Quais tipos de redação podem cair no vestibular? Aprenda tudo sobre a dissertação

Conheça a estrutura, suas características e algumas dicas para os textos dissertativos

 

Você já parou para se perguntar quais são os tipos de redação que podem cair no vestibular? Ter conhecimento de cada estrutura textual é muito importante para o candidato que sonha em entrar numa boa faculdade, já que as provas de redação têm pesos tão altos.

Para te ajudar e resolver esse enigma, a professora Karina revelou os 4 principais tipos de texto mais cobrados nos principais processos seletivos: dissertações, narrações, descrições e cartas.
Como fazer uma boa redação para o ENEM

Os textos dissertativos são os preferidos dos vestibulares – inclusive é formato obrigatório para as redações do ENEM. Existe um motivo para isso: ele permite que o corretor faça uma análise mais profunda do candidato, descobrindo se o aluno possui senso crítico, se ele sabe argumentar e se ele organiza bem suas ideias.

Diferente do que muitos estudantes pensam, a dissertação não é um bicho de 7 cabeças. Aliás, ela faz parte do nosso dia a dia. Quando adotamos um posicionamento e damos uma opinião sobre um assunto polêmico durante uma conversa informal, estamos fazendo nada mais que dissertar.

O que é uma dissertação?

A dissertação é um texto argumentativo que evidencia a opinião do candidato. Esse tipo de texto é estruturado em três partes: introdução (também conhecida como tese), desenvolvimento (que é a parte da argumentação) e conclusão.

A introdução deve apresentar o tema da redação e o posicionamento do candidato. A professora Karina recomenda que seja elaborada de forma clara e objetiva – com no máximo 5 linhas.

O desenvolvimento é a parte do texto que o estudante vai mostrar sua capacidade de argumentar. Nesse caso, o aluno deve utilizar de 2 a 4 parágrafos.

Já a conclusão é o momento de apresentar uma solução ao problema ou reforçar a tese apresentada na introdução, dando força mais uma vez para seu posicionamento. Ela deve ser trabalhar em apenas um parágrafo.

Dica: mesmo que alguns vestibulares não exijam título, a professora Karina recomenda que os alunos utilizem esse recurso. Desta forma, evita-se que o candidato esqueça de colocar numa prova obrigatória.

Como elaborar um título para minha redação?

Para montar um bom título, o estudante deve ter consciência que esse recurso linguístico serve como um “anúncio” do texto, apresentando logo de cara o assunto em pauta.

Ele deve ser escrito na parte central, em cima do corpo de texto. Não é preciso pular linha para iniciar a introdução, mas se o candidato preferir, ele pode deixar uma linha de respiro sem medo de ser descontado na nota.

É importante lembrar que o título não deve ser sublinhado, usar aspas ou ter ponto final. Ele pode ser feito no formato de uma pergunta, mas nesse caso a questão deve ser respondida ao longo do texto.

Campanha Always On Cronograma