medidas.


De jeito nenhum, ok? 

 

5. Ferir os Direitos Humanos

Muita atenção que o papo está mais sério que nunca: esse pode ser o erro que mais desclassifica e faz anular uma redação.

Do que adianta você montar um texto maravilhoso, se na hora de defender uma medida, você acaba ferindo os Direitos Humanos? Pois é, será descontado 200 pontos de seu texto.

Respeitar os Direitos Humanos é respeitar a liberdade do próximo. Vamos dar um exemplo bem simples:

Se você acredita que o Brasil está sofrendo uma crise política por conta da corrupção e, para resolver esse problema, deve-se adotar a pena de morte para políticos corruptos – saiba que seu texto acabou de ser anulado.

Acontece que o ENEM procura abordar temas polêmicos, retratando problemas sociais brasileiros, onde a maioria das pessoas carregam opiniões extremas.  Lembre-se sempre: pensamentos radicais como esse não devem constar na redação do Enem.

Como resolver?

Pesquise muito sobre temas polêmicos e esteja sempre atualizado dos problemas sociais que fazem parte do Brasil. Desta forma, você estará preparado para expor sua opinião sobre qualquer proposta.

Tome muito cuidado para não ser radical. Procure retratar o tema com profundidade e delicadeza – defender um ponto de vista não significa desconsiderar automaticamente outro posicionamento.


Nem pense nisso

0 Shares:
Você pode gostar também
Passo a passo para acertar na redação
Leia mais

Passo a passo para acertar na redação

Assim como toda boa história, uma redação também deve ter começo, meio e fim. Pensar na redação do vestibular de forma estruturada contribui para a síntese das ideias e facilita a construção dos parágrafos. Para contribuir com o seu desenvolvimento, a equipe responsável pelas aulas de Português do Stoodi elaborou...