Em contrapartida, Conselho de Ciência do Japão expressa preocupação com o futuro das ciências sociais no país


Universidade de Tóquio não aceita o pedido do ministério da Educação e mantem cursos de humanas na grade curricular 

Se você mora no Brasil e escolheu prestar um curso na área de humanas: você está no lugar certo. Os japoneses não têm a mesma sorte.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, quer implantar uma educação mais prática e que se antecipe às necessidades da sociedade. Mas, para isso, o país terá que cancelar os cursos de humanas nas universidades.

O ministro da Educação Hakuban Shimomura já enviou uma carta para 86 instituições de ensino superior que possuem cursos na área. Delas, 26 universidades já acataram o pedido.

Porém, a “sugestão” não foi aceita com tanta facilidade por todos. A Universidade de Tóquio e a Universidade de Quioto já declararam que não cumprirão o decreto ministerial. O presidente de uma das instituições negou ser conivente e classificou a ação como “anti-intelectual”.

Segundo estudo realizado pelo jornal The Yomiuri Shimbun, 17 universidades irão parar de recrutar alunos para graduações nas áreas de humanas e ciências sociais – incluindo os cursos de direito e economia.Na mesma reportagem o Conselho de Ciência do Japão expressa grande preocupação com o impacto e futuro das ciências sociais do país.

Com informações do site Times Higher Education/ Por: Jack Grove

Milena não vai para o Japão
Milena não vai pro Japão  -_-

0 Shares:
Você pode gostar também
Abre inscrições para Fuvest 2016
Leia mais

Abre inscrições para Fuvest 2016

Período para se inscrever no vestibular vai até 9 de setembro. Valor cobrado para realizar a prova é de R$ 145,00 Foto: Marcos Santos/USP Imagens Foram abertas as inscrições para o vestibular Fuvest 2016 da Universidade de São Paulo (USP) nesta sexta-feira (21). O período de inscrição se encerra em...