Correção de Redação

Redação Enviada ao aluno - 08/05/2017

Cultura do estupro no Brasil

Leia a proposta de redação
Bela, recatada e do lar

Em maio de 2016, circulou, nas redes sociais, a notícia de que uma jovem de 16 anos havia sido estuprada por mais de trinta homens em uma comunidade do Rio de Janeiro. Surpreendentemente, a reação de muitas pessoas perante essa atrocidade não foi de indignação pela violência sofrida pela garota, mas a de culpabilizá-la por ter "causado" essa violência, já que supostamente era usuária de drogas. Essa situação evidencia um problema estrutural do Brasil, que tem suas origens no machismo e que toma a mulher como culpada pelos abusos sofridos, legitimando o estupro para aquelas que não se adequem ao que é tido como um modelo de mulher ideal.
"Bela, recatada e do lar". Assim é descrita a esposa de Michel Temer, presidente do Brasil, em reportagem publicada pela revista Veja. Esse é o modelo de mulher que o brasileiro tem como digna de ser respeitada. Usuárias de drogas, mulheres que vivem intensamente sua sexualidade ou até mesmo aquelas que não são consideradas "belas" são dignas apenas de desrespeito, de violência, de estupro. Afinal, o comediante Danilo Gentili já não deixou claro que mulheres "feias" deveriam se sentir agradecidas caso fossem estuprada? Os desdobramentos desse pensamento são alarmantes: Segundo dados divulgados pela revista Super Interessante, o Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública afirma que, todos os anos, cerca de 50 mil pessoas são estupradas no Brasil, o que mostra o machismo institucionalizado no país legitima e uma cultura do estupro que responsabiliza as próprias vítimas pela violência sofrida. Se foi estuprada, é porque não era bela, não era recatada e não era do lar.
Não bastasse ser desrespeitada, estuprada e culpabilizada, a mulher vítima de violência ainda é silenciada. De acordo com pesquisa divulgada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), estima-se que as notificações de estupro correspondam a apenas 10% dos casos ocorridos. Vergonha, sentimento de culpa e medo são os principais fatores que levam 90% das mulheres estupradas a calar a violência sofrida, o que constitui mais um indício de que a desconstrução de uma cultura machista, que legitima o estupro, está longe de acontecer no Brasil.
Para enfrentar essa situação, é necessário haver um ação sinérgica entre diversos setores da sociedade: Estado, escola e população precisam agir conjuntamente para enfrentar esse problema. O Ministérios de Segurança Pública precisa intensificar o alcance das Delegacias da Mulher, além de fornecer treinamento consistente aos encarregados de lidar com esses casos, elaborando um material de treinamento e oficinas de formação. À escola, cabe colocar a discussão acerca das questões de gênero e tratar sobre machismo e violência com os alunos e alunas. Cabe à escola, também, disponibilizar serviço de atendimento psicológico às garotas que se sentirem violadas em alguma medida pelas práticas de seus colegas, para que cresçam com a consiciência de que nenhum abuso deve ser legitimado ou tolerado. À população, cabe denunciar, através de um Disque Denúncias, sempre que haja algum indício de que alguma mulher esteja sofrendo algum tipo de violência, seja esta sexual ou não. Dessa forma, o combate à cultura do estupro caminhará, ainda que a passos lentos, à extinção no Brasil.

Comentários por competência
Linguagem
Competências 1 e 4
"indignação pela violência sofrida pela garota, mas a de culpabilizá-la por ter "causado" essa violência"
indignação pela violência que a garota sofreu, mas a de culpá-la por ter “causado” isso.
"estuprada"
estupradas
"Segundo"
segundo
"a o"
que
"e"
excluir
"culpabilizada"
culpada
"um"
uma
"consiciência"
consciência
"através"
por meio
"algum"
qualquer
Conteúdo e estrutura
Competência 2 e 3
"Essa situação evidencia um problema estrutural do Brasil, que tem suas origens no machismo e que toma a mulher como culpada pelos abusos sofridos, legitimando o estupro para aquelas que não se adequem ao que é tido como um modelo de mulher ideal."
Ótima introdução, com ideias bem contextualizadas. Só preste bem atenção para deixar o tema em evidência. Você afirma “Essa situação evidencia um problema estrutural do Brasil”, mas em seguida não diz que esse problema é o estupro. Ao contrário, diz que legitima o estupro, dando a entender que existe um problema que legitima o estupro e não que o estupro é o próprio problema. Uma boa construção seria: "essa situação evidencia um problema estrutural legitimado no Brasil, o estupro, que tem origens..."
""Bela, recatada e do lar". Assim é descrita a esposa de Michel Temer, presidente do Brasil, em reportagem publicada pela revista Veja. Esse é o modelo de mulher que o brasileiro tem como digna de ser respeitada. Usuárias de drogas, mulheres que vivem intensamente sua sexualidade ou até mesmo aquelas que não são consideradas "belas" são dignas apenas de desrespeito, de violência, de estupro. Afinal, o comediante Danilo Gentili já não deixou claro que mulheres "feias" deveriam se sentir agradecidas caso fossem estuprada? Os desdobramentos desse pensamento são alarmantes: Segundo dados divulgados pela revista Super Interessante, o Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública afirma que, todos os anos, cerca de 50 mil pessoas são estupradas no Brasil, o que mostra o machismo institucionalizado no país legitima e uma cultura do estupro que responsabiliza as próprias vítimas pela violência sofrida. Se foi estuprada, é porque não era bela, não era recatada e não era do lar."
Ótima construção de parágrafo, com ideias circulares que constroem um pensamento e o reafirmam.
"a mulher vítima de violência ainda é silenciada"
Sugiro colocar que são vítimas de “estupro” ou “violência sexual” ao invés de somente “violência”, pois abre espaço para as várias formas de violência existentes (física, verbal, sexual, etc.).
"De acordo com pesquisa divulgada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada)"
Qual pesquisa e em que ano?
"Vergonha, sentimento de culpa e medo são os principais fatores que levam 90% das mulheres estupradas a calar a violência sofrida, o que constitui mais um indício de que a desconstrução de uma cultura machista"
Explique melhor por que a vergonha, o sentimento de culpa e o medo que silenciam a mulher estão relacionados diretamente ao machismo. O que faz com que a mulher tenha vergonha de denunciar uma agressão? E o medo?
"que legitima o estupro"
Para deixar o texto mais fluido e não causar redundância, sugiro trazer uma nova ideia de argumentação para finalizar este parágrafo, pois a legitimação do estupro foi abordada na introdução e no parágrafo anterior.
Proposta de intervenção
Competência 5
"Para enfrentar essa situação, é necessário haver um ação sinérgica entre diversos setores da sociedade: Estado, escola e população precisam agir conjuntamente para enfrentar esse problema. O Ministérios de Segurança Pública precisa intensificar o alcance das Delegacias da Mulher, além de fornecer treinamento consistente aos encarregados de lidar com esses casos, elaborando um material de treinamento e oficinas de formação. À escola, cabe colocar a discussão acerca das questões de gênero e tratar sobre machismo e violência com os alunos e alunas. Cabe à escola, também, disponibilizar serviço de atendimento psicológico às garotas que se sentirem violadas em alguma medida pelas práticas de seus colegas, para que cresçam com a consiciência de que nenhum abuso deve ser legitimado ou tolerado. À população, cabe denunciar, através de um Disque Denúncias, sempre que haja algum indício de que alguma mulher esteja sofrendo algum tipo de violência, seja esta sexual ou não. Dessa forma, o combate à cultura do estupro caminhará, ainda que a passos lentos, à extinção no Brasil."
Ótima proposta de intervenção, com ações, agentes e meios bem detalhados. Somente uma observação: a proposta temática precisa ser reafirmada em todo o texto, portanto, as ações precisam ser voltadas especificamente a este tema. É interessante sugerir que as denúncias sejam feitas, mesmo que em casos de outros tipos de violências, mas o termo “estupro” precisa aparecer relacionado pelo menos a uma ação. Neste sentido, seria interessante propor ampliar o alcance de delegacias de mulher para atender casos de estupro, por exemplo.
Comentários gerais

Você escreve um ótimo texto, com ideias objetivas, claras e fundamentadas para compor sua argumentação. Somente é necessário se atentar para alguns pontos que precisam de desenvolvimento/correção. Espero que as dicas lhe ajudem.

Bons estudos e continue escrevendo!

  • Nota total 840
  • 120 Competência 1

    Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa.

  • 160 Competência 2

    Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

  • 160 Competência 3

    Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

  • 200 Competência 4

    Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

  • 200 Competência 5

    Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Entenda as competências
Conta de email não verificada

Não foi possível realizar o seu cadastro com a sua conta do Facebook pois o seu email não está confirmado no Facebook.

Clique aqui para ver como confirmar sua conta de email no Facebook ou complete seu cadastro por aqui.

Entendi
Clicando em "Criar perfil", você aceita os termos de uso do Stoodi.
Tem perfil no Stoodi? Fazer Login